Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Antigo seleccionador nacional coordena centro de treinamento

João Francisco -On-line - 05 de Junho, 2013

Etelvino Dias, 49 anos, actualmente quadro sénior da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) já passou pelas selecções nacionais dos escalões de formação.

Fotografia: Nuno Flash

Etelvino Dias é da geração de jogadores como Amaral Aleixo (no basquetebol), Mário Rui José, Mário Catango, entre outros basquetebolistas com quem jogou na extinta equipa da Anangola em Luanda. Etelvino Dias, 49 anos, actualmente quadro sénior da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) já passou pelas selecções nacionais dos escalões de formação.

Como atleta, Etelvino Dias chegou a defrontar jogadores como José Carlos Guimarães, José Assis, Lapa, Manuel Sousa “Necas”, Paulo Jorge, Paulo Madeira, Jean Jacques, Artur Barros, Paulo Sucakueche, entre outros que evoluíram entre a década 70 e 80.

Em 1982, apesar de ter ingressado nas Forças Armadas, no ramo da Marinha de Guerra, e colocado na província de Benguela, representou nos tempos livres a equipa sénior masculina do Sporting de Benguela.

“Durante a minha estadia em Benguela, enquadrei-me na equipa sénior do Sporting, onde joguei uma época sob o comando de Nelson Tavares “Chuinho” e fui companheiro dos irmãos Ike e Rico e o Docas, este último actual vice-presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Benguela”, recordou.

Aos 18 anos, Etelvino Dias começou a carreira como técnico na Textang, treinando os cadetes daquela agremiação, passando depois pelo grupo Desportivo da Banca, a convite do treinador João de Matos (já falecido) que exercia as funções de treinador da categoria de cadetes feminino.
“Quando ingressei no Grupo Desportivo da Banca o Miguel Lutonda era já um dos atletas que dava nas vistas em masculino naquela agremiação”, recorda-se ainda.

MOMENTOS
Passagem pelo GD Nocal trouxe mérito

Em 1987, Etelvino Dias transfere-se para o grupo Desportivo da Nocal, naquele que considera um dos momentos mais áureos da sua carreira, até porque levou consigo Miguel Lutonda e outros basquetebolistas que na altura estavam a ganhar um “lugar ao sol”, ao ponto de sagrar-se duas vezes campeão nacional de cadetes.

“Depois dos títulos que obtive como treinador de cadetes no GD Nocal, fui nomeado treinador  de juniores, com quem voltei a repetir a proeza de vencer dois campeonatos nacionais, passando a ser o treinador principal da equipa  sénior masculina da mesma agremiação, obtendo a terceira e quarta posições no Campeonato Nacional da primeira divisão, hoje denominado Bai-Basket”, frisou.

RECONHECIMENTO
O reconhecimento da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) seguiu-se depois e em 1997 nomeou Etelvino Dias para selecionador nacional dos sub-16, tendo como estreia os III Jogos da Lusofonia que decorreu em Maputo, em que Angola obteve a medalha de prata depois de disputar uma final inédita com Portugal, com resultado de 70-71, a favor dos anfitriões.

“Em 1998, depois da minha estreia nas selecções nacionais, fui nomeado adjunto da selecção de sub-18 masculina com o professor Nuno Teixeira e em 2000 voltei a coadjuvar o mesmo treinador  para os africanos da Guiné-Conacri na mesma categoria, numa célebre selecção com Olímpio Cipriano, Milton Barros e tantos outros com quem conquistámos a medalha de prata”, disse.

Na FAB, Etelvino Dias está colocado no departamento de projectos e desenvolvimento das modalidades a nível das Associações Provinciais, dando também o seu contributo na formação de quadros como professor que é com formação específica no basquetebol.

FORMAÇÂO
Cursos da FIBA
e bolsa de estudos

Em termos de formação especifica, Etelvino Dias frequentou em 1990 o curso de Nível I da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA), o de Nível II em 1999 e o curso internacional de nível III em 2000, a que se junta  mais de dez “clinics” com professores espanhóis, portugueses, americanos e brasileiros, dentro e fora do País. 

“Em 2004 e 2005 dirigi um projecto de massificação e desenvolvimento da modalidade na província do Kwanza-Sul, na equipa do Interclube local a convite de Francisco Paiva, na altura Comandante provincial da Policia.”

“Durante a minha estadia naquela província formei muitos jovens, com os quais participei em provas nacionais disputadas em várias províncias nas categorias de cadetes e juvenis, como nunca o Kwanza-Sul foi representado”, sublinhou.

Etelvino Dias beneficiou de uma bolsa de estudos da FAB em parceria com a Sonangol, para concluir a sua formação superior nos Estados Unidos, concretamente em Houston, no Estado do Texas.

“Actualmente em função da minha excelente prestação na formação nos EUA fui contratado pela FAB para pertencer aos seus quadros técnicos, passando a coordenar o centro especial de treino, orientar as selecções nacionais jovens e ministrar cursos de treinadores  e monitores  até aos níveis I, II e III”, acrescentou.

POR DENTRO
Nome completo: Etelvino de Fátima de Carvalho Dias
Filiação: Manuel Viegas Carvalho Dias e Maria Elvira de Carvalho Dias
Estado Civil: Casado
Filhos: quatro
Peso: 75 kg
Altura: 1,77 m
Prato Preferido: Feijoada
Bebida: Sumol de limão
O que faz nos tempos livres: Ver filmes e passear com a família
Número de Calçado: 42
Clube Preferido: Real Madrid
Cidade: Houston/Texas (EUA)
País: Estados Unidos
Religião: Católica
Ídolo: Barack Obama/ Michael Jordan
Alguma vez mentiu:
Sonho/desejo: Formação de todos os meus filhos