Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Clubes de cinco principais ligas europeias rendem 631 milhões

24 de Fevereiro, 2011

ligas europeias de futebol geraram, na época 2009/10, lucros de 631 milhões de euros

Fotografia: AFP

Os clubes das cinco principais ligas europeias de futebol geraram, na época 2009/10, lucros de 631 milhões de euros em “merchandising”, de acordo com um estudo di vulgado hoje, que coloca a liga espanhola na dianteira. Com receitas de 190,1 milhões de euros, os clubes do principal campeonato espanhol assumiram, pela primeira vez, o topo do “ranking” elaborado pela Sport+Markt, graças ao crescimento de 6 por cento comparativamente a 2008.

Real Madrid e Barcelona foram os responsáveis por cerca de 80 por cento destes proveitos, refere o Relatório do Merchandising no futebol europeu 2010, que estudou 182 emblemas e cerca de dez mil pessoas em dez países. A liga inglesa caiu para o segundo posto, ao contabilizar receitas de 167,5 milhões de euros (menos 3,5 ME do que em 2008), mas mantendo uma sólida vantagem sobre a competição alemã (129,7 ME, mais 2,7 do que em 2008), terceira no “ranking”. Praticamente inalteradas, relativamente ao anterior relatório, permanecem as receitas dos clubes da liga italiana (76,9 ME) e francesa (66,9 ME).

Alargando a amostra às ligas de Holanda, Polónia, Rússia, Turquia e Ucrânia, a Sport+Markt calcula que as receitas provenientes de “merchandising” tenham ascendido a 727 milhões de euros, cerca de 7,3 por cento do total de receitas geradas pelos clubes destas 10 competições. No “top” dos clubes, o Real Madrid é responsável por mais de metade das receitas de retalho nestas dez ligas, sendo seguido de Barcelona, Liverpool, Bayern Munique, Marselha, Manchester United, AC Milan, Inter Milão, Lyon e Fenerbahçe.

Ainda de acordo com o relatório, que aponta a venda de camisolas como responsável por metade das receitas de “merchandising”, durante a última época foram vendidas 13,7 milhões de réplicas, das quais 11,4 milhões, cerca de 83 por cento, dos “gigantes” Adidas e Nike e as restantes 2,3 milhões distribuídas por outras 34 marcas.

Ecclestone prescinde
de taxas do  Bahrein

Bernie Ecclestone prescindiu de receber a taxa do GP do Bahrein na sequência do cancelamento do evento, que devia abrir a temporada 2011 do Mundial de F1, entre 11 e 13 de março. “Não está a ser paga a taxa que, normalmente, é cobrada pelo evento. Não vou cobrar por uma corrida que eles não vão ter. Não tenho a certeza se as seguradoras lhes garantem as perdas nas receitas, venda de bilhetes, etc, mas se há algo que representa força maior são os distúrbios que aconteceram”, revelou ao Daily Telegraph o detentor dos direitos comerciais da F1, equiparando a agitação social no país do Golfo a uma catástrofe natural:

“É similar aos efeitos de um terramoto. Ninguém podia ter previsto isto há um mês.Ninguém fica a ganhar com isto. Quero ser leal ao rei [do Bahrein], porque ele está a fazer tudo para colocar o país em ordem para o seu povo. Ele não necessita que pessoas como eu o apunhalem pelas costas”, adiantou Ecclestone ao "The Times", referindo-se às dezenas de milhões de dólares que perde, caso não consiga que o GP do Bahrein seja colocado noutra data no calendário de 2011. A acção de Ecclestone mostra que a organização do Mundial de F1 ainda tem esperança em recalendarizar o Bahrein na temporada que começará na Austrália.

Arsène Wenger garante

15%  a mais por Torres
Arsène Wenger, técnico do Arsenal, sugeriu que o Chelsea pagou mais pela transferência de Fernando Torres por tê-lo feito no fecho do mercado. "Torres foi uma transferência em cima do fecho do mercado, por isso o Chelsea pagou mais por ele. Posso estimar que Chelsea pagou 15 por cento a mais por Torres", avançou o técnico. No entanto, Wenger admitiu que o actual plantel dos "blues" pode tornar-se perigoso para os adversários. "Factores emocionais e falta de tempo inflacionam os valores das transferências, mas, agora, o Chelsea pode tornar-se ainda mais perigoso. O trio Didier Drogba, Nicolas Anelka e Torres representa perigo real", finalizou.