Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Andrés Iniesta elevado a herói espanhol na imprensa

18 de Julho, 2010

Iniesta, autor do único golo que deu o primeiro título mundial de futebol à Espanha

Fotografia: AFP

O médio do FC Barcelona ocupou depois as primeiras páginas virtuais de El Mundo, El País, ABC ou AS, com a celebração do tento marcado aos 116 minutos do encontro do Estádio Soccer City, em Joanesburgo. “Espanha, Espanha, Espanha”, foi o título escolhido no El Mundo, que descreve “um dia histórico para o desporto nacional” e uma final “de agonia, com oportunidades para ambos os lados e jogada com muita dureza pela Holanda”.

O El País destaca “Espanha, campeã do Mundo”, enquanto o AS resume tudo a um garrafal “!!Campeones!!” e o ABC sublinha que “a Espanha já tem o título que lhe faltava”. Já o Sport, sedeado na Catalunha, não deixa de dizer que foi “um triunfo de todos os jogadores, mas em grande parte dos oito do ‘Barça’”, sob o título “Iniestazo II e... reis do Mundo”.

Eleito o melhor da final
Iniesta foi eleito pela FIFA o homem do jogo da final do Mundial-2010. O médio espanhol apontou o único golo da partida, já no prolongamento. Foi a terceira vez distinguido como o MVP de um jogo do Mundial, pois já o tinha sido frente ao Chile, ainda na fase de grupos, e no confronto com o Paraguai, dos quartos-de-final.

Informações pessoais
Nome completo
  Andrés Iniesta Luján
Data de nasc.  11 de Maio de 1984 (26 anos)
Local de nasc.  Fuentealbilla,  Espanha 
Nacionalidade   Espanha
Altura    1,70 m
    Destro
Apelido   Don Andrés, Sweet Iniesta

Informações profissionais

Clube actual
   Barcelona
Número   8
Posição   Médio

Clubes profissionais

Anos
             Clubes                Jogos     (golos)
2000–2003      Barcelona B      54        (6)

2002–2010      Barcelona        194       (16)
 
Selecção nacional
2006–2010    Espanha                  039 0(6)

