Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Cala faz sonhar associados

Joo Constantino, no Huambo - 31 de Julho, 2010

Cala a equipa sensao do Girabola

Fotografia: Joo Constantino

A excelente campanha que a equipa de futebol do Clube Recreativo da Caála está a fazer no Girabola’2010, na qual, à entrada da 19ª jornada, ocupa a segunda posição, está a encher de orgulho a massa desportiva na província do planalto central. Foram várias as vozes que se levantaram com júbilo pelo bom desempenho da equipa caalense, já considerada equipa sensação. Governantes, políticos e desportistas dizem que é necessário apoiar a equipa que está a elevar bem alto o nome da província, e uma dessas vozes é a do governador da província Faustino Muteka, que manifestou, recentemente, a sua satisfação em relação à prestação da equipa da Caála. O governador da província do Huambo mostrou-se surpreendido com a segunda posição que ocupa o Recreativo da Caála e exprimiu o seu contentamento durante um encontro que manteve com os agentes desportivos na província do Huambo.  O governante encorajou a direcção do Caála para continuar a trabalhar com rigor e profissionalismo, para que a principal equipa de futebol mantenha a senda triunfal e honre o nome do Huambo. “Se o Recreativo da Caála mantiver este ciclo de bons resultados, não tenho dúvidas que ainda pode vir a ser campeão nacional”, vaticinou. O secretário-geral da Associação Provincial de Futebol do Huambo, Jeremias Piedade, apesar de satisfeito, disse que não devemos dormir à sombra dos bons resultados da Caála no Girabola, mas vermos do que resulta esta boa campanha.“Logicamente, que é motivo de satisfação o actual segundo lugar que o Recreativo ocupa, mas não devemos dormir sobre estes resultados. Devemos incentivar e apoiar a equipa naquilo que for necessário”, disse. Euclides Cacinda, sócio da agremiação, mostrou-se satisfeito com a posição actual do clube, de que já foi secretário-geral e disse que é fruto de muito trabalho, empenho e dedicação da direcção do clube, atletas e treinadores.“Também é fruto dos investimentos feitos durante estes últimos dois anos. Estamos conscientes de que podemos fazer mais e melhor, desde que tenhamos condições para o fazer. Queremos voltar a ver a nossa equipa a jogar em casa, no nosso campo para darmos alegria aos adeptos, sócios e moradores do município da Caála”, disse.    Vice-presidente pede apoios para o clubeSe, no campo desportivo, tudo está no bom caminho com a segunda posição no Girabola, administrativamente as coisas não vão muito bem. O vice-presidente desportivo do clube, Moisés Feliciano, disse que a agremiação está a viver algumas dificuldades financeiras. Falando ao Jornal dos Desporto, o dirigente caalense disse já terem batido as portas do governo da província e aguardam que elas se abram.“Já solicitamos apoio ao Governo da província no sentido de apoiar a equipa da Caála em termos financeiros e estamos à espera de uma resposta satisfatória. Também solicitamos aos empresários, sócios e amigos do clube no sentido de ajudarem o Recreativo, que está a viver momentos difíceis”, disse o vice-presidente desportivo. Até agora, o clube da Caála vive do patrocínio exclusivo do Grupo António Mosquito, que este ano disponibilizou cerca e cinco milhões de dólares para o clube, dos quais já foram investidos cerca de três milhões para a reabilitação das infra-estruturas do clube. “A treinar e a jogar em campos emprestados, as despesas da equipa são muito altas. Se estivéssemos a jogar e a treinar no nosso campo, teríamos minimizado os gastos com o aluguer do campo”.   