Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Basquetebol

1º de Agosto joga final

Hélder Jeremias - 19 de Novembro, 2017

Clube Central das Forças Armadas Angolanas vai em busca do seu terceiro anel continental

Fotografia: Vigas da Purificação

O Pavilhão Arena do Kilamba vais registar hoje, domingo, momentos de grande furor quando a partir das 19h00, o 1º de Agosto medir forças com o Ferroviário de Maputo, em partida referente a final da 23ªa edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol em seniores femininos que decorre desde o pretérito dia 11.
Militares do Rio Seco e Locomotivas de Maputo partilham a ambição de arrebatar o troféu que se encontra sobre alçada do Grupo Desportivo Interclube, que ontem deixou escapar o estatuto de campeã africana, ao perder com o Ferroviário de Maputo, por 71-62, na segunda meia-final da trigésima terceira edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos da "bola ao cesto".
As moçambicanas concretizaram o desejo de se redimir da derrota que o Inteclube lhes disferiu na final da edição passada, com palco no Pavilhão de Maxequene, em Maputo, mas querem ir mais longe, o que passa pela obtenção de mais um triunfo diante do 1º de Agosto que está a na competição para resgatar o título que havia alcançado em 2015, quando o país acolheu, pela primeira vez o Africado de Clubes.
A formação do Índico, sobe orientação do técnico espanhol, Joseba Inaki Martin Garcia tem feito uma campanha brilhante em busca do troféu, tendo terminado em segundo lugar no grupo B, em que se estreiou com vitória diante do DCMP do Congo Democrático por 67-38, bateu o Keny Port Authority por  68-34 e concedeu a primeira derrota no encontro com o 1º de Agosto por 74-65.
No jogo de hoje, Jaime Covilhã está avisado da forma determinada como o Ferroviário de Moçambique obteve o passe para a final e de que a mesma ousadia deverá fazer parte da filosofia de jogo do adversário, mas a formação do Rio Seco não terá esforços a medir para concretizar os objectivos que a direcção de Carlos Hendrick persegue nestas andanças, até porque a vitória soada diante do Firts Bank tenha servido para despertar a necessidade de maior rigor nas diversas facetas do jogo.
Nesta condição, o Interclube vê-se na obrigação de jogar hoje, a partir das 16h45, diante do Firts Banka do Quénia para tentar obter a medalha de bronze, um feito que poderá servir para tranquilizar os adeptos, mas as polícias devem entrar mais concentradas na partida, tendo em conta que o First Bank da Nigéria é caracterizado pela excelência do seu basquetebol e poderá impedir que a equipa adstrita á Polícia Nacional não coloque os pés no pódia.
As comondadas de Apolínário Paquete que foram repescadas para a 23ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos, em virtude de terem falhado a qualificação directa, em Gaberone, capital do Botswana, vão procurar vergar a forte equipa do First Bank da Nigéria e, consequentemente, alcançar o terceiro lugar do pódio.
A equipa técnica da equipa adstrita a Polícia Nacional vai tentar corrigir os erros cometidos ontem, frente as moçambicanas, que ditou o afastamento da formação mais titulada do continente africano, com cinco troféus arrabatados.
Já as nigerianas vão procurar surpreender as angolanas, num prélio de difícil prognóstico, a julgar pela qualidade dos dois planteis.


Meias-finais
1º de Agosto bate First Bank da Nigéria

O 1º de Agosto está mais perto do resgate do título continental depois de ter carimbado o passe para a final da 23 edição da Taça dos Clubes Africanos da "bola ao cesto, ao vencer ontem à noite, no Pavilhão Arena do Kilamba, a congénere do First Bank da Nigéria, por 64-44, na primeira meia-final da referida competição.
Diante de cerca de três centenas de adeptos que ontem prestigiaram a competição, o 1º de Agosto teve um teste difícil no confronto com um adversário que esteve à altura da candidatura a conquista do título continental, obrigando a equipa militar a utilizar todas as suas potencialidades para transitar para a última etapa da competição e manter acesa a possibilidade de resgatar o troféu mais cobiçado. As comandadas de Jaime Covilhã foram muito disciplinadas em termos tácticos, fazendo da coesão defensiva o forte do plantel que se soube impor de igual forma na luta de baixo da tabela, numa noite em que a extremo poste norte-americana, Alicia Devaughn, cestinha da partida, com 17 pontos, deu garantias de uma prestação de importância capital para a equipa do rio seco.
Com um total de quatro assistências cada, Finesa Eusébio, Elisabeth Mateus e Alicia Devaughn potencializaram o ataque em que também estiveram em evidência Rosa Gala, 11 pontos, Leila Dongue, 11 e Luísa Tomas 10, sem descurar das demais atletas que souberam travar as investidas das nigerianas, sobretudo no terceiro período, em que o First Bank chegou a encurtar a vantagem das militares para a mínima diferença de quatro pontos (44-40).
As militares do rio seco souberam colocar o adversário numa posição subalterna nos primeiros 10 minutos, cujo resultado começou por ser de 13-04, e concluído por 29-09, assim como o sinal mais se manteve para do lado da equipa nacional no segundo quarto, não obstante terem empatado com o parcial de 17-17 que se saldou com os favoráveis 37-26 para o 1º de Agosto.
O Intervalo parece ter causando algum relaxe no seio da formação do Rio Seco, quando a formação do Firts Bank, comandada pelo professor Peter Favour Ahmedu aproveitou para dar maior endurance no jogo ofensivo, perante a redução dos índices produtivos da equipa anfitriã, tendo as nigerianas vencido o parcial 7-14 no terceiro tempo em que o 1º de Agosto venceu pela mínima vantagem (44-40).
Jaime Covilhã dotou a equipa de maior eficácia no quarto tempo e o desempenho das suas pupilas se reflectiu na subida dos índices de produção, tendo vencido o parcial de 20-4 e confirmado o passe para a finais com a vitória de 64-44.            Helder Jeremias


FICHA TÉCNICA


Pavilhão: Arena
Comissário: Joy Oling (Rwanda)
Arbitragem: Zouzu Nadege (Costa do Marfim), Chahinaz Bousset (Marrocos) e Nadget Zenaguialg (Argélia).
1º de Agosto: Finesa Eusébio (6), Isabel Simba (10), Leila Dongue (11), Rosa Gala (11), Adalberta candeias (0), Helena Viegas(0), Sónia Ndoniema(0), Luísa Tomas(10), Elisabeth Mateus(5),  Alicia Devaughn(17), Ana Gonçalves(3) e Avelina Peso(2)
Técnico: Jaime Covilhã
First Bank: Bilqis Adekoya(0), Dominique Wilson(10), Debora Nwakamma (0) Mary Isuambuk (10), Magdalene Ukato (2), Cecilia Okoye (10), Nkem Akaraiwe (2), Minata Fofana (0), Priscila Udeaja (5), Odion Elawure (0), Ugochi Nwaiwe (0).
Técnico: Peter Favour Ahmedu
Marcha do marcador: 20-9, 37-26, 44-40, 64-45


Palmarés

Com cinco troféus conquistados até aqui, a formação do Grupo Desportivo Interclube lidera o ranking africano da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol em seniores femininos, competição que a partir de hoje, sábado, faz disputar no Pavilhão Arena do Kilamba, a trigésima terceira edição da "Liga dos Campeões", a nível das senhoras.
Clube Central das Forças Armadas (1º de Agosto), BC Tourbillon da República Democrática do Congo, First Bank da Nigéria, Dakar University e Desportivo de Moçambique, estão nas posições imediatas, com dois troféus cada.