              Mundial-2010 

JOGO                                         RESULTADO                  HOMEM DO JOGO
África do Sul-México               (1-1)                          Tshabalala
Uruguai-França                       (0-0)                          Forlán
Coreia do Sul-Grécia               (2-0)                         Ji Sung-Park
Argentina-Nigéria                    (1-0)                          Enyeama
Inglaterra-Estados Unidos        (1-1)                         Tim Howard
Argélia-Eslovénia                    (0-1)                         Robert Koren
Sérvia-Gana                           (0-1)                         Asamoah Gyan
Alemanha-Austrália                 (4-0)                         Podolski
Holanda-Dinamarca                 (2-0)                         Sneijder
Japão-Camarões                     (1-0)                         Honda
Itália-Paraguai                        (1-1)                         Alcaraz
Nova Zelândia-Eslováquia         (1-1)                         Vittek
Costa do Marfim-Portugal         (0-0)                        Cristiano Ronaldo
Brasil-Coreia do Norte              (2-1)                         Maicon
Honduras-Chile                       (0-1)                         Beausejour
Espanha-Suíça                         (0-1)                         Gelson Fernandes
África do Sul-Uruguai                (0-3)                         Diego Fórlan
Argentina-Coreia do Sul            (4-1)                         Gonzalo Higuaín
Grécia-Nigéria                          (2-1)                         Enyeama
França-México                         (2-0)                         Javier Hernández
Alemanha-Sérvia                     (0-1)                         Vladimir Stojkovic
Eslovénia-EUA                         (2-2)                         Landon Donovan
Inglaterra-Argélia                    (0-0)                         Ashley Cole
Holanda-Japão                       (1-0)                        Sneijder
Gana-Austrália                       (1-1)                        Gyan
Camarões-Dinamarca              (1-2)                        Agger
Eslováquia-Paraguai                 (0-2)                        Vera
Itália-Nova Zelândia                 (1-1)                         De Rossi
Brasil-Costa do Marfim              (3-1)                        Luís Fabiano
Portugal-Coreia do Norte           (7-0)                        Cristiano Ronaldo
Chile-Suíça                              (1-0)                        Mark Gonzalez
Espanha-Honduras                  (2-0)                        David Villa
França-África do Sul                 (1-2)                        Mphela
México-Uruguai                       (0-1)                        Luis Suarez
Grécia-Argentina                     (0-2)                        Lionel Messi
Nigéria-Coreia do Sul              (2-2)                        Ji-Sung Park
Estados Unidos-Argélia            (1-0)                        Landon Donovan
Eslovénia-Inglaterra                (1-0)                        Jermaine Defoe
Austrália-Sérvia                      (2-1)                        Tim Cahill
Gana-Alemanha                     (0-1)                         Mesut Oezil
Eslováquia-Itália                    (3-2)                          Vittek
Paraguai-Nova Zelândia          (0-0)                        Roque Santa Cruz
Camarões-Holanda                (1-2)                        Van Persie
Dinamarca-Japão                        (1-3)                         Honda
Portugal-Brasil                            (0-0)                         Cristiano Ronaldo
Coreia do Norte-Costa do Marfim  (0-3)                   Drogba
Suíça-Honduras                          (0-0)                    Noel Valladares
Chile-Espanha                            (1-2)                   Andres Iniesta
Uruguai-Coreia do Sul                 (2-1)                   Luis Suárez
Estados Unidos-Gana                 (1-2 a.p.)              André Ayew
Alemanha-Inglaterra                   (4-1)                  Thomas Müller
Argentina-México                        (3-1)                  Carlitos Tévez
Holanda-Eslováquia                    (2-1)                   Arjen Robben
Brasil-Chile                                (3-0)                   Robinho
Paraguai-Japão,                  (0-0) (5-3 gp)              Honda
Espanha-Portugal                      (1-0)                       Xavi
Holanda-Brasil                          (2-1)                    Sneijder
Uruguai-Gana                        (1-1) (4-2 g.p.)            Forlán
Argentina-Alemanha               (0-4)                      Schweinsteiger
Espanha-Paraguai                  (1-0)                        Iniesta
Uruguai-Holanda                    (2-3)                 Wesley Sneijder
Alemanha-Espanha                (0-1)                        Xavi
Uruguai-Alemanha                 (2-3)                    Thomas Müller
Holanda-Espanha                  (0-1)                      Andrés Iniesta

Primeiros passos
na escola do Barcelona

Andrés Iniesta entrou para o Barcelona em Setembro de 1996, aos 12 anos, depois de se destacar no torneio infantil de Brunete, no qual participou como jogador do Albacete Balompié. Em pouco tempo passou a ser uma das jovens promessas dos escalões de formação do clube catalão.Jogou durante duas temporadas na equipa B, até que que, na temporada 2002-03, estreou-se na equipa principal sob o comando de Louis van Gaal. Durante essa e a temporada seguinte, fez dupla categoria, jogando na segunda equipa e na equipa principal.

Na temporada seguinte, passou a fazer parte definitivamente da equipa principal, participando activamente na conquista do título de campeão da Liga Espanhola. Apesar disso, não foi titular habitual na maioria das partidas sob o comando de Frank Rijkaard, e quando jogava, era costume ser o primeiro a sair na metade do segundo tempo. Depois disso, só não jogou uma partida da liga e foi, ao participar em 37 jogos, o jogador mais activo, tal como Samuel Eto'o.

Em Maio de 2006, participou na final da Liga dos Campeões, na qual o Barcelona venceu e conquistou o segundo título. Inicialmente, a sua camisola era a 24, porém, mais tarde, surge com a 8, deixada por Giuly, número usado anteriormente nos escalões de formação.
Em Janeiro de 2008, renovou com o Barcelona até 30 de Junho de 2014, aumentando a sua cláusula de rescisão de 60 para 150 milhões de euros.

