Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Ciclista Floyd Landis confessa recurso ao doping

23 de Maio, 2010

norte-americano Floyd Landis, que perdeu o título do Tour-2006

Fotografia: Reuters

O norte-americano Floyd Landis, que perdeu o título do Tour-2006 após um controlo positivo, confessou a utilização de substâncias ilícitas durante a sua carreira e acusou outros corredores, entre os quais o compatriota Lance Armstrong. Landis enviou mensagens, através de correio electrónico, para diversas instituições do ciclismo e a patrocinadores, nas quais admite e pormenoriza a utilização sistemática de doping, assegurando que outros corredores participaram nas mesmas práticas, incluindo o sete vezes campeão da Volta a França. Segundo uma reportagem do The Wall Street Journal, que teve acesso a várias destas mensagens, enviadas entre 30 de Abril e 06 de Maio, Landis concretizou esta denúncia tanto à federação norte-americana da modalidade, como à União Ciclista Internacional (UCI). Nas suas mensagens, Landis, que acusou testosterona durante a "Grande Boucle" de 2006 e foi suspenso por dois anos, manifestou, agora, depois de ter negado inicialmente a utilização de produtos proibidos, a sua frustração pela incapacidade de as agências que lutam contra o doping em conseguirem limpar a modalidade. Landis reconhece que, tanto ele, como outros ciclistas norte-americanos, aprenderam a realizar transfusões sanguíneas, tomaram eritropoietina (EPO) e usaram esteróides para melhorar o rendimento desportivo. Na missiva enviada ao presidente da federação norte-americana, Stephen Johnson, o corredor revela que o director desportivo de Armstrong, Johan Bruyneel, o iniciou no uso dos combinados de esteróides, das transfusões e da hormona de crescimento em 2002 e 2003, quando alinhava na US Postal. De acordo com o The Wall Street Journal, Landis afirmou Bruynell lhe explicou como usar produtos dopantes e sobre a forma de realizar as transfusões para que não fossem detectadas, enquanto Armstrong, chefe de fila da US Postal, o instruiu sobre os efeitos destas substâncias. "Tivemos longas conversas sobre isto durante os treinos, explicou-me a evolução dos controlos de EPO e que devia passar-se às transfusões, por causa dos novos testes", refere Landis na missiva. Em 2003, depois de fracturar uma costela, Landis deslocou-se à localidade espanhola de Girona, onde residem vários corredores norte-americanos, e aí extraiu duas unidades de meio litro de sangue com um intervalo de três semanas, para serem usadas depois do arranque da Volta a França. Landis garante que esta extracção foi realizada no apartamento de Armstrong, onde guardava na câmara frigorífica amostras do recordista de triunfos no Tour e do seu companheiro de equipa George Hincapie. Ainda neste contacto para Johnson, Landis conta que, em 2006, quando assinou pela equipa suíça Phonak, disse ao proprietário da formação, Andy Rihs, que tinha seguido um programa de dopagem na sua equipa anterior e que desejava mantê-lo. Uma pretensão aceite por Rihs, segundo o corredor. A Phonak terminou quando Landis acusou positivo por testosterona em 2006. Landis classifica de "piada" os esforços das agências antidoping, detalha como usar EPO sem ser apanhado e revela como ajudou os seus companheiros de equipa Levi Leipheimer e Dave Zabriskie a usar esta substância antes de uma Volta à Califórnia. Em declarações ao sítio na Internet ESPN.com, Landis manifesta a vontade de "limpar a consciência" e deixar de ser visto "como parte de um problema". Armstrong, agora na RadioShack, corre actualmente a corrida californiana e ainda não comentou as acusações, tal como Bruyneel, Leipheimer e Zabriskie. Contactado pela agência Associated Press, o presidente da UCI, Pat McQuaid, recusou comentar estas acusações, sublinhando que não traziam "nada de novo". PerfilFloyd Landis nasceu a 14 de Outubro de 1975 em Farmersville, Condado de Lancaster, Pensilvânia. É um ciclista profissional dos Estados Unidos da América que participa em competições de estrada onde fazia parte, desde 2005, da equipa Phonak Hearing Systems, até ser despedido por comprovado doping. Como bom contra-relogista e escalador, tem um perfil adequado à disputa da classificação geral de provas de longa duração, como a Volta à França, onde foi o nono classificado na edição de 2005 e vencedor da edição de 2006, até ser conhecida o caso de dopagem.A vitória na edição de 2006 da Volta a França está ainda a ser discutida, após o anúncio