Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Campos e pavilhões subaproveitados

11 de Fevereiro, 2010

Os campos polivalentes existentes na cidade do Kuito (Bié) estão subaproveitados

Fotografia: Jornal dos Desportos

Recuperação exige elevados custos financeiros.

Os dirigentes desportivos da província do Bié não têm sido bem sucedidos nos esforços que empreendem para pôr termo à progressiva destruição das infra-estruturas desportivas, devido aos escassos recursos financeiros disponíveis, o que lhes tem custado críticas de certos círculos, que os acusam de pouco ou nada fazerem para a recuperação das mesmas. Os mesmos não reconhecem que os clubes locais e do país, em geral, vivem dificuldades financeiras decorrentes da falta de patrocinadores, e que por isso mesmo, as colectividades não tem capacidade financeira para recuperar as suas estruturas.

Os governos provinciais têm sido autênticos salvadores no que toca à recuperação de infra-estruturas desportivas. Dessa forma, no Bié, o governo local reconstruiu os pavilhões do Sporting Clube e o do Clube Vitória Atlético. Na mesma senda, reabilitou parcialmente os Estádios dos Eucaliptos, do Vitória e do Kunje. Construiu, ainda, várias quadras de jogos nos municípios do Kuito, Andulo, Kamacupa, Nharea e Kunhinga.

O governo tem ajudado, dessa forma, a reconstruir as infra-estruturas desportivas dos clubes que foram danificadas durante o conflito armado. É justo que o Estado dê apoio total na reconstrução dos recintos desportivos. Cabe aos clubes, agentes desportivos, dirigentes, desportivas e população preservar esses bens para o benefício de todos. De referir que a nível do Bié, praticam-se modalidades como o futebol, o futebol de salão, o basquetebol, o andebol, atletismo o voleibol, xadrez, a ginástica, modalidades de luta (boxe, karaté-dó e judo).

Por falta de financiamento e de patrocínios por parte de alguns clubes, os campeonatos provinciais de andebol, basquetebol, voleibol, xadrez, entre outros, não se tem realizado. Para a presente época desportiva, a Direcção Provincial dos Desportos pretende dar continuidade ao programa de massificação, alargando-o a todos os municípios e comunas. Pretende, também, consolidar o relançamento do desporto de rendimento, através do apoio do reforço institucional às associações e clubes, apoiar a realização de campeonatos provinciais nas modalidades de futebol, andebol, basquetebol, ginástica, xadrez e atletismo, bem como as modalidades de combate.

A conclusão das infra-estruturas desportivas, mormente o Estádio dos Eucaliptos, o Campo do Vitória Atlético Clube e o campo de futebol da Comuna do Kunje consta, igualmente, do projecto da Direcção Provincial da Juventude e Desporto para o presente ano, assim como a formação de técnicos, dirigentes desportivos e árbitros para as diversas modalidades.

O Governo do Bié reabilitou e construiu várias quadras de jogos nos últimos dois anos. Desde então, muitos citadinos, principalmente os jovens, passaram a explorá-los da melhor forma, efectuando neles ginástica de recreação, jogos de futebol de salão, de andebol, de basquetebol, entre outras modalidades. Passados dois anos, as infra-estruturas estão degradadas. Os campos polivalentes correm o risco de desaparecer, caso as autoridades locais não tomem medidas urgentes para contornar a situação.

As estruturas desportivas clamam por maior atenção. Os pisos dos campos encontram-se em mau estado de conservação, as redes de vedação destruídas, assim como as balizas e as tabelas de basquetebol. As portas e janelas foram arrombadas e os balneários apresentam um aspecto horrível. Pelo quadro exposto, não restam dúvidas de que se torna necessário uma intervenção urgente, até porque a cidade do Kuito quer voltar a ter o protagonismo de outrora, com a realização anual de campeonatos nacionais nas diferentes categorias e modalidades.

Mas vamos aos exemplos. Os campos polivalentes do ex-Instituto Médio de Saúde "Comandante Bula" são exemplo do que estamos a retratar. No local, as redes de protecção estão danificadas, as balizas e as tabelas deixaram de existir. Só se ouve o coaxar das rãs e o zumbido dos mosquitos e vêem-se meninos a brincar. Já nos Campos do Centro Pré-Universitário do Kuito " Nduduma", o piso encontra-se em bom estado, assim como as bancadas, mas os escritórios e balneários dos atletas foram transformados em casas de banho públicas. Actualmente, é difícil utilizá-los, devido aos dejectos ali existentes, que deitam um cheiro nauseabundo.