Mostrando o seu peso para a equipa, na temporada 2008/09 foi eleito como o quarto capitão, depois de Carles Puyol, Xavi Hernández e Víctor Valdés. Em 2009 tornou-se pública a lista definitiva dos concorrentes ao prémio de Melhor jogador do mundo pela FIFA 2008, onde Andrés Iniesta figurava como o mais novo integrante. Nas temporadas seguintes, mais títulos vieram para o clube catalão e Iniesta mostrava-se mais adulto na forma de jogar.

Com a chegada de Josep Guardiola ao comando da equipa, Andrés foi decisivo nas inúmeras conquistas do clube na temporada 2008-09, inclusive sendo considerado o melhor jogador da semi-final da Liga dos Campeões da UEFA, quando marcou o golo que qualificou o clube para a final, aos 93 minutos, contra o Chelsea. Na final, fez o passe para o golo de Eto'o, o primeiro da vitória sobre o Manchester United por 2-0.

Estreia na a selecção espanhola

Depois de ser convocado em duas ocasiões para jogos amistosos organizados pelo seleccionador nacional Luis Aragonés, a 15 de Maio de 2006, Iniesta foi finalmente incluído na lista dos jogadores que participaram do Mundial-2006. Estreou-se na selecção, realizando três partidas, sendo titular somente contra a Arábia Saudita. Na sequência, o maior êxito de Iniesta com a selecção espanhola foi quando conseguiu a titularidade durante o Campeonato Europeu de 2008, disputada na Áustria e Suíça. Foi o único jogador do conjunto espanhol que disputou todos os encontros.

A 29 de Junho de 2008, no Estádio Ernst Happel de Viena, sagrar-se-ia, com os seus 22 companheiros, campeão europeu, jogando contra a Alemanha (1-0 com golo de Fernando Torres). Apesar de um início fraco, a “Fúria” foi crescendo durante o torneio, e Andrés foi eleito um dos 23 integrantes da equipa ideal da prova pela UEFA, além do prémio de melhor jogador da semi-final contra a Rússia.

Voltando ao tempo, Iniesta tinha sido conhecido internacional já nos escalões de formação. Em  2001, foi titular nas selecções de base espanholas que ganharam tanto o Europeu de Sub-16 quanto de Sub-19. Dois anos depois, jogou a final do Mundial de Juvenil, nos Emirados Árabes Unidos, e eleito para a "Equipa das Estrelas" da prova. Posteriormente, foi elegido capitão da equipa de Sub-21.

Em 2010, no Mundial da África do Sul, foi autor do golo que deu o título ao seu país, no segundo tempo do prolongamento. Ao comemorar o tento, mostrou uma camisola com a seguinte mensagem: "Dani Jarque - Siempre con nosotros" em tributo ao seu amigo de selecção Daniel Jarque, que faleceu 2009. A FIFA elegeu-o como o melhor da partida.

Títulos
Barcelona
Mundial de Clubes da FIFA em 2009
Liga dos Campeões da UEFA em 2005-06 e 2008-09
La Liga: 2004-05 de 2005-06, 2008-09 e 2009-10
Super-taça Europeia em 2009
Super-taça da Espanha em 2005 e 2006
Taça do Rei da Espanha em 2008-09
Taças Catalunha em 2003-04, 2004-05 e 2006-07
Selecção Espanhola
Campeonato Europeu Sub-19 de 2004
Campeonato da Europa -  2008
Mundial-2010

Prémios Individuais
Eleito para a “Equipa das Estrelas” do Mundial de Juvenis-2003,   Emiratos Árabes Unidos.
Prémio Jugón de ouro 2007.
Prémio Carlsberg Jogador da semi-final do Europeu 2008,
disputado contra a Rússia, a 26 de Junho de 2008.
Eleito para a “Equipa ideal UEFA All-Star” do Europeu de 2008
na Áustria e Suíça.
Melhor jogador da Liga dos Campeões da UEFA de 2008-09.