Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Campeo um homem de negcios

01 de Agosto, 2011

Foreman tornou-se profissional em 1969 com um knockout em trs rounds sobre Donald Walheim em Nova Iorque.

Fotografia: AFP

George Edward Foreman é um empreendedor e ex-pugilista americano, duas vezes campeão mundial de boxe na categoria pesos-pesados e com medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1968.  Os seus títulos mundiais foram de 1973 a 1994, sendo o último aos 45 anos, com um knockout ao pugilista de 26 anos Michael Moorer, no 10º round, e estabelecendo assim o recorde, ainda em vigor, de campeão com maior idade entre os pesos-pesados.

De 81 lutas, venceu 76, sendo 68 por knockout. Junto de Muhammad Ali e Joe Frazier, é considerado um dos maiores pesos-pesados de todos os tempos. Fez a sua última luta aos 48 anos, perdendo por decisão muito controversa. Foreman foi nomeado o 25º melhor lutador dos últimos 80 anos pela revista “The Ring” e o 20º melhor lutador de todos os tempos pelo canal de televisão ESPN. Apelidado de “Big George”, é actualmente um homem de negócios bem sucedido e um ministro cristão ordenado, que tem a sua própria igreja.

Foreman tem 10 filhos e cinco deles chamam-se George: George Jr., George III, George IV, George V, e George VI. Após encerrar a sua carreira desportiva, tornou-se um rosto popular do público das novas gerações, quando passou a dedicar-se à promoção de grelhas com o seu nome, na televisão. George nasceu numa família pobre, em Marshall, Texas, EUA, em 10 de Janeiro de 1949. Foi o quinto filho de sete crianças e, logo em pequeno, os seus pais aperceberam-se do seu talento durante os jantares de família, pois Foreman envolvia-se frequentemente em lutas com os seus irmãos.

A sua carreira de amador foi levada a sério na década de 1960, quando, em 1968, derrotando o pugilista soviético Ionas Chepulis, conquistou o título olímpico de boxe na categoria pesos-pesados (+81 kg) na cidade do México. Segundo Foreman, este foi o título mais importante da sua carreira, pois era jovem e estava a representar o seu país.

Carreira profissional

Foreman tornou-se profissional em 1969, com um knockout em três rounds sobre Donald Walheim em Nova Iorque. Com um total de 12 lutas nesse ano, venceu todas (11 das quais por knockout). Entre os pugilistas que derrotou, estavam Cookie Wallace, contra o qual a luta durou apenas 23 segundos. Em 1970, Foreman continuou a sua marcha em direcção ao título de pesos-pesados, vencendo todas as suas 12 lutas (11 por knockout). Entre os oponentes que derrotou, estava Gregório Peralta. Após esta vitória impressionante, Foreman derrotou Charlie Polite em quatro rounds e Boone Kirkkman em três.

Em 1971, venceu mais sete lutas, incluindo uma vingança com Peralta, a quem venceu por knockout ao décimo e último round, em Oakland, Califórnia, e uma vitória sobre Leroy Caldwell, que com knockout no segundo round. Após acumular um recorde de 32-0, Foreman foi classificado como o número um do boxe de pesos-pesados pela Associação Mundial de Boxe e o Conselho Mundial de Boxe. Em 1972, a sequência de vitórias continuou com uma série de cinco lutas consecutivas, nas quais derrotou cada adversário em três rounds.

No que foi a primeira transmissão de boxe da rede de televisão HBO, a chamada feita por Howard Cosell tornou-se uma das mais memoráveis de todos os desportos: “Frazier vai ao tapete! Frazier vai ao tapete! Frazier vai ao tapete!” Antes da luta, Frazier tinha um recorde de 29-0 (25 KO) e Foreman de 37-0 (34 KO). Igualmente memorável foi o soco final de George, um soco feito com tanta força que levantou Frazier do chão, antes de o atirar ao tapete no sexto e último round.

Frazier conseguiu levantar-se, como tinha feito nos anteriores cinco rounds, mas o árbitro Arthur Mercante deu por terminada a luta. Foreman, no entanto, admitiu depois que estava com medo de Frazier, antes da luta, e foi um estreito gancho de esquerda que o levou a terminá-la rapidamente. Por vezes, foi caracterizado pela imprensa como um campeão distante e anti-social. Segundo ela, George parecia ter sempre um sorriso de escárnio e frequentemente não estava disponível para falar aos jornalistas. Foreman atribuiria, posteriormente, o seu comportamento nessa época como uma emulação de Sonny Liston, de quem tinha sido um parceiro ocasional de boxe.

No entanto, passou a defender o seu título com sucesso duas vezes durante o seu primeiro reinado como campeão. A sua primeira defesa do título, em Tóquio, fê-lo competir contra o campeão de pesos-pesados porto-riquenho, José Roman, que não era considerado como um adversário de topo, e Foreman gastou apenas dois minutos para terminar a luta, um dos mais rápidos knockout numa final de um campeonato de pesos-pesados.