Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Cidades de Benguela com condies criadas para o sucesso CAN-2010

Jlio Gaiano,em Benguela - 27 de Novembro, 2009

Cidades de Benguela com condies criadas para o CAN-2010

Fotografia: Jornal dos DEsportos

O ambiente reinante nas cidades de Benguela, do Lobito e nas vilas da Catumbela e Baía Farta é de festa, tudo por ocasião da organização do campeonato africano das nações “Taça Orange Angola’2010” que acontece de 10 a 31 de Janeiro próximo.
Em tudo quanto é canto das principais cidades da província de Benguela, a conversa gira em volta do Campeonato Africano das Nações (CAN). Muitas são as pessoas que acreditam no sucesso da prova que promete mexer com muita gente, algumas vindas das distintas regiões do país adentro e outras do exterior (maioritariamente, do continente berço da Humanidade).
Os locais arrumam a casa, retocando ali onde é necessário. Todos, sejam eles políticos, governantes, empresários, desportistas e cidadãos comuns ligados à modalidade (ou não) estão mobilizados para o êxito do certame que alberga dezasseis (16) acções nacionais, quatro das quais a competirem na Série C, a de Benguela.
A população benguelense vai assistir, durante a primeira fase, aos jogos das selecções do Egipto (campeão em título), Nigéria, Moçambique e Benin. Mesmo assim, prometem apoiar, ainda que à distância, a Selecção Nacional que na cidade capital (Luanda) tudo fará para passar aos quartos-de-final, e, quiçá, tentar atingir as meias-finais, de forma a superar a campanha realizada no “africano” do Ghana.
Sob o comando técnico do professor Luís de Oliveira Gonçalves, no CAN do Ghana-2008, o combinado nacional passou para a segunda fase, onde caiu aos pés da forte selecção do Egipto, perdendo por uma bola a duas.
Apesar de derrotada, os angolanos rejubilaram-se pelo feito alcançado. Já que ficou assim cumprida uma das promessas feitas pelo técnico, atingir os quartos-de-final. Daí a calorosa recepção brindada aos “bravos palancas negras”, aquando do seu regresso ao solo Pátrio.
Agora, os angolanos podem melhorar ainda mais para gritar aos quatro ventos do planeta Terra: “Somos um Povo Especial”.

Atrasos em algumas obras locais
preocupam munícipes "menos informados"

Na área administrativa, as coisas caminham a feição, não obstante, os ligeiros atrasos que se fazem sentir em algumas obras, sobretudo às ligadas ao ramo de hotelaria e turística.
As autoridades locais, contactadas, acreditam que nada está perdido, pelo facto de terem tudo sobreaviso. Na sua óptica, o problema estará resolvido dentro de dias, tal como acontece com os trabalhos que se desenvolvem nas principais ruas e jardins das principais cidades e vilas da província.
Muitos receavam pelas conclusões das respectivas obras. E quando menos se esperava eis que as opiniões dos críticos inverteram-se, dando razão aos responsáveis envolvidos directa e indirectamente nas empreitadas em causa.
Assim vão as obras e os preparativos, a nível de Benguela e que na passada, sexta-feira, 20, recebeu a visita dos delegados das selecções nacionais agrupados na Série C, com fins de averiguar as condições que lhes são reservadas por altura da realização dos jogos da Taça das Nações Africana Orange Angola’2010.

Delegações de equipas da Série C
constatam realidades de Benguela

Os representantes das selecções nacionais que, na fase regular do Campeonato Africano das Nações Orange Angola’2010, vão competir na Série C manifestaram o seu contentamento pelas condições materiais e morais criadas pela organização do certame a nível de Benguela.
Em visita de algumas horas, em terras de O’mbaka, os representantes do Egipto, Nigéria, Moçambique e Benin tomaram contacto com a realidade daquilo que se está a executar em prol da realização da XXVII edição do campeonato africano das nações a decorrer em Janeiro, próximo.
Além dos hotéis e alguns locais de interesse turísticos (praias e locais históricos da província) que lhes foram dados a observar, os delegados das selecções agregados na Série de Benguela visitaram o Estádio Nacional de O’mbaka, já em fase de acabamento, concretamente, na sua parte exterior destinada às obras das envolventes.
Os campos de apoio à referida festa do continente, mereceram, de igual modo, a visita dos delegados das ditas selecções nacionais.
Pelo que nos deu a constatar, os delegados ficaram maravilhados por aquilo que lhes foi dado a constatar, não obstante, mostrarem-se um tanto quanto reservados na maturação da relva que desabrocha nalguns campos de apoio, com grande realce ao do Estádio Municipal Edelfrides Costa (Benguela).

SINOHIDRO tranquiliza

O “JD” soube que, apesar de as obras do arrelvamento terem arrancado, tardiamente, os empreiteiros garantiram que nada impedirá que no prazo de 45 dias a relva semeada no campo do Municipal esteja amadurecida e pronta para ser utilizada para os treinos de qualquer equipa de futebol.
“Está tudo de sobreaviso, por isso não há motivos para tantas preocupações”, confidenciou uma das fontes afectas à construtora chinesa SINOHIDRO Corporation, acrescentando que para a referida empreitada, o pior foi ultrapassado, aquando da paralisação parcial das obras que ali se faziam sentir, para dar lugar à realização das partidas de futebol referentes ao Girabola.
As formações do 1º de Maio de Benguela e da Académica do Lobito, ambas despromovidas do Girabola, utilizaram o reduto durante toda a segunda volta da prova, tudo na tentativa de se manter na fina-flor do futebol nacional. Infelizmente, não conseguiram.
Nem com a “liguilha”, um torneio de competência engendrado à última hora pela FAF, as formações benguelenses obtiveram êxitos.

