Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Yanick acredita na qualificao

Melo Clemente - 06 de Julho, 2018

Poste angolano lidera a lista dos melhores marcadores do cinco nacional com 70 pontos

Fotografia: Jornal dos Desportos

O internacional angolano, Yanick Moreira, mostrou-se confiante na qualificação da Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos, que recentemente assegurou o passe de acesso à fase derradeira para a Copa do Mundo da República Popular da China, prova a decorrer de 31 de Agosto a 15 de Setembro de 2019.
O poste de 26 anos de idade, dois metros e onze centímetros de altura, foi o melhor marcador dos hendecacampeões africanos, com 70 pontos, durante a disputa da primeira fase de qualificação para  Copa do Mundo de 2019.
Apesar de ter estado muito aquém do seu rendimento habitual, durante a disputa do primeiro turno da aludida competição, onde em seis partidas anotou apenas 70 pontos, o que representa uma média de 11, 6 pontos marcados por cada desafio, Yanick Moreira foi das poucas unidades do cinco nacional, que conseguiu estar próximo da média, em termos de exibição.
Em declarações ao site da Fiba-Mundo, momentos antes de ter abandonado a cidade do Cairo, capital egípcia, onde os hendecacampeões africanos disputaram a terceira janela de qualificação zona africana para a Copa do Mundo, tendo assegurado o primeiro lugar, com dez  pontos, contra nove de Marrocos e Egipto, respectivamente, o poste angolano assegurou que Angola vai alcançar, com toda naturalidade, o passe de acesso à fase final do mundial da República Popular da China.
\"O nosso primeiro objectivo foi cumprido. Apesar de termos consentido duas derrotas nesta primeira fase, o mas importante foi termos assegurado o primeiro lugar do nosso grupo e, consequentemente, garantido a passagem para a fase derradeira. Temos consciência que a fase derradeira será mais difícil, mas ainda assim, vamos trabalhar de forma árdua, para que no final possamos festejar a qualificação para o mundial\", augurou o jovem jogador, que teve o seu momento memorável ao serviço da Selecção Nacional no mundial de 2014, em Espanha, quando marcou 38 pontos, na vitória sobre a similar da Austrália, por 91-87, tendo quebrado, na altura, o recorde do experiente poste espanhol, Pau Gasol (33).
Durante a disputa das três partidas da terceira janela de qualificação zona africana, Yanick Moreira foi uma sombra de si mesmo nas duas primeiras jornadas, em que o combinado nacional defrontou as congéneres de Marrocos (47-61) e Egipto (65-58), tendo brilhado na derrota histórica diante da República Democrática do Congo (56-66), ao marcar 20 pontos, para além de ter capturado dez ressaltos.
Com os 20 pontos marcados, o internacional angolano cimentou a liderança dos melhores marcadores dos hendecacampeões africanos, agora com 70 pontos, seguido de Reggie Moore e Olímpio Cipriano, com 50 e 40 pontos, respectivamente.
Entretanto, a terceira janela de qualificação zona africana para a  Copa do Mundo, ficou marcada, sem sombras de dúvidas, pela débil preparação do cinco nacional, que viu o seu estágio pré-competitivo a ser abortado pela direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), encabeçada por Helder Martins da Cruz \"Maneda\", alegadamente, por falta de verbas, quando na verdade embolsou,  do Ministério da Juventude e Desportos (Minjud), mais de cinquenta e sete milhões de kwanzas (57.000.000.00 kz).


Números
Concorrentes directos superam Angola

O desempeno da Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos, durante a primeira fase de apuramento a 18ª edição da Copa do Mundo de 2019, com palco na China, trouxe a nu as fragilidades de um conjunto que, nos últimos anos, vai perdendo o prestígio e o respeito que granjeou ao longo de três décadas e meia no continente africano e não só.
Os números produzidos, durante o primeiro turno da aludida competição, mostra claramente, que o combinado nacional caminha para o precipício, muito por culpa dos dirigentes do órgão reitor da modalidade no país, que trabalham como autênticos amadores, situação que poderá custar o afastamento dos hendecacampeões africanos da fase final da Copa do Mundo de 2019.
Dos cinco concorrentes que compõem o Grupo E da fase decisória, nomeadamente, Tunísia, Camarões, Marrocos, Egipto e Chad, rumo a Copa do Mundo da China, ANGOLA entra para esta fase com o pior ataque, sendo inclusive superada neste quesito, pelo desconhecido Chad, nação que começa a tactear no que ao basquetebol diz respeito.
A Selecção Nacional comandada pelo técnico norte-americano, Will Voigt, nos seis jogos que disputou durante o primeiro turno da competição, marcou apenas 371 pontos, obtendo uma média de 61, 8 pontos anotados por desafio, contra 383 pontos do seleccionado do Chad. Tunísia, Camarões e Chad têm os melhores ataques, com 499, 438 e 383 pontos marcados. Marrocos e Egipto marcaram durante a primeira fase 383 e 376 pontos, respectivamente. Os tchadianos têm a pior defesa, entre as cinco selecções que compõem o Grupo E, com 424 pontos sofridos. A selecção da Tunísia, que tem no comando o técnico Mário Palma, antigo seleccionador dos hendecacampeões africanos, tem igualmente a melhor defesa, com 315 pontos sofridos, em seis jogos disputados.
Já os angolanos sofreram 369 pontos, o que representa uma média de 65, 5 pontos por cada jogo. Nigéria, uma da integrantes do Grupo F, foi a selecção que mais pontos marcou entre as dezasseis, com 605 pontos, obtendo uma média de 100, 8 pontos por cada encontro.

Nacional
1º de Agosto pode assaltar a liderança

A formação do 1º de Agosto A pode tomar de assalto a liderança da 33ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores femininos, caso vença esta noite (18h00), no Pavilhão Victorino Cunha, a similar do Grupo Desportivo O Maculusso, em partida a contar para a segunda jornada da segunda volta, sétima no geral. As polícias, lideres da prova, com 12 pontos, folgam por imperativo de calendário.
Segunda classificada da 33ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol a nível das senhoras, com 11 pontos, contra 12 do Grupo Desportivo Interclube, o Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto A) é seguramente a principal favorita a conquista dos dois pontos em disputa, a julgar pelo qualidade do plantel, que é de longe superior ao Grupo Desportivo O Maculusso.
A jogar em casa e diante da sua massa associativa, a equipa rubro e negra, liderada pelo técnico angolano, Jaime Covilhã, antigo seleccionador nacional das bicampeãs africanas, vai assegurar os dois pontos em disputa.
Por seu lado, as meninas do Maculusso vão procurar dificultar ao máximo as pretensões das militares, que estão fortemente engajadas na conquista do troféu da edição 33 do \"Nacional da bola ao cesto\".
O equilíbrio poderá marcar algumas etapas da partida, dado a determinação que a formação forasteira tem demonstrado, na presente época desportiva.
A ronda dois, sete na geral, abre as 16h00, no mesmo recinto, quando o 1º de Agosto B medir forças com o Núcleo do Interclube de Benguela, num jogo onde a possibilidade de vitória está repartida em 50% para cada colectividade.
Amanhã, sábado, a competição prossegue com a disputa da terceira jornada da segunda volta, oitava na geral, com O Núcleo do Interclube de Benguela a receber, no Pavilhão 28 de Fevereiro, a congénere do 1º de Agosto B, desafio agendado para as 16h00.
O Grupo Desportivo Interclube defronta a partir das 18h00, no Pavilhão 28 de Fevereiro, o Grupo Desportivo O Maculusso, folgando por imperativo de calendário o 1º de Agosto A.