Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Desporto do Balombo renasce dos escombros

Júlio Gaiano, no Balombo - 04 de Julho, 2011

O processo regrediu por culpa da fratricida guerra que dilacerou grande parte do território nacional, e transformou o balombense (para os nativos, balouachi) num dos mais fustigados.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O processo regrediu por culpa da fratricida guerra que dilacerou grande parte do território nacional, e transformou o balombense (para os nativos, balouachi) num dos mais fustigados. Durante muito tempo, o município foi um dos principais campo de batalha entre as forças governamentais das FAPLA e a então força rebelde da UNITA, a FALA. Por força da guerra, muitas infra-estruturas erguidas pelas autoridades locais, entre as quais as desportivas, foram arrasadas, deixando o município despido.

Não havendo locais para desenvolver a prática desportiva, à juventude restou apenas a defesa do território, adiando assim, por muitos anos, o desenvolvimento do desporto. Agora, com o ressurgir da paz e da tranquilidade, o município do Balombo renasce das cinzas. As autoridades da administração local, lideradas por Júlio Kwanza Silva, ensaiam, desde Janeiro, mecanismos destinados a tirar o desporto da letargia em que se encontra mergulhado desde o início da década de 80. A recuperação e a construção de novas infra-estruturas para o suporte da actividade desportivo estão entre as prioridades traçadas pelas autoridades locais.

A construção de um campo polivalente (para o desporto de salão) e um campo de futebol são exemplo disso mesmo, apesar dos referidos empreendimentos carecerem de medidas internacional. “Precisamos dar os primeiros passos, se quisermos reactivar o desporto. Afinal, com o fim da guerra, precisamos afastar a juventude de actividades nocivas à saúde humana, e isso passa, entre outras coisas, por a ocupar em actividades desportivas.

Para que tal seja um facto, torna-se imperioso criar condições básicas para a sua prática. Já demos os primeiros passos nesse sentido, com a construção de um campo polivalente e um de futebol de onze. Não é suficiente, mas era preciso começar por algum lado”, observou o administrador do Balombo, Júlio Kwanza.

Projecto
desponatr está engavetado
À semelhança de outras municipalidades da província de Benguela, o do Balombo está abrangido pelo projecto Despontar, promovido pelo Ministério da Juventude e Desportos, que visa a construção de dois campos de futebol (I e II Graus). A construção dos referidos empreendimentos tem em vista massificar e fomentar a prática do futebol em todo o território nacional, de acordo com a política do Executivo, e o município do Balombo foi um dos contemplados pelo projecto, apesar da sua não concretização. O Jornal dos Desportos identificou uma obra inacabada.

A paralisação das obras de um campo de futebol de onze deve-se ao facto de o mesmo estar a ser erguido num local não recomendável por razões naturais, segundo fontes contactadas pela nossa equipa de reportagem. Para além do solo impróprio para a empreitada, consta que se registam no local grandes descargas eléctricas naturais, resultantes das fortes quedas de chuva que se fazem sentir na região planáltica da província. “As autoridades locais estão à procura de um outro local para a construção do campo, porquanto aquele foi dado como inapto pelos empreiteiros”, confirmou um dos muníc0ipes no local.

Enquanto o novo espaço recomendado não aparece, os munícipes remedeiam-se no campo adjacente ao Hospital Municipal, também chamado de “Campo do Hospital”. Com dimensões reduzidas, este campo peca pela localização, pois encontra-se num lugar destinado à construção de residências para dirigentes administrativos e quadros técnicos do município, o que deixa preocupada a juventude local, que clama de forma incessante pela solução do problema.

Desporto escolar
está condicionado

O desenvolvimento do desporto escolar no Balombo está condicionado à criação de condições infra-estruturais desportivas. Presentemente, o município possui um campo para desportos de salão, localizado próximo do Centro Escolar do II Ciclo. Os projectos para a construção de mais campos, tanto nas escolas como nalgumas zonas estratégicas do município, continuam engavetados por falta de verbas. A administração local não dispõe de dinheiro, mas promete recorrer ao governo provincial para angariar os apoios necessários para a construção de, pelo menos, dois campos para o fomento do desporto escolar nas variadas modalidades.

Luís Catimba, professor destacado no município do Balombo, disse haver grande esforço empreendido pelas autoridades locais, nomeadamente, o administrador municipal, dirigentes da Educação e da Juventude e Desportos, no sentido de se relançar o desporto escolar em todo o território do município. Contudo, a falta de infra-estruturas desportivas adequadas para a actividade dificulta a concretização do processo. “O município carece de infra-estruturas desportivas. O único campo polivalente é sobrecarregado com actividades recreativas, culturais e desportivas pela comunidade balouachi”, disse.

Entre a realidade e a esperança, Luís Catimba amarra o pensamento no segundo. “Os próximos tempos podem ser melhores. Aliás, os indicadores apontam para isso, fruto do empenho pessoal do administrador, que tudo faz para, num curto espaço de tempo, reanimar o desporto escolar no município”, realça o professor.

Girabairro
ocupa o vazio 
As autoridades do Balombo preenchem o vazio do desporto de alto rendimento com a organização de campeonatos inter-bairros, oficialmente denominado por “Girabairro-Taça do Presidente”, uma actividade que se estende a todo o território do município.
A prova, que vai já na sua V edição, conta com oito equipas e é disputada no sistema de todos contra todos a duas voltas. As equipas enfrentam dificuldades de ordem material, isto é, desde equipamentos, chuteiras, bolas, redes para a cobertura das balizas, segundo fontes contactadas no local.

A falta de transporte, de incentivos aos atletas e organizadores da prova constituem outro grande empecilho para o sucesso do certame. Para minimizar as carências, a coordenação municipal do Balombo pretende deslocar-se à sede provincial (Benguela) com o objectivo de angariar os apoios há muito prometidos pela Coordenação Provincial do Movimento Nacional Espontâneo e Girabairro.
A direcção provincial da Juventude e Desportos, na pessoa de Pedro Garcia, recebeu garantias de uma ajuda substancial, por isso, espera receber algum incentivo. A nível interno, a prática é suportada institucionalmente pela administração municipal do Balombo e financeiramente pelos agentes comerciais locais. É o renascer das cinzas do desporto em terras planálticas de balouachi, a 183 km Nordeste da sede provincial de Benguela.