Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

As maiores transferências de jogadores em 2011

08 de Setembro, 2011

Kun Aguero transferido ao Manchester City por 45 milhões de euros.

Fotografia: AFP

O argentino Kun Aguero e a sua transferência do Atlético de Madrid para o Manchester City por 45 milhões de euros, fica registada como a maior transferência do mercado de Verão da temporada de 2011/12. No entanto através dos cada mais utilizados pagamentos por objectivos, a mudança de Radomel Falcao do FC Porto para o Atlético de Madrid pode atingir os 47 milhões de euros e destronar o primeiro lugar do argentino.

Num período de transferências marcado pelas cada vez mais numerosas movimentações e contactos por parte de clubes e agentes, registou-se um decréscimo no valor máximo pago por um jogador em relação ao ano anterior, onde a mudança de Torres do Liverpool para o Chelsea por 58,5 milhões de euros ocupou o primeiro lugar.

Após o recorde estabelecido por Cristiano Ronaldo em 20009/10 (94 milhões de euros), as maiores transferências anuais fixaram-se num patamar entre os 40 e os 60 milhões de euros, não sendo expectável que nos próximos anos esta fasquia venha a ser ultrapassada, tanto pelo rigor económico que a Europa atravessa, bem como pelos programas de equilíbrio financeiro planeados pela UEFA.

PSG de olho na
situação de Abidal

Éric Abidal ainda não acertou a renovação do contrato com o Barcelona e o Paris Saint-Germain mostra interesse em levá-lo para França,  escreve o jornal "Sport". De acordo com o jornal espanhol, o francês ainda não aceitou a renovação, já que não aceita que o contrato, previsto até 2014, seja renovado ano por ano, tendo em conta ainda o número de jogos em que participe. Abidal quer um contrato de dois anos, que lhe garanta a continuidade no clube até ao fim do contrato. O PSG está disposto em oferecer ao jogador um contrato de três anos.

Os proprietários dos
clubes da Premier League 2011

O segredo para o sucesso de uma liga de futebol como a Premier League assenta principalmente na capacidade financeira. No entanto a grande maioria dos clubes britânicos depende da generosidade dos seus proprietários e de avultados empréstimos para manter o nível desportivo actual. Para além da grande maioria dos clubes depender de capital estrangeiro, mais de metade das holdings está registada em paraísos fiscais espalhados um pouco por todo o mundo, contribuindo fortemente para a redução de contribuições fiscais nos seus resultados.

O Futebol Finance apresenta a lista dos proprietários dos clubes ingleses, quais as empresas envolvidas na sua aquisição e gestão bem como quanto dinheiro já injectaram nas suas administrações. Manchester United – Malcolm Glazer (USA). O americano Malcolm Glazer adquiriu 100 por cento do capital do clube por 928 milhões de euros, através da Red Football Limited Partnership e da Red Football General Partner Inc., empresas registadas no estado do Nevada beneficiando de baixos impostos.

Chelsea – Roman Abramovich (Rússia), Roman Abramovich detém 100 por cento do capital do clube. Desde que chegou ao clube o russo já injectou na equipa cerca de 847 milhões de euros, valor este que foi posteriormente convertido em acções do clube, detidas na sua totalidade pelo próprio. Manchester City – Sheikh Mansour Bin Zayed al Nahyan (EAU).

Sheikh Mansour Bin Zayed al Nahyan detém 100 por cento do capital do clube, através da Abu Dhabi United Group, empresa registada nos Emiratos Árabes Unidos. Sheikh Mansour já investiu cerca de 565 milhões de euros. Arsenal – Stan Kroenke (USA). Stan Kroenke é o accionista maioritário da Arsenal Holdings detendo 62 por cento do capital através da Kroenke Sports Enterprises UK (empresa americana). Nina Bracewell-Smith´s detém 15,9 por cento da holding.

A Red and White Securuties Ltd (sediada no paraíso fiscal de Jersey) detém 27 por cento do capital do clube. Tottenham – Joe Lewis (Inglaterra). Joe Lewis detém 70,6 por cento da Enic International Limited, empresa registada nas Bahamas que controla 85 por cento do clube. O presidente de clube Daniel Levy controla os restantes 29,4 por cento da holding.

A Enic apenas investiu 15 milhões de libras no clube (cerca de 17 milhões de euros) nomeadamente na emissão de novas acções.
Liverpool – John Henry (USA). O Americano John Henry, através da Fenway Sports Group detém 100 por cento do capital do clube. O empresário já investiu cerca de 165 milhões de euros, no Liverpool, nomeadamente no pagamento de juros relativos a empréstimos.