Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Candidato angolano dupla de arbitragem no mundial que o Pas vai realizar

Joo Francisco - On-line - 11 de Maio, 2013

O rbitro internacional, Nascimento Pedro Jnior, 41 anos um dos provveis juzes

Fotografia: Jornal dos Desportos

Quando falta pouco mais de cento e trinta dias para o primeiro Campeonato Mundial de Hóquei em Patins que Angola vai organizar todos se esmeram em olear a maquina organizativa, não fugindo à regra a arbitragem, onde segundo os regulamentos o País anfitrião tem o privilégio de indicar três dos doze (12) árbitros que estarão presentes para ajuizar o evento.  

O árbitro internacional, Nascimento Pedro Júnior, 41 anos é um dos prováveis juízes a serem indicados pela Federação Angolana de Patinagem (FAP) para fazer dupla angolana na prova com Patrícia da Costa ou Jorge Borges, que são os juízes mais referenciados. Patrícia Costa esteve recentemente em Montreux na Suiça a fazer um refrescamento.  Nascimento Júnior considera que a realização do Campeonato Mundial de Hóquei em Patins em Angola será uma grande oportunidade mostrar o País e particularmente, o desenvolvimento desportivo.


MOMENTOS
Mundial do Grupo B de 2008 na África do Sul


Para Nascimento Júnior será um momento memorável estar presente num evento dessa envergadura, que em termos de emoção faz paralelismo ou comparação com aquele que viveu quando ajuizou o Campeonato do Mundo do Grupo B, disputado em 2008 na África do Sul, onde chegou a ser nomeado para o jogo da meia-final da classificativa para o terceiro lugar.  

“Fruto dessas participações em outros torneios internacionais, bem como em Campeonatos Provinciais, Nacionais, Taças de Angola, acumulamos uma experiência de oito anos de carreira profissional na arbitragem, que nos permite estar muito à vontade em relação aos próximos desafios que se avizinham”, assegurou.

Para Nascimento Júnior, que a par de Carlos Freitas, foram os únicos que até agora arbitraram mundiais do Grupo B-, qualquer um dos árbitros internacionais que fôr indicado para fazer dupla no 41º Campeonato Mundial de Hóquei e Patins estará à altura do evento.  “Actualmente a FAP controla dezoito árbitros, entre os quais seis de categoria internacional, quatro nacionais, dois provinciais e seis estagiários, que têm sabido servir as necessidades da modalidade com competência”, confirmou.


CARREIRA
Árbitros para atingirem a categoria
internacional têm que passar por todas as fases


Na FAP, Nascimento Júnior é vogal do Concelho Central de arbitragem, tem como tarefa especifica a formação de futuros árbitros ou transmitir conhecimentos à outros profissionais que lidam com a modalidade. Como prelector, aliais aconteceu nos dias 06 e 07 deste mês realizou-se uma acção formativa para jornalistas,em que na companhia da também arbitra internacional Patrícia Lara da Costa “Tucha”,  dissertou sobre diversos aspectos das regras do Hóquei em Patins, acção levada a cabo pela administração da Angop.  

O referido formador revelou que os “profissionais” de arbitragem no Hóquei em Patins para atingirem a categoria internacional são submetidos a testes feitos em língua espanhola, sob a égide do Comité Internacional de Arbitragem ( CIA), com sede na Espanha e, afecta à Federação Internacional da modalidade ( FIRS), que também se encarrega de nomear os árbitros para os Campeonatos Mundiais.  Segundo ainda Nascimento Júnior, Maria António e Sérgio Zumba, são os mais recentes árbitros angolanos promovidos à categoria internacional no Brasil,por altura do Campeonato Centro Americano, onde Maria António teve inclusive a sua primeira experiência ao arbitrar aquele evento.

De resto, o próprio Nascimento Júnior, Patrícia Lara da Costa, Jorge Borges e Hedefildio Cipriano, são árbitros internacionais desde 2006. O ex- árbitro internacional Carlos Freitas, entre outros árbitros angolanos que atingiram a mesma categoria no passado já não contam nas estatísticas actuais da CIA.
“Para ser árbitro internacional, o candidato começa como estagiário, onde tem que fazer provas da sua capacidade durante um ano para ascender a árbitro provincial, fazendo a mesma trajectória e tempo para promoção a juiz nacional e, só depois de três anos é que poderá concorrer ao teste do CIA”, concluiu.


PING PONG
“Não vamos vencer o Campeonato Mundial de Hóquei mas vamos fazer uma boa prova”

Jornal dos Desportos: Acha que Angola pode vencer o 41º Campeonato Mundial de Hóquei em Patins?

Nascimento Júnior: Não. Ainda é muito cedo para pensar nesta possibilidade. Mas tenho certeza que vamos fazer um bom Campeonato Mundial e, talvez subir ao pódio.

JD: Quer fazer um prognóstico em relação aos principais favoritos no Mundial de Hóquei em Patins?
NJ:
Espanha, Portugal, Argentina, Itália são os principais favoritos.

JD: Para si quais são as reais capacidades de Angola no Mundial de Hóquei em Patins?
NJ:
Temos tudo para fazer um bom Campeonato, mas isto não significa que vamos ganhar, realisticamente falando. 

JD: Qual é a mensagem que deixa aos amantes da modalidade à propósito do evento?
NJ:
Vamos aproveitar o mundial para aprendermos mais e nos deliciarmos com o melhor do Hóquei mundial.

JD: O que lhe vai na alma ?
NJ:
Agradecer a Administração da Angop pelo convite formulado a mim e à minha colega Patrícia Lara da Costa “Tucha”, pela acção formativa que acabamos de dissertar para jornalistas nacionais e, desejar um bom Campeonato Mundial a todos.


POR DENTRO

Nome completo: Nascimento Pedro Júnior
Filiação: Nascimento Pedro e de Francisca Júnior
Nascimento: Luanda, aos 03 de Fevereiro de 1972
Estado Civil: Solteiro
Filhos: Cinco (5)
Altura: 1.77 m
Peso: 78 kg
Calçado: 42
Prato: Bife com batata frita
Bebida: água e sumos
Tempos livres: Ver jogos e ouvir música
Clube do coração: Inter Clube
Perfume: Azzarro ou Givenchy
Alguma vez mentiu: Sim
Religião: Católico
Carro Próprio: Sim
Casa própria: Não
Sonho: Ver os meus filhos formados
Tem ídolo, quem: Sim, Deus.