Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Basquetebol

Lusada e CFDK podem abandonar

Juscelino da silva - 14 de Outubro, 2019

O chefe de departamento de basquetebol do Petro de Luanda, Joo de Carvalho, sustenta que "seria primordial a definio da situao relacionado com os pagamentos dos rbitros na reunio com a FAB", pois assim, "os clubes estariam melhor preparados antes d

Fotografia: Jornal dos Desportos

A  42ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos ainda não arrancou e o clubes participantes podem anunciar, nos próximos dias, a sua desistência, caso à direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) decida manter a responsabilidade dos pagamentos dos prémios dos árbitros aos clubes.
A questão apresentada por um dos representantes de um clube na reunião com a FAB, realizada numa das salas de reuniões da instituição, não foi esclarecida, razão pela qual temem pela sua continuidade na competição.
Os clubes devem receber a resposta da FAB sobre os pagamentos dos árbitros ainda nas próximas dias. Caso a FAB decida atribuir aos clubes o pagamento dos árbitros, a competição pode testemunhar as desistências do Clube Formação Desportiva Kwanza, Futebol Clube Vila Clotilde, Clube Universidade Lusíada e Atlético Sport Aviação (ASA), respectivamente.
O silêncio da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) está a preocupar os representantes dos clubes acima referenciados.
Fernando Sousa, membro de direcção do Futebol Clube Vila Clotilde, garantiu ao Jornal dos Desportos, de forma categórica, que o orçamento da sua agremiação não permite a pagamentos de árbitros.
\"Se a federação decidir manter o modelo antigo de pagamento de árbitros, vamos desistir do campeonato. Esta é uma decisão que tomámos na reunião que tivemos com o Clube Universidade Lusíada e  CFDK. Não temos orçamentos iguais aos do Petro de Luanda, 1º de Agosto, Interclube e Marinha de Guerra\", disse.
Fernando Sousa sustenta, que \"40 mil kwanzas é muito dinheiro para cada jogo\" e questiona: \"Onde vamos tirar este dinheiro para pagar os árbitros durante toda a época desportiva, se temos outros encargos com a utilização do campo para os nossos jogos em casa?\".
O chefe de departamento de basquetebol do Petro de Luanda, João de Carvalho, sustenta que \"seria primordial a definição da situação relacionado com os pagamentos dos árbitros na reunião com a FAB\", pois assim, \"os clubes estariam melhor preparados antes da abertura da época\".