Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Benfica e Sporting de Portugal gastaram mais no fim-de-ano

04 de Fevereiro, 2010

Benfica e Sporting foram mais dinheiro gastaram na aquisição de jogadores

Fotografia: AFP

Benfica e Sporting foram, juntamente com os italianos da Fiorentina, as equipas, entre as principais ligas europeias de futebol, que mais dinheiro gastaram na aquisição de jogadores, durante a reabertura do mercado de transferências. Os leões, com 11,3 milhões de euros, e as águias, com 8,8, terminaram o período de transferências no segundo e terceiro lugares, respectivamente, das equipas que mais dinheiro dispensaram, sendo apenas ultrapassados pela Fiorentina, que largou perto de 12 milhões.

Os dois grandes de Lisboa acabaram por superar equipas como Manchester City, Atlético de Madrid e Lyon, na corrida pelo pódio dos mais gastadores entre as oito principais ligas do velho continente (Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha, França, Portugal, Escócia e Holanda). No caso dos sportinguistas, e fazendo uma retrospectiva do que foi a última década, este foi mesmo o ano em que mais dinheiro gastaram na compra de novos jogadores:

Com os 3,6 milhões gastos na aquisição de Matias Fernandez no início da temporada, a "conta" ascende aos 14,9 e supera os 10,8 de 2001/2002. Já o Benfica, depois de ter despendido 25,7 milhões no começo da corrente temporada, iguala agora os valores de 2007/2008, naquele que foi o ano em que mais verba despendeu em jogadores, com um total de 34,5 milhões.

Pongolle entre transferências
mais caras na Europa

A transferência do internacional francês Sinama-Pongolle, do Atlético de Madrid para o Sporting, foi a quinta mais cara entre todas as transacções de atletas das principais ligas europeias, durante a reabertura do mercado. Os 6,5 milhões de euros pagos pelo Sporting na aquisição do ex-colchonero, aparecem destacados entre as transferências de todos os clubes das oito principais ligas do velho continente, no decorrer do recém-encerrado mercado de Inverno.

O negócio entre portugueses e espanhóis apenas foi superado pelas transferências do inglês Adam Johnson para o Manchester City, do argentino Eduardo Salvio para o Atlético de Madrid, do croata Dejan Lovren para o Lyon e do sérvio Adem Ljajic para a Fiorentina.
No que diz respeito às aquisições leoninas durante a última década, o avançado sportinguista é mesmo o segundo mais caro, apenas ultrapassado pelo chileno Rodrigo Tello, actualmente no Besiktas, que chegou a Alvalade em Janeiro de 2001, por sete milhões de euros.

A transacção do segundo jogador gaulês na história dos leões - sucede a Dider Lang, médio canhoto que passou por Alvalade em 1997/1998 - acaba por suplantar a do consagrado Mário Jardel, por quem o Sporting pagou 5,5 milhões, em 2001/2002.

Itália domina
mercado de aquisições

A Itália foi o país europeu que mais dinheiro gastou em transferências de futebolistas durante a reabertura de mercado, tendo os clubes daquele país dispendido cerca de 51 milhões de euros na aquisição de novos jogadores. Os clubes da primeira liga inglesa vêm em segundo lugar, com 38,7 milhões de euros investidos, sendo Portugal foi o terceiro país europeu que mais dinheiro gastou, num total de 24 milhões.

Numa altura em que muito se fala da crise económica mundial, os clubes da Liga Sagres a pouco ligaram à recessão e gastaram 23,9 milhões em transferências de atletas no "mercado de Inverno", que encerrou na segunda-feira, passada. A Liga Sagres começou a janela de transferências na “pole position2 das mais gastadoras, entre os principais campeonatos do velho continente, mas acabou atrás de Itália e Inglaterra, as duas ligas que mais dinheiro despenderam na reabertura do mercado.

O destaque português vai para o Sporting, após ter gasto perto de 11,3 milhões de euros nas aquisições do avançado ex-Atlético de Madrid Sinama-Pongolle (6,5), dos internacionais portugueses João Pereira (3), ex-Sporting de Braga, e Pedro Mendes (1,6), ex-Glagow Rangers, além do moçambicano Mexer (160 mil euros), proveniente do Desportivo de Maputo. No encalço dos "leões" aparece o Benfica, com 8,8 milhões despendidos nas contratações dos atacantes der Luís (3,5) e Alan Kardec (2,3), a Atlético Mineiro e Vasco da Gama, respectivamente, bem como do médio campeão brasileiro Airton (3), ex-Flamengo.

Os dois rivais lisboetas haviam gasto, no início da reabertura do mercado, quase tanto dinheiro como todas as equipas dos principais campeonatos europeus juntas, mas acabaram por ser suplantados pelo poderio económico das formações italianas e inglesas.
Além de águias e leões, o tetracampeão nacional FC Porto (3,4 milhões) e o actual líder da Liga, Sporting de Braga (50 mil euros), completam a contabilidade da Liga portuguesa, no que às aquisições no fim de ano diz respeito.

Os "dragões" resgataram o médio Ruben Micael ao Nacional da Madeira, por três milhões de euros, bem como o lateral esquerdo ghanês David Addy, aos dinamarqueses do FC Randers (400 mil euros por 50 por cento do passe), enquanto os bracarenses foram a Olhão buscar o lateral direito Miguel Garcia.