Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Button vence GP da Austrália

29 de Março, 2010

inglês Jenson Button, actual campeão da categoria, mostrou força e venceu

Fotografia: Reuters

A largada no circuito urbano de Alberto Park, em Melbourne, válido para o Grande Prémio da Austrália, foi tumultuada, com chuva e pneus intermediários. Enquanto Felipe Massa pulou da quinta para a segunda posição, uma sequência de acidentes tirou alguns pilotos da disputa e obrigou outros a visitarem os boxes logo na primeira volta.De forma audaciosa e inteligente, o brasileiro ganhou três posições e passou a perseguir a Red Bull do alemão Sebastian Vettel, o pole position. Poucos metros atrás, Button tocou a Ferrari de Alonso, que por sua vez atingiu a Mercedes do alemão Michael Schumacher.

Ainda na primeira volta, o japonês Kamui Kobayashi perdeu o controlo da Sauber, bateu no muro e em seguida atravessou a pista. No caminho até à brita, atingiu a Mercedes do alemão Nico Hulkenberg e a Toro Rosso do suíço Sebastien Buemi. Desta forma, os três pilotos foram obrigados a deixar a corrida. Atrás de Vettel e Massa, o australiano Mark

Webber, da Red Bull, completava o grupo dos três primeiros colocados. Depois do acidente, os campeões mundiais Fernando Alonso e Michael Schumacher, que trocou o bico nos boxes, caíram para as últimas colocações. Após quatro voltas com safety car, a corrida recomeçou.Pouco depois da relargada, Felipe Massa foi ultrapassado por Webber e Button foi o primeiro a colocar pneus para pista seca. Na nona volta, já sem chuva, muitos pilotos fizeram o mesmo.

CLASSIFICAÇÃO

   GP da Austrália 1. Jenson Button (ING/McLaren)
2. Robert Kubica (POL/Renault) 3. Felipe Massa (BRA/Ferrari)
4. Fernando Alonso(ESP/Ferrari)
5. Nico Rosberg (ALE/Mercedes)
6. Lewis Hamilton (ING/McLaren)
7. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India)
8. Rubens Barrichello(BRA/Williams)
9. Mark Webber (AUS/Red Bull)
10. Michael Schumacher (ALE/Mercedes)
11. Jaime Alguersuari(ESP/Toro Rosso)
12. Pedro De la Rosa (ESP/Sauber)
13. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus)
14. Karun Chandhok (IND/Hispania)

    NÃO COMPLETARAM

Timo Glock
(ALE/Virgin)
Sebastian Vettel (ALE/Red Bull)
Lucas Di Grassi (BRA/Virgin)
Adrian Sutil (ALE/Force India)
Vitaly Petrov (RUS/Renault)
Bruno Senna (BRA/Hispania)
Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso)
Nico Hulkenberg (ALE/Williams)
Kamui Kobayashi (JAP/Sauber)
Jarno Trulli (ITA/Lotus)


Nesse processo, o brasileiro da Ferrari perdeu posições para o alemão Nico Rosberg, da Mercedes, e para Kubica, que assumiu o terceiro posto, atrás de Vettel e do actual campeão do mundo.Na 16ª volta, Massa foi ultrapassado por Webber e Hamilton. Na sequência, o inglês tentou ganhar mais uma posição e tocou no australiano, que deixou a pista e passou pela brita. O ferrarista aproveitou o incidente e retomou a quinta colocação.

Na 23ª volta, no entanto, o piloto da McLaren não vacilou e conseguiu passar o brasileiro.Três giros depois, Vettel sofreu problemas mecânicos e passou recto em uma curva para deixar a prova no momento em que liderava. Desta forma, Button herdou a ponta. Para completar a festa da McLaren, Hamilton passou Rosberg e assumiu o terceiro lugar, atrás de Kubica. Nos boxes, os mecânicos da McLaren vibraram.

Sem ser ameaçado na liderança, Button abriu uma vantagem confortável em relação a Kubica. Massa e Alonso aproveitaram a segunda parada de Hamilton para assumirem a terceira e quarta posições, respectivamente. Apesar dos pneus extremamente desgastados, os dois ferraristas conseguiram segurar o inglês com apenas um pit stop.Na penúltima volta, Hamilton tentou a cartada final em cima do desafecto Fernando Alonso. O espanhol defendeu-se com habilidade, enquanto o inglês e Webber se tocaram. Com a disputa acirrada pela quarta posição, Massa manteve-se no terceiro posto e garantiu presença no pódio.

Schumacher e Rosberg
têm tratamento igual


O chefe da Mercedes, Norbert Haug, disse que a escuderia não vai dar prioridade a um piloto em detrimento do outro. De acordo com o jornal espanhol El País, Norbert afirmou que Schumacher não pediu em nenhum momento para ser o primeiro piloto da equipa e, mesmo que o alemão pensasse nisso, não haveria diferenças dentro da agremiação.

A Marcedes trata os dois pilotos com igualdade e Rosberg é tão número um quanto Schumacher, segundo Haug. O dirigente também disse que a volta do heptacampeão às pistas deu bom impacto à escuderia e que é importante por todos os títulos que já conquistou - mas é tratado em igualdade com Rosberg, voltou a repetir.

