Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Ciclista do Zango que quer ser campeão nacional

Simão Kibondo - One-line - 05 de Abril, 2013

Adilson Moisés Neto, do Núcleo do Rangel

Fotografia: Simão Kibondo

O ciclista Adilson Moisés Neto, do Núcleo do Rangel, equipa treinada por Paulo Sérgio, mais conhecido por Paulo Nick, está a ser cobiçado pelos clubes grandes da capital, como a Escola David Ricardo, podendo optar pelo que oferecer melhores condições.

Adilson Neto, 19 anos, pratica ciclismo há apenas um ano, desde Fevereiro de 2012, tendo já participado em quatro provas, com classificações modestas nas provas oficiais da Associação Provincial de Ciclismo de Luanda (APCIL).

Apesar das suas modestas classificações, Adilson Neto quer ser campeão de ciclismo de Angola, nem que para isso tenha que depender de apoios de terceiros.
“Para isso só preciso de treinar regularmente. Ter uma boa bicicleta e não perder de vista que para ser um bom ciclista tem que se cumprir determinadas regras.
Aconteça o que acontecer nunca vou recorrer a substâncias proibidas para melhorar o meu rendimento desportivo”, disse.

O ciclista, que além do desporto, é estudante e profissional de máquinas no Zango, tem tido a colaboração da empresa LMB–Comercial, para conciliar as suas actividades.

 “Quando tenho provas de ciclismo peço uma dispensa à gerência da empresa LMB- Comercial. Quando tenho actividades profissionais muito exigentes na empresa, que me obrigam a permanecer no local de serviço, também sou dispensado das actividades desportivas”, revelou.

Em termos de treino diário, Adilson Neto revelou ainda ao Jornal dos Desportos que efectua diariamente 36 quilómetros em 49 minutos na via Calumbo, depois do Zango, numa zona em que existem algumas subidas e descidas, entre outras adversidades do trajecto, que lhe permitem analisar o seu estado de forma.

COMPETIÇÕES OFICIAIS
Participações modestas em provas


Adilson Neto reconhece que ainda não teve as participações que deseja para atingir o que almeja em termos de competições de ciclismo e pretende fazer tudo o que estiver ao seu alcance para concretizar o seu objectivo.

“Até agora o meu melhor resultado foi um sétimo lugar em provas de estrada em direcção à Barra do Kwanza e o mesmo resultado numa prova disputada na Cidade do Kilamba. Também participei na última edição das Festas do Mar do Namibe de 2013, onde apesar da classificação não ter sido a mais desejada tive um sentimento agradável só pelo facto de ter participado”, disse.


PING-PONG
“ Estou a ser cobiçado por outras equipas de Luanda”


Jornal dos Desportos: Quem mais admiras no ciclismo angolano?
Adilson Neto:
O Igor Silva, por ser o campeão Nacional e em Luanda os ciclistas como Osvaldo Jacinto, entre outros que não convém mencionar.
 
JD: Soubemos que estás a ser cobiçado por algumas equipas da capital…
AN: Sim.
A equipa David Ricardo já me convidou e participei num treino colectivo da equipa.

JD: Não pensas sair da equipa do Rangel tão cedo?
AN:
Estou a depender de muita coisa, do comportamento da equipa, do treinador e das propostas que podem apresentar no futuro as equipas interessadas nos meus préstimos.

POR DENTRO

Nome completo:
Adilson Moisés Eduardo Neto

Filiação: Moisés António João Neto e Henriqueta Eduardo

Local e Data de Nascimento: Luanda, aos 31 de Dezembro de 1993

Estado civil: Solteiro

Irmãos : Um (Pedro Eduardo Domingos)

Altura: 1,68m

Peso:42 kg

Calçado:39

Tempos Livres: Piscina e assistir a jogos de futebol

Prato: Funje de carne de caça

Bebida: Água e gasosa

Carro próprio: Não (bicicleta oferecida pela FACI)

Casa: Espero que me ofereçam uma casa na Cidade do Kilamba quando for campeão de Ciclismo

Perfume: Toda a linha para homens

Recorres a mentiras: Às vezes

Clube do coração: Núcleo de Ciclismo do Rangel

Cidade: Paris

País de sonho: França

Ídolo: Em Angola, o treinador Paulo Nick. Ainda os ciclistas Igor Silva, Dário António e Epalanga. No estrangeiro, o ciclista espanhol Alberto Contador

Sonho: Quero participar no Tour de França, Tour de Espanha, nos Jogos Panafricanos, em representação de Angola e do continente africano.