Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Warriors partem na frente

18 de Abril, 2015

Golden State Warriors, vencedores da fase regular

Fotografia: AFP

Os Golden State Warriors, vencedores da fase regular, com 67 vitórias e 15 derrotas, partem na frente para os “play-off” da Liga norte-americana de basquetebol (NBA) e a sucessão dos San Antonio Spurs, numa  corrida que começa hoje.

A formação comandada pelo “rookie” Steve Kerr tem o "factor casa" do seu lado - sendo que ganhou 39 dos 41 jogos com anfitriã -, depois de um trajecto de grande nível, sob a liderança dos “temíveis” atiradores Stephen Curry (23,8 pontos de média por jogo) e Klay Thompson (21,7).

Draymond Green, Marreese Speights, Harrison Barnes, David Lee, Andre Iguodala, Leandro Barbosa, Andrew Bogut e Shaun Livingston completam o poderoso elenco dos Warriors, que perseguem o primeiro título desde 1974/75 – também ganharam como Philadelphia Warriors, em 1946/47 e 55/56.

Os Warriors partem na frente, mas ainda só deram um pequeno passo rumo ao título, falta quase tudo, num trajecto que vai arrancar frente aos New Orleans Pelicans, a última formação a conquistar um lugar nos “play-off”, a Oeste, e, depois, deve passar pelos Memphis Grizzlies ou os Portland Trail Blazers.
A tarefa não deve ser fácil, mas o conjunto de Kerr é favorito a chegar à final de conferência, na qual deve ter pela frente, com toda a certeza, um “enorme” adversário.

Os Spurs, que devido ao desaire no último jogo, face aos Pelicans, falharam o segundo posto e caíram para sexto, partem sem o “factor casa”, mas são uma das equipas em melhor forma, depois de um início de época complicado, com muitas lesões.

A formação de Gregg Popovich, liderada por Tony Parker, Tim Duncan e Kawhi Leonard, tem um difícil primeiro confronto com os Los Angeles Clippers, de Chris Paul, Blake Griffin e Deandre Jordan, no jogo “grande” da primeira ronda.

O outro duelo joga-se no Texas, entre os Houston Rockets, do "barbudo" James Harden (27,4 pontos), e os Dallas Mavericks, de Dirk Nowitzki, que, em 2007, tinham sido a última equipa a acabar a época regular com 67 triunfos.

Os Rockets são favoritos, mas os Mavericks são candidatos a complicar, basta lembrar que, na época passada, levaram os Spurs ao sétimo jogo na primeira ronda.

CONFERÊNCIA ESTE
Atlanta Hawks têm colectivo competente


No que respeita à Conferência Este, os Atlanta Hawks dominaram por completo, fecharam com 60 triunfos e 22 derrotas, sem grandes “estrelas”, mas com um colectivo sempre competente, sob a liderança de Mike Budenholzer, que a exemplo de Steve Kerr, aprendeu muito com Popovich.

Paul Millsap, Jeff Teague, Al Horford, DeMarre Carroll e Kyle Korver formam um “cinco” de grande qualidade, sendo que também há boa “matéria-prima” no banco, com Dennis Schröder, Mike Scott, Thabo Sefalhosha, Pero Antic ou Elton Brand.

Os Hawks são claramente favoritos face aos Brooklyn Nets, os últimos “passageiros” no Este, mas se passarem, vão ter bem mais problemas perante Toronto Raptors, de DeMar DeRozan, ou Washington Wizards, de John Wall.

As dificuldades  podem crescer, ainda mais, por certo, na final de conferência, já que se prevê um intenso “duelo” nas “meias”, entre os Cleveland Cavaliers, de David Blatt, e os Chicago Bulls, de Tom Thibodeau, assim estes “despachem”, como anunciado, Boston Celtics e Milwaukee Bucks, respectivamente.

Os “Cavs” são liderados por aquele que é considerado por muitos o melhor jogador da actualidade, LeBron James, que voltou a “casa” e está bem acompanhado, nomeadamente por Kyrie Irving e Kevin Love, mas também JR Smith ou Timofey Mozgov.

Por seu lado, os Bulls recuperaram Derrick Rose e possuem também um plantel de enorme qualidade, com Pau Gasol, Joakim Noah, Jimmy Butler, Mike Dunleavy, Nikola Mirotic, Taj Gibson, Tony Snell e Aaron Brooks. Soluções para todos os gostos.

Os “play-off” arrancam este sábado e prometem, mesmo sem grandes figuras que já caíram, a maior dos quais indiscutivelmente Russell Westbrook, que fez os impossíveis para qualificar os Oklahoma City Thunder, caindo, de “pé”, como melhor marcador da competição.