CONFORMAÇÃO

Após ficar apenas em décimo no GP da Austrália, na segunda prova após o retorno à Fórmula-1, Michael Schumacher mostrou-se conformado e lamentou o facto de ter sido tocado por Fernando Alonso logo no início da corrida. "Poderia fazer uma boa corrida, por isso foi uma pena ter sido atingido logo após a largada. O incidente decidiu a minha corrida, obviamente. Mas estas coisas acontecem e temos apenas de dizer:corridas são assim", disse.

O alemão tinha largado em sétimo lugar, mas perdeu posições após ser tocado e teve de fazer uma corrida de recuperação, com direito a uma disputa longa com Jaime Alguersuari, da Toro Rosso. Para Schumacher, a prova ao menos mostrou evoluções no carro da Mercedes.
 
"Tive de recomeçar a minha prova na última posição, mas devo dizer que me diverti muito e o nosso ritmo hoje (domingo) foi promissor", afirmou. Em certo momento, estávamos mais rápidos que os líderes. Foi bom para tomar referência. Podemos levar esta sensação para a próxima corrida, quando vamos olhar para a frente e mirar um outro desafio".

A garra de campeão

Numa corrida bem mais empolgante do que a primeira, o inglês Jenson Button, actual campeão da categoria, mostrou força e venceu ontem, domingo, o GP da Austrália de Fórmula-1, em Melbourne.O piloto da McLaren envolveu-se num acidente com o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, na primeira volta, mas recuperou-se para conquistar a vitória, a primeira com a nova equipa. Jenson Button foi sétimo no Bahrein.

O brasileiro Felipe Massa teve uma largada espetacular, pulou da quinta para a segunda posição, mas depois perdeu rendimento e encerrou a corrida na terceira, contabilizando o segundo pódio na época, atrás também do polaco Robert Kubica, da Renault. No Bahrein, o ferrarista foi segundo.

Com o resultado, o brasileiro diminuiu de cinco para quatro pontos (37 a 33) a diferença em relação ao líder Fernando Alonso, quarto na Austrália. O bicampeão fez uma corrida de recuperação depois de rodar na primeira volta e deu show. Porém, a sua reação parou em Massa, que segurou a pressão do companheiro.

A terceira posição em Melbourne é significativa para Felipe Massa, que não costuma ter sorte na Austrália. Desde 2002, na Fórmula-1, o brasileiro havia completado apenas duas das sete provas que correu naquele país, tendo como melhor desempenho a sexta posição da corrida disputada em 2007.

Terceiro no Bahrein, o inglês Lewis Hamilton, da McLaren, foi o sexto, atrás de Nico Rosberg, da Mercedes, que mais uma vez foi melhor que o heptacampeão Michael Schumacher, o décimo. Schumacher foi prejudicado por um acidente na largada e passou boa parte da prova a lutar para ultrapassar o espanhol Jaime Alguersuari, da Toro Rosso.

Os novatos brasileiros Bruno Senna e Lucas Di Grassi mais uma vez tiveram problemas e não completaram a prova. Rubens Barrichello, da Williams, fez uma corrida regular e terminou na oitava posição. Pole, o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, abandonou com problemas mecânicos.

"É MUITO ESPECIAL"

Campeão com a Brawn GP, no ano passado, o inglês Jenson Button conquistou a primeira vitória na McLaren. Após subir ao pódio no Grande Prémio da Austrália, o piloto de 30 anos de idade, teve dificuldades para expressar a felicidade."É muito especial. Demorei um tempo para me acostumar com o carro, mas a equipa tem sido fantástica e recebeu-me bem. É difícil colocar em palavras. É um sentimento muito especial e vamos tirar muito disso. Sinto que estou a ganhar confiança e espero que na próxima prova possamos fazer algo parecido", disse.

Button tem oito vitórias na carreira na Fórmula-1. No ano passado, o britânico conquistou o título mundial com seis triunfos. No entanto, não vencia desde que levou a melhor no Grande Prémio da Turquia, disputado no distante dia 7 de Junho de 2009.Em Melbourne, Button venceu graças a uma decisão própria. Depois de uma largada com chuva, foi o primeiro a parar para colocar pneus para pista seca. No momento em que todos os demais fizeram o mesmo, o inglês assumiu a ponta e não largou até ao final.
"Acho que é muito mais fácil para os pilotos sentirem as condições.

As equipas podem ver nuvens a chegar, mas podemos sentir o que está por vir. Não estava bem com os (pneus) intermediários, então pensei em colocar os slicks", afirmou.No começo, Button chegou a arrepender-se da decisão que o levou ao triunfo. "Quando vi que o pitlane estava molhado, pensei que seria catastrófico, mas depois que acelerei, foi muito bem. Foi uma decisão correcta e estou muito feliz por isso", afirmou.

Sexto colocado na Austrália, o inglês Lewis Hamilton chegou a reclamar ao final da prova e criticou a estratégia da McLaren por determinar duas paradas. Button, por sua vez, tem apenas elogios à equipa e garante que nunca pensou em visitar os boxes pela segunda vez."Não poderíamos ter feito uma estratégia melhor. A decisão do começo foi minha, mas com muitas informações do circuito.

Tenho de agradecer a McLaren por todo o trabalho duro. É bom ver o trabalho duro a dar resultado", disse.Com a vitória no circuito urbano de Albert Park, Button chega aos 31 pontos e assume o terceiro lugar do campeonato. O espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, lidera com 37, seguido pelo brasileiro Felipe Massa, o seu companheiro na escuderia italiana, que soma 33.