Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

As maiores transferências do futebol

21 de Julho, 2011

O desportista responsável pelo negócio mais caro fechado até agora

Fotografia: Reuters

O mundo dos cartolas da bola já foi mais agitado. Depois de uma temporada de recordes quebrados no ano passado, o valor das transferências de jogadores em solo europeu para os campeonatos 2010/2011 caiu - e muito.

O desportista responsável pelo negócio mais caro fechado até agora foi o atacante espanhol David Villa, artilheiro da Fúria no Campeonato do Mundo 2010, na África do Sul, segundo o ranking do site especializado Futebol Finance. Villa trocou o Valencia pelo Barcelona por 40 milhões de euros.

O espanhol pode até estar contente com a sua transferência, mas o português Cristiano Ronaldo, astro de campanhas de marcas famosas como Armani, com certeza ficou mais na temporada passada. A sua passagem do Manchester United para o Real Madrid movimentou 94 milhões de euros, a transação mais cara da história do futebol.

O seu agora companheiro de equipa, o brasileiro Kaká, com a sua saída do Milan por 65 milhões de euros, também movimentou uns bons milhões a mais. Villa, no entanto, pode gritar em alto e bom som o que nenhum deles pode. Em 2010, foi ele o campeão mundial. A Espanha ganhou o Mundial, com ou sem a ajuda do polvo Paul. A contratação de David Villa pelo Barcelona, hoje a base da seleção espanhola, coloca o jogador apenas como o responsável pela 15ª transferência mais cara da história.

Assim como no ano passado, o Manchester City, talvez o clube mais poderoso em termos financeiros do globo nesta altura, propriedade de um fundo de “private equity” dos Emirados Árabes, continua a ser o clube com o maior número de transferências entre as 25 maiores da temporada, com aquisições como as dos jogadores Touré, Balotelli, David Silva, Kolarov e Milner. Confira o valor das dez maiores transações da temporada europeia 2010/2011:


25 maiores transferências mundiais 2010/2011

Jogador   País  Vendedor Comprador   Valor em euros
David Villa  Espanha  Valência  Barcelona  40 milhões
Yaya Touré  C. do Marfim Barcelona Manchester City  30 milhões
Mario Balotelli  Itália  Internazionale Manchester City  29,5 milhões
David Silva  Espanha  Valência  Manchester City   28,75 milhões
Angel Di Maria  Argentina Benfica  Real Madrid  25 milhões
Aleksander Kolarov Sérvia  Lázio  Manchester City  22,7 milhões
Ramires   Brasil  Benfica  Chelsea   22 milhões
Yoann Gourcouff  França  Bordéus  Olympique Lyon  22 milhões
James Milner  Inglaterra Aston Villa Manchester City  22 milhões
Bruno Alves  Portugal  FC Porto  Zenith St. Petersburg 22 milhões


Coentrão o mais caro


Fábio Coentrão é, até ao momento, a transferência mais cara deste defeso. O Real Madrid desembolsou 30 milhões de euros para contratar o lateral português ao Benfica. O valor pago pelos merengues por Coentrão entra directo para o primeiro lugar, superando assim os 25 milhões de euros pagos pelo Manchester United ao Atlético Madrid pelo passe do guardião David De Gea. Os 30 milhões pagos pelo internacional português representam mais que o valor conjunto de todos os outros reforços garantidos pelo Real até ao momento. Sahin (10), Varane (10), Callejón (5) e Altintop (livre): total de 25 milhões.


Diego Capel
a caminho de Alvalade


Após quase uma década no Sevilha, Diego Capel está a mentalizar-se para o facto de abandonar a sua "casa" e rumar a Alvalade. O veloz e desequilibrador extremo-esquerdo negociou com o Sporting o seu ingresso no emblema verde e branco e “já tem a decisão praticamente tomada”, mas pediu mais umas horas para “meditar”, garantiu ao jornal "O JOGO" uma fonte próxima do negócio, que solicitou anonimato. Assim que Capel responder, viajará de imediato para Lisboa para as habituais formalidades (exames médicos, assinatura de contrato e apresentação oficial).

O negócio "está bastante adiantado" e falta só "acertar pequenos pormenores relacionados com o contrato", garantiram àquele jornal. Consumando-se a aquisição do jovem promissor - que em oito anos no Sevilha conquistou seis títulos (a maioria nos escalões de formação) e ainda recentemente se sagrou campeão europeu de sub-21 pela Espanha -, o plantel do Sporting fica praticamente fechado, salvo se surgir alguma oportunidade de negócio para dar mais soluções a Domingos.

No estágio realizado na Holanda, ficou patente a dificuldade do Sporting em flanquear pela esquerda com a dupla Evaldo-Djaló, e o internacional espanhol (foi chamado logo na primeira convocatória de Vicente del Bosque) vai colmatar essa lacuna, pois a sua especialidade são os desequilíbrios e idas à linha de fundo para cruzar, dando ao Sporting a possibilidade de adoptar outro estilo de jogo. Aos 23 anos, o espanhol vê o Sporting como uma aposta segura para relançar a carreira, em declínio após um início auspicioso nos andaluzes.


Empréstimo obrigacionista

O período de subscrição pública do empréstimo obrigacionista de 20 milhões de euros lançado pela SAD chegou ao fim com total sucesso, numa operação que os responsáveis do Sporting consideravam essencial para o futuro próximo do clube e da equipa de futebol. De acordo com as informações fornecidas à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o empréstimo foi subscrito na totalidade, dotando a empresa que gere o futebol verde e branco dos recursos pretendidos. Esta é apenas uma das medidas de curto prazo implantadas pelo novo presidente, Godinho Lopes, seguindo-se a constituição do fundo de jogadores, que também já estava prevista.


Gudjohnsen rumo ao AEK

Gudjohnsen assinou, na terça-feira, um contrato de dois anos com o AEK de Atenas. Apesar de nem a equipa nem o jogador revelarem qual o montante envolvido na transferência, a imprensa grega avançou que o ordenado do atacante vai rondar os 650 mil euros anuais. O islandês que já passou por alguns dos maiores emblemas mundiais, tais como o Barcelona e o Chelsea, e que até agora representava o Fulham, embarca aos 33 anos numa nova aventura, desta feita na Grécia.