Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

A funcionria competente que "pedala" de canadianas

Simo Kibondo - 24 de Janeiro, 2013

Edith Pimentel perde apenas para o mais velho Joo Madeira que, apesar de j est na idade da reforma

Fotografia: Jornal dos Desportos

Se não tivesse uma deficiência nos membros inferiores, que a obriga a usar canadianas, seria de facto uma campeã de ciclismo. Mesmo assim, é das funcionárias mais destacadas daquela Federação. Trata-se de Catarina Edith Pimentel, 49 anos, que utilizou a sua experiência de muitos anos naquela instituição para ser hoje quadro efectivo do Ministério da Juventude e Desportos (MINJUD), onde funciona desde o tempo da antiga Secretaria de Estado de Educação Física e Desportos.

Na Cidadela, em termos de tempo de trabalho ligado ao desporto, Edith Pimentel perde apenas para o mais velho João Madeira que, apesar de já está na idade da reforma, continua a dar o seu contributo na Federação Angolana de Andebol. Os dirigentes federativos passam e dona Edith continua de pedra e cal na instituição, num dos casos raros de dedicação ao desporto, que merecem reconhecimento por parte da sociedade.

Saldo os dias em que o reumatismo a incomoda, Edith Pimentel é das primeiras funcionárias a chegar ao trabalho. Quem, cedo pela manhã, circular entre a saída do Bairro Marçal, por de trás do Hospital Américo Boavida, e antigo prédio da “Chechénia”, decerto se há-de cruzar com uma carismática transeunte, bem aprumada e de canadianas, a dirigir-se calmamente para o portão do Complexo da Cidadela, para entrar e abrir as portas da Federação Angolana de Ciclismo (FACI). Devido à sua longa experiência no desporto, dona Edith não se limita ao trabalho de secretária da FACI, fazendo parte, nos últimos tempos de várias comissões eleitorais, como foram os casos das Associações de Voleibol e Ténis de Mesa, que já tiveram a colaboração daquela a que alguns apelidam “dama de ferro” da Federação de Ciclismo.

RECONHECIMENTO
Promoção para a tesouraria


A última “Comissão de gestão” da FACI resultou do facto desta federação não ter realizado em tempo útil as eleições no quadriénio 2000-2004, quando todas as federações foram orientadas a conformar os seus mandatos aos ciclos olímpicos. Depois do anterior período de regularização das actividades, o ciclismo acertou o passo com a eleição de facto de Diógenes de Oliveira para a presidência de direcção, no seu primeiro mandato, de 2004 a 2008, e reeleito para um segundo mandato (2008-2012), contando sempre com Edith Pimentel na secretaria da FACI. No segundo mandato de Diógenes de Oliveira, que terminou no ano passado, muito devido ao reconhecimento do seu empenho e vivência na modalidade, Edith Pimentel é nomeada tesoureira da FACI, função que acumula ainda hoje com as responsabilidades na secretária.


MOMENTOS
Sobrevivente de todas as crises

Aquela que podemos considerar sobrivivente de todas as crises por que a FACI já passou, desde a sua fundação a 19 de Julho de 1979, entrou no ciclismo angolano em 1982,  pela mão de Pascoal Van-Dúnem, que segundo reza a história foi o primeiro dirigente que esteve à frente da modalidade até 1985, quando Catarina Pimentel passou de funcionária “eventual” (termo utilizado na altura para classificar os estagiários) a trabalhadora efectiva do MINJUD.

Ainda no tempo da então Secretária do Estado de Educação Física e Desporto, dirigida por Rui Mingas, instituição que, na altura, tinha a responsabilidade de nomear as equipas para as federações nacionais, Edith Pimentel sobreviveu a todas as intempéries que viveu a FACI. “Quase todos os dirigentes da FACI encontram-me aqui, a começar pelo presidente Pascoal Van-Dúnem, que foi o primeiro, entre 1982-85, encabeçando uma comissão extraordinária nomeada pelo então secretário de Estado Rui Mingas. Depois, veio o dirigente Francisco Elias Martins (85-87), seguindo-se José Amaral (87-93), numa das fases mais críticas da modalidade”, recordou Edith Pimentel. “Com a realização das primeiras eleições nas federações, Garrido da Costa é eleito presidente para o mandato de 1993 a 96 e reeleito para um segundo mandato, mas por questões de saúde foi substituído por Higino de Carvalho, então era vice-presidente, que ficou na FACI até 2002, altura em que entra mais uma comissão de gestão, encabeçada por Diógenes de Oliveira, que durante os mandatos de Garrido da Costa foi Presidente da Mesa da Assembleia-Geral”, lembrou ainda.

POR DENTRO

Nome Completo:
Catrina Edith dos Santos Pimentel
Filiação: Simão Braz dos Santos Pimentel e de Ana Joaquim
Data de Nascimento: Município do Rangel (Luanda), aos 26 de Janeiro de 1963
Estado Civil: Solteira
Naturalidade: Luanda
Filhos: uma menina
Música: Kizomba
Filme: Acção
Hobbies: Ler a Bíblia
Caçado: Nº 40
Cor: Azul
Sonho: Ter casa e carro próprio