de que Landis terá acusado positivo durante um controlo anti-dopagem após a 17ª etapa, curiosamente a etapa que Landis venceu com 5 minutos de vantagem sobre o segundo, Carlos Sastre. A organização do Tour de France já referiu que não o considera para já vencedor. A decisão final terá de vir da parte da Union Cicliste International. Apelido                     The AmishPaís                           Estados Unidos Data de nasc.             14 de Outubro de 1975 Localidade                   Lancaster PA Informação de EquipasEspecialidade               EstradaTipo de corredor           Completo Profissional1999–2001           Mercury2002-2004           Postal2005-2006           Phonak2009                   OUCH presented by Maxis2010                   US Corredor mostra arrependimento  Floyd Landis, diz-se arrependido e por isso mesmo tentou limpar a imagem abrindo o "bico". Através de e-mails enviados a ESPN afirmou que fez uso sistemático de doping durante anos e que Lance Armstrong e Johan Bruyneel foram seus mentores na arte de tomar anabolizantes e de transfusões sanguíneas."Quero limpar minha consciência e não fazer parte do problema para sempre".Afirma que ele e Armstrong tiveram longas conversas durante os treinos sobre a evolução dos testes de EPO e como as transfusões tornaram-se necessárias devido a evolução deles.Segundo a notícia, ele teria oferecido a ESPN os seus diários e arquivos que comprovam o que está a dizer. A UCI lamentou as declarações do ciclista, não dando direito a defesa aos acusados, coisa que ele fez durante dois anos, negando (estima-se que tenha gasto cerca de 2 milhões de dólares). Pat McQuaid disparou contra Landis dizendo: "ele não tem credibilidade alguma para fazer acusaões. Estamos a falar de alghuém que foi condenado por um tribunal e procura vingar-se”.Armstrong e Bruyneel não comentaram as declarações e não responderam as perguntas ESPN. Armstrong ignora acusações O ciclista norte-americano Lance Armstrong, vencedor da Volta a França em sete edições consecutivas, refutou as acusações de Floyd Landis, que o envolvem em casos de doping. "Não vou desperdiçar o meu tempo nem o vosso", respondeu aos jornalistas. "Essas acusações não se justificam", continuou. Na notícia publicada recentemente pelo "Wall Street Journal", Landis revela que tinha conversas demoradas com Lance Armstrong sobre a utilização de EPO. "É a nossa palavra contra a dele. Eu gosto da nossa palavra e da nossa credibilidade", lembrou Armstrong. Ciclista vai ao hospitalNo mesmo dia que foi acusado por Floyd Landis de participar de um esquema de doping, Lance Armstrong foi parar ao hospital para fazer exames de raio-X depois de um acidente durante o Tour da Califórnia. O técnico de Armstrong, Johan Bruyneel, publicou no twitter que o ciclista envolveu-se numa grande colisão e teve de abandonar a corrida e ir ao hospital fazer raio-X". Os ciclistas estavam numa estrada de duas pistas ao redor de Visalia, quando um piloto do grupo principal derrapou e caiu, fazendo com que os outros, incluindo Armstrong, embatessem uns com os outros. Armstrong caiu e a sua bochecha direita ficou ensanguentada. Além disso, o seu olho direito parecia estar inchado. COI quer provas  O Comité Olímpico Internacional (COI) pronunciou-se sexta-feira em relação à declaração do ciclista Floyd Landis, que acusou o hepta-campeão da Volta à França, Lance Armstrong, de ter se dopado para competir. A entidade afirmou que o atleta americano terá que provar o uso de substâncias ilícitas pelo seu compatriota. "Ele tem que provar que isto é verdade. Estas acusações têm de ser corroboradas por uma prova. Só se pode punir um atleta com uma prova tangível", afirmou o presidente do COI, Jaques Rogge. Na quinta-feira, numa série de e-mail enviados a patrocinadores e dirigentes desportivos, Floyd Landis admitiu ter se dopado na Volta da França de 2006, quando foi campeão da competição e, mais tarde, teve o título anulado. O ciclista afirmou, inclusive, que Lance Armstrong também teria participado de provas fazendo uso de substâncias consideradas ilícitas pelo COI e ensinou a outros atletas o método correcto para burlar o sistema anti-doping. "Nada tenho nada a esconder. Faz tempo que Floyd perdeu a sua credibilidade", comentou Armstrong. Floyd Landis também disse que o ex-presidente da União Ciclista Internacional, Hein Verbruggen, acobertou um teste positivo de doping, submetido a Armstrong durante a Volta à Suíça de 2002. A entidade negou a acusação.