Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

A primeira mulher campeã de duplas

09 de Janeiro, 2012

Esther Bueno anunciou a retirada definitiva em Wimbledon

Fotografia: AFP

Maria Esther Bueno foi sem dúvida o maior nome do ténis brasileiro e um dos maiores do mundo. Para a paulistana não havia piso ruim. Apesar de se ter formado em saibro, conquistou os quatro torneios do “Grand Slam”. Na primeira vez em que disputou um campeonato, em Wimbledon, 1958, foi campeã de duplas ao lado da norte-americana Althea Gibson.

A tenista, conhecida intimamente como Estherzinha, é até hoje homenageada nos Abertos de Wimbledon, na Inglaterra. Nos 11 anos de maior sucesso, entre 1957 e 1967, a brasileira conquistou 65 títulos internacionais de simples, 90 campeonatos de duplas, 15 de duplas mistas (masculino e feminino) e foi vice-campeã em outras 45 oportunidades.

Esther Bueno venceu 170 títulos fora do país e disputou troféus 257 vezes. Foi a primeira mulher a tornar-se campeã de duplas nos quatro torneios mais importantes do mundo numa mesma temporada. Em 1960, conquistou os títulos de duplas nos Abertos da Austrália, de Wimbledon, Roland Garros e dos Estados Unidos, feito repetido mais tarde por Martina Navratilova. Esther Bueno, em mais de 20 anos de carreira, conviveu com muitos problemas físicos.

Em 1961, a tenista teve hepatite, mas venceu o Aberto da Itália e foi vice-campeã de duplas em Roland Garros. O ano de 1965 foi marcado por contusões, que não a impediram de ser tricampeã na Itália, vice em Wimbledon e na Austrália, além de tetracampeã de duplas no torneio inglês.

Esther Bueno teve em 1967 problemas no braço e não conquistou nenhum título de simples do grande circuito. Em Wimbledon, venceu os torneios de duplas e duplas mistas. O ano seguinte foi o da última conquista de um torneio de “Grand Slam”. A tenista foi campeã de duplas no Aberto dos Estados Unidos.

As paradas começaram a tornar-se mais longas em 1967 e a brasileira conquistou apenas um vice-campeonato em Caracas. Disputou Wimbledon em 1974, nove anos depois da sua última final no torneio, chegando aos quartos-de-final com 36 anos. Em 1976, depoisde ficar afastada cerca de cinco anos, Esther Bueno voltou às quadras para disputar alguns torneios, sagrando-se campeã em Tóquio.Um ano depois, chegou a sua última final, em Dublin, e anunciou a retirada definitiva em Wimbledon.

Dr. J melhor
jogador da NBA


Julius Erving, antecessor de Michael Jordan, chamado “o professor”, revolucionou a forma de jogar basquetebol. Erving nasceu em Hampstead, Long Island, subúrbio de Nova Iorque. O pai abandonou-o quando tinha três anos e, por isso, a mãe trabalhou como doméstica para poder sustentar a ele e os irmãos. Erving descobriu o seu talento para o basquetebol e usou-o como passaporte para uma vida melhor. Aos dez anos, tinha médias de dez pontos por jogo numa equipa local. Quanto completou 13 anos, e graças às suas boas médias na escola, jogou numa equipa da preparatória Roosevelt High.

Nessa época procuraram vários apelidos que se encaixassem ao seu estilo de jogar: “A Garra”, “O Moisés Negro” e “A Jóia” foram usados, mas nenhum pegou. Ainda adolescente conheceu um jogador, que por respeito chamava “O Professor”. Esse jogador respondeu ao elogio de Erving chamando-o “O Doutor”, pela maneira como operava debaixo da cesta. Fatty Taylor, um companheiro de equipa, agregou mais tarde um J (de Julius) e foi então que se formou o seu apelido definitivo “Doutor J”. Ao terminar o preparatório, Erving matriculou-se na Universidade de Massachusetts e durante o primeiro ano bateu os recordes de pontos e ressaltos para um novato e levou a sua equipa à vitória.

Erving saiu da universidade depois de concluir a sua terceira campanha e hoje é um dos sete jogadores na história da NCAA que conseguiram uma média de 20 pontos e 20 ressaltos num jogo. Julius Erving iniciou em 1971 a sua carreira com os Squires de Virgínia da ABA quando travava uma batalha para atrair fãs e obter um pouco do reconhecimento que gozava a NBA. Durante a sua primeira campanha profissional, “Dr. J” foi o terceiro melhor anotador na ABA, terceiro em ressaltos e foi votado como o Novato do Ano.

Erving passou cinco anos na ABA, dois com os Squires e três com os Nets de Nova Iorque. A ABA fundiu-se com a NBA em 1976 e então Erving foi adquirido pelos Sixers de Filadélfia, onde passou 11 anos da sua carreira. Em 1983 ganhou com os Sixers o título da NBA.Erving anotou em suma mais de 30 mil pontos, com uma média de 24.2 pontos por jogo (22 na NBA). É lembrado pelo seu cabelo tipo “afro” e na sua carreira profissional não se esquece da tarde em que voou a partir da linha arremesso para encestar a bola.

Essa cesta é memorável, sem dúvida, mas para ele não é tanto assim, tendo declarado não ter sido muito difícil. A lenda diz que era capaz de encestar da linha de tiro sem tomar balanço. “Impossível”, respondeu. O menino que iniciou a carreira nas quadras de um bairro pobre e actualmente é um executivo da Coca-Cola em Filadélfia e vice-presidente do Magic Orlando, saiu de lá graças ao seu talento, trabalho duro e determinação. De alguma forma, todas as super estrelas de hoje são filhas de “Dr. J”.

Por dentro

Data de nascimento: 11/10/1939, em São Paulo. 

1956: Campeã do Orange Bowl (torneio juvenil).

1957: Bicampeã do Orange Bowl, campeã do torneio de Fort Lauderdale (primeiro título de adultos).

1958: Campeã de duplas em Wimbledon, ao lado de Althea Gibson (EUA).

1959: Campeã nos torneios femininos de Wimbledon e do Aberto dos Estados Unidos, vice-campeã de duplas femininas no Aberto dos EUA, ao lado de Sally Moore.

1960: Bicampeã em Wimbledon, vice-campeã do Aberto dos EUA, primeira mulher a ser campeã de duplas nos quatro torneios do “Grand Slam”: Aberto da Austrália (Christine Truman), Estados Unidos (Darlene Hard), Roland Garros (Hard) e Wimbledon (Truman) no mesmo ano.

1961: Vice-campeão de duplas com Hard.
1962: Campeã de duplas do Aberto dos Estados Unidos com Hard, campeã de duplas mistas em Roland Garros, Wimbledon e EUA.

1963: Bicampeã do Aberto dos EUA. Tricampeã de duplas em Wimbledon e vice-campeã nos Estados Unidos, com Hard. Conquista 17 troféus no ano.

1964: Tricampeã em Wimbledon e no Aberto dos EUA, vice-campeã de simples e duplas mistas em Roland Garros.

1965: Vice-campeã em Wimbledon e na Austrália e tetracampeã de duplas em Wimbledon.

1966: Tetracampeã do Aberto dos Estados Unidos, vice-campeã em Wimbledon e campeã de duplas nos dois torneios.

1967: Vice-campeã dos torneios de duplas e duplas mistas em Wimbledon.

1968: Vence o seu último torneio de “Grand Slam”, conquistando o título de duplas do aberto dos EUA ao lado de Margaret Court.

1977: Após várias interrupções e retornos faz a sua última final em Dublin e anuncia a sua retirada definitiva do ténis em Wimbledon.