Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Candidata angolana dupla de arbitragem no mundial que o Pas vai realizar

Joo Francisco - 18 de Maio, 2013

Patrcia Lara da Costa, 36 anos par de Maria Antnio nicas profissionais do apito rbitras internacionais de Hquei em Patins

Fotografia: Jornal dos Desportos

Não só em Angola, como noutros cantos do mundo, contam-se pelos dedos das mãos ou dos pés, o número de mulheres que enveredam pela carreira de arbitragem no desporto e, quando se trata daquelas que atingem a categoria internacional, então é de se tirar o chapéu.
Patrícia Lara da Costa, 36 anos é par de Maria António únicas “profissionais do apito” árbitras internacionais de Hóquei em Patins, habilitando-se a serem indicadas como uma das duplas de três árbitros que o País pode eleger por organizar o 41º Campeonato Mundial de Hóquei de 20 a 28 de Setembro próximo.
Com relação à experiência nas lides de mundial Patrícia da Costa já conta com seis actuações, enquanto Maria António é árbitra internacional apenas desde o ano passado altura em que teve a sua prova de fogo nos Campeonatos Centro Americanos de 2012,onde obteve a consagração.

POLIVALÊNCIA
Patrícia Costa tem formação desportiva enveredando para a área de arbitragem de Hóquei em Patins e para o Dirigismo Desportivo. No Hóquei em Patins tem o Nível I. Além de ser árbitra internacional, Patrícia Costa pratica outros desportos como, o próprio Hóquei em Patins, Ginástica Acrobática, Tae- Kwon - dó e Futsal, onde de vez em quando ainda faz o gostinho ao pé,demonstrando a sua polivalência como atleta..
“Comecei a praticar desporto no Petro de Luanda onde fiz Ginástica Acrobática e onde também pratiquei Hóquei em Patins. Por motivos académicos estive ausente por um período de 6 anos, acabando depois por praticar Tae-Kwon-Dó, tendo contraído uma lesão que me levou a desistir.   No meu regresso, depois de debelar  a lesão, comecei a praticar Futsal até à presente data”, confirmou.


PING PONG
“É preciso repensar
o Hóquei em Patins”


Jornal dos Desportos: Há quanto tempo colabora com a Federação Angolana de Patinagem?
Patrícia da Costa:
Faço parte dos membros federativos desde 2005. Praticamente há oito (8 anos).

JD: O que é para si ser árbitro(a) desportivo?
PC:
O Árbitro está para o jogo, como o homem está para a sociedade. O meu trabalho enquanto árbitro tem sido o espelho daquilo que sou como pessoa, pois não tenho como separar as duas pessoas. Tecnicamente, por vezes tenho de ser bastante pedagógica na resolução de alguns casos. Trabalho com muita integridade e carácter.

JD: O que se passa com o Hóquei em Patins feminino? 
PC:
Acho que o renascimento do hóquei em patins feminino, em Angola, para além da massificação que terá de ser repensado para ser bastante activo. Acho que deveria passar por uma estratégia do próprio Ministério da Educação em parceria com o Ministério da Juventude e Desportos, tornando-o numa modalidade para educação física, ou extra curricular.

JD: Acha que Angola pode vencer o 41º Campeonato Mundial de Hóquei em Patins?
PC:
Sinceramente falando e como conhecedora da modalidade, acho que não. Poderemos almejar um lugar no pódio mas vencer não.

JD: Quer fazer um prognóstico em relação aos principais favoritos no Mundial de Hóquei em Patins?
PC:
Aponto a Espanha como principal favorita, e Portugal ou argentina para o 2º lugar.

JD: Para si quais são as reais capacidades de Angola no Mundial de Hóquei em Patins?
PC:
Angola, tem um bom conjunto e bons executantes, acredito numa boa classificação, já que no hóquei estou habituada a isso. Acho que temos a possibilidade de subir ao pódio, senão, pelo menos a de alcançarmos a melhor classificação de sempre (o 6º Lugar).

JD: Qual é a mensagem que deixa aos amantes da modalidade, em particular e do desporto, em geral, à propósito do evento?
PC:
Aos amantes da modalidade deixo uma palavra de apreço, e coragem. Aqueles que ano após ano, têm lutado para o engrandecimento desta modalidade, que em Angola ainda vive meio na sombra, mas que tem pessoas com vontade de fazer desporto.
O Desporto é a actividade capaz de unir várias culturas, várias religiões, de regenerar pessoas, de formar um homem nas mais diversas áreas da sua personalidade, cria destreza mental ao indivíduo. Para além de ser uma forma de entretenimento para os praticantes e para os espectadores o desporto cria lazer. Vejo espaços de desporto a serem destruídos mas não vejo outros espaços serem criados. Estamos a matar o desporto e devemos ter isso em atenção. Amputamos o Basquete, amputamos o futebol e espero continuar a a orgulhar-me do Andebol, senão a nossa auto estima a nível de desporto irá morrer e com isso um pouco a alegria do povo angolano, que é uma das únicas coisas que ainda nos resta.


ACONTECIMENTO

Campeonato Mundial representa motivo
de orgulho para todo País


Para Patrícia da Costa, a realização do Campeonato Mundial de Hóquei em Angola deverá primeiramente representar um motivo de orgulho para todo o angolano como/ Auto-Estima Nacional.
“ A realização do Campeonato Mundial, aumentará a capacidade de promoção do desporto, as infra-estruturas criadas servirão para a prática do Desporto, por parte dos jovens que queiram iniciar a vida Desportiva”, acrescentou.
Noutro ângulo, segundo Patrícia Costa “Tucha”, é o acontecimento mais mediático que já começou a mexer com o País e, não só “será também um momento propício para ampliar a exposição do país no exterior”.
“Economicamente, o Mundial de Hóquei em Patins, poderá gerar interesses de investimentos para o crescimento financeiro em Angola”, disse ainda.


MOMENTOS
Participação
nos Mundiais


Segundo Patrícia da Costa, dos seus momentos mais marcantes enquanto desportista, foram as suas participações em campeonatos do mundo.
 “Actualmente, posso considerar-me feliz por ter apitado já várias provas, nacionais e internacionais e almejo apitar a prova maior e única que me falta, que será o campeonato do Mundo”, frisou.
Para aquela profissional de arbitragem, a sua experiência é, o resultado de uma vivência desportiva activa ao longo dos anos, lhe assegura tranquilidade para encarar os futuros compromissos que se avizinham.
“ Não apenas como Árbitro mas também como dirigente desportivo, tenho conhecimentos suficientes para abordar a modalidade, a partir dos seus pontos fortes e das suas fragilidades”, garantiu.


POR DENTRO


Nome completo: Patrícia Lara Amaro da Costa
Filiação: Augusto Santana da Costa Neto e de Maria Raúl Amaro da Costa Neto.
Data e local de nascimento: 26/11/1976 / em Luanda.
Estado civil: Solteira.
Filhos: ainda não
Peso: 68 kg
Altura: 1.69m
Calçado: 39
Prato preferido: Funje de carne seca / bacalhau com natas.
Bebida: Sumo de laranja.
Clube: 1º de Agosto.
Alguma vez mentiu: sim.
O que faz nos tempos livres: vejo desporto, prático e estou com a família ou com amigos.
Religião: Católica.
Perfume: Ange au Demon (givenchy ).
Tem carro próprio: não.
Tem casa própria: não.
Sonho: ser socialmente reconhecida.
Tem ídolo, quem? desporto: Miguel Lutonda e Odete Tavares
Música (os): Yola Semedo/Rui Veloso.