COCAN/Benguela acciona plano B
para albergar selecções da Série C

Os hotéis escolhidos para alojar as selecções agrupadas na série de Benguela continuam a ser motivos de comentários dos aficionados da modalidade rainha e que acompanham o desenrolar da máquina organizativa que tudo faz para que nada de essencial falte por altura da realização da Taça Africana das Nações Orange Angola’2010.
Assim sendo, e por aquilo que foi dado a perceber, há muito a organização previa algumas contrariedades que poderiam contribuir para o incumprimento dos prazos afixados para os acabamentos das obras que se executam nalguns hotéis destinados a servir o CAN-2010.
Foi assim que longe de olhares e dizeres dos órgãos de comunicação social, foram-se ensaiando alternativas para desta evitar, transtornos que poderiam comprometer a excelência de que se pretende no “africano” das nações de futebol sénior masculino, Orange Angola’2010.
“Bem pensado!”, dizem, os analistas contactados pelo “JD”, atribuindo nota dez (10) ao executivo de Justino Fernandes e colaboradores directos que a partir da província de Benguela, tudo fizeram para que o menos não faltasse.
Vai daí que quando tudo apontava que os hotéis Mombaka, Aparthotel/Mil Cidades (em Benguela), Grão Tosco e Restinga, eis que a última hora, os munícipes “menos informados” confrontam-se com outra realidade. O COCAN indicou outros hotéis com condições internacionalmente aceites pela Confederação Africana de Futebol (CAF) para albergar as quatro selecções nacionais que em Benguela vão disputar a passagem para os quartos-de-final na Série C.
Pelo que o “JD” pôde apurar de algumas pessoas afectas à organização, tudo está a ser feito no sentido de até, o mais tardar, princípio de Janeiro, as obras que ainda decorrem nos Hotéis indicados para servir o CAN-2010, estejam concluídas de forma a possibilitar que, por razões adversas, as selecções possam mudar para uma outra unidade, onde acharem se sentir melhor do ponto de vista de acomodação.

Representante de Moçambique
espera apoio dos benguelenses

O representante da selecção de Moçambique, Eugénio Dias, assegurou à imprensa que a visita efectuada ao local em que o seu país vai disputar a primeira fase da Taça Africana das Nações Orange Angola’2010 foi proveitosa, já que a mesma levou a constatar de perto a realidade daquilo que é feito em prol do CAN que o país se apresta a acolher.
“Por aquilo que nos foi dado a observar, podemos considerar que muita coisa foi feita. O facto de a organização colocar à disposição das selecções um campo para treinos, diz tudo. Para dizer que estamos diante de uma organização impecável que deixa a todos nós descansados, almejando que tenhamos uma competição capaz de orgulhar o continente, tal como aconteceu na cerimónia do Sorteio da CAF”, sublinhou Eugénio Dias, da embaixada moçambicana que em Benguela, integrou a comitiva das representantes das selecções agrupada na Série C.
Aquele diplomata assegurou a imprensa que a sua selecção vai sentir-se como se estivesse em casa, dada a cultura linguística que une os dois povos.
“Aqui em Benguela, a selecção moçambicana vai contar com o apoio dos benguelenses. Os angolanos e moçambicanos partilham a mesma língua, logo há motivos para se sentirem como se estivessem em casa. Por isso, na ausência dos Palancas Negras, acredito que os benguelenses vão torcer para a vitória dos “Mambas”, o que é muito bom para os nossos dois povos”, precisou.
O Jornal dos Desportos apurou junto do Comité Organizador do Campeonato Africano das Nações (COCAN) local que a selecção moçambicana e a beninense vão, durante a fase regular do certame, alojar-se na cidade do Lobito, nos Hotéis Tropicana e Os Navegantes, respectivamente. Já na cidade de Benguela, as selecções do Egipto e da Nigéria vão hospedar-se nos Hotéis Praia Morena e Luso.
Todavia, fica por se saber com exactidão, a distribuição dos campos para as equipas treinarem, não obstante, uma fonte do COCAN admitir que na cidade do Lobito as coisas estão mais ou menos definidas, sendo os irmãos do Índico, no Buraco, e os do Benin, no Comandante Fragoso de Matos.
 
Hotel Términus aloja
oficiais  da CAF e convidados

Dada a sua localização estratégica, junto do mar Atlântico, o Hotel Términus, na cidade do Lobito, vai mesmo albergar parte dos oficiais da CAF e árbitros neutros indicados pela coordenação da XXVII da Taça Africana das Nações Orange Angola’2010, que o país se apresta acolher de 10 a 31 de Janeiro, próximo.
Os organizadores do certame na cidade de Benguela, que confirmam o facto, em reacção às informações segundo as quais, os oficiais da CAF apenas ficariam alojados na Residencial Wezza, em Benguela, dada a proximidade com o palco da realização das partidas do CAN-2010, o Estádio Nacional de O’mbaka.
Na visita realizada, muito recentemente, pelo ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba a Benguela, o titular da Hotelaria e Turismo, Pedro Mutindi, assegurou que a província estava preparada para albergar qualquer selecção por altura do CAN-2010.
Na verdade, tudo aponta por aí. As obras dos hotéis destinados para servir o CAN-2010 estão em fase avançadas de acabamentos, caso das unidades hoteleiras do Mombaka, Aparthotel/Mil Cidades, Morro, Restinga, Grão Tosco, Belo Horizonte e antiga Casa dos Desportistas.