Os vidros, janelas e portas estão danificados. No campo do Vitória Atlético Clube, o cenário não foge à regra. As suas bancadas estão ainda intactas, tal como o piso e as grades de protecção, mas o mesmo não se pode dizer das tabelas de basquetebol, completamente danificadas por falta de controlo dos proprietários. As quatro quadras do Complexo Desportivo dos Irmãos Maristas, pertencentes à Igreja Católica, que também beneficiaram de obras de reabilitação em 2008, estão parcialmente destruídas. Soubemos de uma fonte que o impasse reside na decisão sobre o modo como o recinto deve ser gerido e por quem. Não é este, certamente o espírito que presidiu a vontade de recuperar os campos polivalentes da província. 

Um retrato escrito da província

A província do Bié situa-se no Centro-Sul de Angola. A cidade do Kuito é a capital, também conhecida por cidade invicta, devido ao cerco que sofreu em 1993-94, após a realização das primeiras eleições multipartidárias em Angola. Bié possui nove municípios que são Kuito, Kunhinga, Katabola, Kamacupa, Cuemba, Chinguar, Chitembo, Andulo e Nharea. Província situada ao centro de Angola, o Bié possui uma superfície 70.314 quilómetros quadrados.

A população estimada em dois milhões de habitantes e maioritariamente camponesa, sendo os produtos mais cultivados o milho, feijão, o café, arroz, as batas rena e doce, o trigo e a massambala. As línguas mais faladas são o português, umbundo, tchokwe, ngaguela, luimbi e songo. O clima é tropical húmido e de altitude, com duas estações: o Inverno seco e Verão quente. A temperatura média anual é de 19 graus Celsius.

A flora e a fauna são diversificadas. A província possui uma rede hidrográfica extensa, com destaque para os rios Kwanzas, Luando, Kunhinga e Kune. Joaquim Kapango é o nome do aeroporto.  Existem cinco linhas rodovárias que ligam a província ao Huambo, Kwanza-Sul, Kuando Kubango, Malanje e Moxico. Após a Independência Nacional, a província era considerada como a segunda potência nacional no que toca ao desenvolvimento desportivo.

Tanto no passado quanto no presente, o Bié é palco de vários campeonatos nacionais de andebol, basquetebol, hóquei em patins. Também já albergou um torneio internacional de hóquei em patins, em que participaram as equipas portuguesas do Sporting Clube e Sport Lisboa e Benfica. Já acolheu uma fase final do “Nacional” de futebol na categoria de juniores, uma fase final da Taça de Angola em hóquei em patins, provas nacionais de atletismo, motocross, circuito motorizado e tiro aos pratos.

 No que toca ao futebol de alto nível, a província teve, até agora, três representantes na primeira divisão, o Girabola, designadamente o Vitória Atlético Clube e o Juventude do Kunje, que disputaram a primeira edição realizada em 1979. Depois, foi a vez do Sporting, que já marcou presença na prova maior do nosso futebol por quatro vezes, isto em 1987, 1999, 2001 e 2005, respectivamente.
Álvaro Boavida Neto é o actual governador provincial.

Falta de estratégias
emperra desenvolvimento 

A falta de políticas e estratégias para a conservação dos campos polivalentes da cidade do Kuito está na base da degradação dos mesmos. E, quando se fala de falta de estratégia, baseia-se em dois factores principais: a criação e o melhoramento das infra-estruturas e uma atenção especial às já existentes. Em alguns casos, existe um certo desprezo e abandono das infra-estruturas existentes, afectando, desse modo, o desenvolvimento das diferentes modalidades.

É, naturalmente, com a preservação dos espaços existentes e a construção de outros que o desporto local via desenvolver. A Direcção da Juventude e Desportos do Bié deve definir estratégias adequadas para a conservação do património desportivo local. É importante a conservação, protecção e manutenção das estruturas desportivas, porquanto vão permitir o surgimento por estas paragens de novos talentos para representar e engrandecer as nossas selecções nacionais, nas diversas modalidades.