David Dias põe de parteluta pelo título NacionalLogicamente satisfeito com a actual posição actual da equipa no Campeonato Nacional, o técnico David Dias, à frente do clube há cerca de dois meses, afirma que não estão a lutar pela conquista do título, pois, a sua equipa vai até onde as outras equipas permitirem. “Quem sou eu para dizer que vou vencer o Campeonato Nacional? Estamos a trabalhar para vencer cada jogo, mas não podemos afirmar que estamos na luta pela conquista do título. Estamos a fazer o nosso trabalho e vamos até onde as outras equipas nos deixarem ir”, disse.Atribui ao trabalho árduo, a dedicação e o empenho dos seus atletas este sucesso que estão a fazer no Girabola. “O mérito é, sobretudo, da direcção do clube, que tudo tem feito para que nada falte aos atletas e equipa técnica. É um grande esforço que a direcção faz para podermos treinar regularmente num campo relvado e jogar no recinto desportivo que não é o nosso. Isso requer um grande exercício financeiro”, disse.David Dias mostrou-se satisfeito com os reforços contratados pela equipa para a segunda volta do Girabola, pois, como disse, os mesmos estão a corresponder às expectativas e torna-se sempre difícil escolher os 18 atletas para cada jogo, do lote de 29 atletas que compõem o plantel. Apesar do discurso moderado da direcção do clube e do técnico David Dias, os atletas do Clube Recreativo da Caála ambicionam lutar pelo título. O médio ofensivo Mendonça diz que tudo vão fazer para conquistar o título.“Se estamos na segunda posição, com possibilidades de vencer o campeonato, porque não começarmos a pensar nessa possibilidade?” - questionou.Mendonça tem conhecimento das dificuldades que a equipa vai encontrar pela frente, mas afirma que veio ao clube para o ajudar a ficar na melhor classificação possível. “Se tivermos que vencer o campeonato, que seja”,   disse. Convocação de atletasé fruto do trabalhoAs chamadas do médio Celson e do avançado Yulu, estreantes na Selecção Nacional Recreativo da Caála, é fruto do seu trabalho, disse o técnico David Dias em entrevista ao Jornal dos Desportos. Ambos atletas prometem não defraudar as expectativas que recaem sobre eles, já que pretendem seguir o exemplo do seu colega, o médio Dudu, convocado pelo técnico Manuel José, no ano passado, que jogou cerca de 30 minutos pela selecção num jogo amistoso. “Tudo vou fazer para merecer a confiança do técnico, tendo em vista não só este jogo amistoso diante da selecção do Uruguai, mas os futuros compromissos da selecção”, disse Celson Costa, acrescentando que “é sempre o sonho de um atleta representar a selecção do seu país”. Por sua vez, o avançado Yulu disse que tem trabalhado não com os olhos na Selecção Macional, mas com a intenção de ajudar o seu clube e mostrou-se surpreendido pela convocatória, prometendo dar o seu melhor para ficar entre os 18 atletas para o jogo diante do Uruguai.“Fiquei surpreso, mas contente com a convocatória, pois sempre desejei um dia jogar na selecção. Vou fazer de tudo para manter essa confiança do treinador e mostrar o meu valor”, frisou Yulu Cristian, ex-avançado do Bóston Sport dos Estados Unidos da América. No lote do atletas da Caála, no campo dos Kurikutelas onde os encontramos a treinar na última quarta-feira, o ambiente era de alegria e regozijo por uma vez mais, em menos de dois anos de Girabola, a equipa ter já fornecido três atletas à Selecção Nacional. Governo vai apoiarreabilitação do estádioO campo de futebol Mártires da Kanhala, afecto ao Cube Recreativo da Caála pode, dentro em breve, receber obras de reabilitação, pela mão do governo da província do Huambo. Bernardo Suca, director da Juventude e Desportos do Huambo, disse que o Governo da província já disponibilizou a verba para o efeito. “Estamos a preparar o documento para remetermos a concurso público, e tão logo seja ultrapassada essa questão, as obras do campo da Caála vão ter o seu início. Como a Caála está na primeira divisão, o programa de reabilitação do campo Mártires da Kanhala surge dentro do programa de investimentos do Governo provincial. O dinheiro já foi disponibilizado”, disse Bernardo Suca. O presidente de direcção do clube, Horácio Mosquito, referiu que a ajuda do Governo da província do Huambo é uma mais avalia, para o seu clube, que aguarda ainda outro material que pode vir da Namíbia.“Já investimos cerca de três milhões de dólares na compra de material de construção, que por alguns problemas administrativos ainda não chegou ao país, quando cá devia ter chegado desde o princípio do ano”, disse Horácio Mosquito disse ainda que o plano de obras da sua direcção não abrange somente o campo do futebol, mas todas as infra-estruturas do clube, como quadra de jogos, centro de estágio e sede social, entre outras dependências.