Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Coloca ponto final na sua carreira e aposta na formao profissional

Simo Kibondo - 25 de Junho, 2013

O antigo ciclista vai dedicar-se pilotagem e ao dirigismo desportivo na rea tcnica da Federao

Fotografia: Smo Kibondo

O antigo campeão nacional de Ciclismo de Estrada Márcio Guevara Mucanza, 33 anos, ou simplesmente “Cubano”, como é conhecido nos meios ciclistas, interrompeu, prematuramente a sua carreira desportiva na alta – competição para apostar na sua formação, de princípio especializada na modalidade e, depois na aeronáutica civil, como piloto. “A motivação pelo desporto, começa no Centro Angolano de Karaté (CAK), aos 12 anos de idade, através de um grupo de amigos que me levou a praticar, inicialmente aquela modalidade.

Logo a seguir surgiu o ciclismo de recreação pela mão de João Samba, que hoje ainda está no Ciclismo, faz parte dos quadros do Santos Futebol Clube de Angola, e que na altura fazia parte do “Clube dos amigos da bicicleta”, começou por contar assim a sua trajetória desportiva, o ex- praticante que nos dias 26,27, 28, 29 e 30 deste mês vai dar o seu contributo, como juiz de chegadas- Comissário de provas- na organização dos Campeonatos Nacionais de Ciclismo de 2013, a decorrer no Kuanza-norte.

PALMARÉS
 Num passado recente ainda vimos Márcio Guevara”Cubano” nas equipas luandenses como “Os Persistentes”, “Casa de Utilidades e Casa Cainda, estas duas dos irmãos Araújo. A equipa de “Os Persistentes”, já extinta e a do Benfica/Cimex, actualmente Benfica de Luanda. Segundo Márcio Guevara, de entre outros momentos, os vividos com maior intensidade foram a sua primeira representação na seleção nacional para os jogos Pan-africanos de 1999, as duas vitórias que obteve no Tour Du Faso (Burkina Faso em 2006), o lugar cimeiro ocupado na categorias de sub- 26 na volta ao Senegal sub 26, bem como a eleição de melhor ciclista africano na mesma competição senegalesa.

“O facto da invictabilidade em todos os torneios internacionais realizados em Angola- como os quatro 4 Grandes Prémios internacionais da cidade de Luanda e   1 Grande prémio internacional do Banco de Poupança e Crédito (BPC), enriqueceram sobremaneira o meu palmarés, principalmente nas provas internas com visibilidade internacional”, acrescentou.

OUTROS MOMENTOS
Seleccionador nacional de ciclismo mais jovem


O facto de assumir o cargo de  selecionador nacional mais jovem do ciclismo e da história do desporto nacional, num determinado período da sua carreira em que ainda era um ciclista de eleição motivou, igualmente Márcio Guevara. Para Márcio Guevara as suas primeiras pedaladas como ciclista de competição, com Mário Guerra nos Persistentes, bem como com outros ciclistas da sua geração como Emílio Domingos, Manuel Jacinto, Benvindo Zietoso, Marinheiro, Jorge Manuel, Ivan Loth, Francisco Lopes, Zé Maria Pires e outros que não se recordo mais, marcaram sobremaneira a sua trajetória.

“Meia década depois daquela geração que considero pioneira no desenvolvimento do novo ciclismo angolano, surgiu outra geração de corredores, como Bruno Casimiro, Osvaldo Filipe, Hilario Hossi, Cláudio, Cândido, Chiloia,  Petit (...). Obviamente que competi com outros que eram de outra geração, anterior a minha, que era encabeçada pelos ciclistas Carlos Alberto, Filipe de Carvalho, Salviano,  Justiniano Araújo (Juti), Amadeu Paiva, Carlos Araújo ( Céce), Manuel Pereira (Cau), David Ricardo...”, reforçou.

 Márcio Guevara tem ainda formação específica e individualizada de treinadores de ciclismo, feito no centro mundial do ciclismo, Aigle (Suiça). “Como atleta, penso que já dei todo meu contributo, sinto-me realizado, estive a frente da seleção nacional como treinador por dois anos com a qual participamos na volta ao Gabão e por duas vezes na volta ao Burkina Faso. Ate à presente data tem colaborado com vários treinadores de equipas, da seleção nacional e também alguns ciclistas individuais na planificação e elaboração dos seus planos de treino”, fortificou.

41º MUNDIAL DE HÓQUEI
Acha que Angola pode vencer o 41º Campeonato Mundial de Hóquei em Patins?

Penso ser difícil.
 
Realisticamente quais são as possibilidades de Angola neste Mundial?   
 Estar entre os seis primeiros era  um resultado muito positivo.
 
Acha que o país está a altura de responder positivamente à organização do Campeonato Mundial?
Temos essas condições,
 
Quais são os verdadeiros ganhos para o País com a realização do Campeonato Mundial de Hóquei  em Patins?
Sobretudo o desenvolvimento humano, a exposição do pais no  mundo, assim como o ganho no melhoramento e construção estruturas físicas desportivas e obviamente a criação de empregos.

POR DENTRO
Nome completo:
Márcio Guevara dos Santos Mucanza
Data e local de Nascimento:  26 de Abril de 19980, Luanda
Filiação: Joaquim Mucanza e Florinda Rosa Alves dos Santos
Estado Civil: Solteiro
Filhos: Ainda não
Peso: 85Kg
Altura: 1.85m
Bebida: Água
Numero de Calçado: 43
Clube Preferido : Sport Lisboa e Benfica
Cidade: Berna
País: Suíça
Perfume: CH
Religião: Cristão
Alguma vez mentiu: sim