Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Diógenes de Oliveira eleito para um terceiro mandato

Simão Kimbondo - 26 de Abril, 2013

O deputado Diógenes de Oliveira, 59 anos, notabilizou-se também no Desporto como membro de muitas direcções desportivas no país

Fotografia: José Soares

O deputado Diógenes de Oliveira, 59 anos, notabilizou-se também no Desporto como membro de muitas direcções desportivas no país depois de Independência, com particular incidência nas empresas Cuca, Nocal e Epal.    
Diógenes de Oliveira pertenceu à Comissão Executiva do Comité Olímpico Angolano (COA) e nesta qualidade integrou a Missão Olímpica Angolana aos Jogos Olímpicos de Londres’2012. Antes já tinha sido condecorado pelo Comité Olímpico Internacional (COI), através do COA, pelos seus feitos relevantes em prol do desporto angolano.

Como desportista, Diógenes de Oliveira praticou futebol na Escola Comercial Vicente Ferreira, nos torneios inter-turmas, tendo sido campeão na companhia de Dinho Soares, Mário Moreira, falecido Manecas Vieira e outros.
Ontem tomou posse no seu terceiro mandato na Federação Angolana de Ciclismo (FACI), à frente de uma lista de consenso que aposta na continuidade. Diógenes de Oliveira deu duas vice-presidências a históricos da modalidade, como Justiniano Araújo e Gilchrist Bento Adolfo. Assim reuniu todas as correntes do ciclismo angolano.
A sua eleição significa o reconhecimento de um trabalho sério como presidente da Comissão de Gestão da FACI, no período de 2003/2004. Lançou um programa de relançamento da modalidade que ainda continua.


OBRA FEITA
Relançamento
do ciclismo


Nos primeiros anos de mandato, Diógenes de Oliveira organizou e apetrechou a sede da FACI, formou quadros na área daarbitragem do ciclismo, num dos mais concorridos cursos de juízes e cronometristas.
No âmbito da cooperação estabeleceu contactos nacionais e internacionais com organizações congéneres, realizou Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada, apoiou a constituição de oito associações provinciais de ciclismo.
Em termos competitivos, esteve na origem da participação da Selecção Nacional na Tour do Burkina Faso, recolocando Angola as competições internacionais, após dez anos de ausência.

Considerado “o candidato da unificação da família do ciclismo angolano”, Diógenes de Oliveira realizou oencontro nacional de ciclismo, desenvolveu um intenso trabalho de massificação da modalidade nas vertentes BTT e BMX, de que resultou o aumento de mais de 300 jovens praticantes de ciclismo.
Como dirigente desportivo, nunca esqueceu uma palavra de apreço e carinho aos antigos praticantes e dirigentes da modalidade, em reconhecimento do seu contributo para a afirmação do ciclismo nacional.
Ainda como dirigente desportivo conseguiu unificar a família ciclista angolana, numa coesão baseada no espírito de trabalho, disciplina e desprendimento, criou as bases organizativas e de gestão para o relançamento do ciclismo a nível nacional e internacional.


LISTA DOS CORPOS SOCIAIS
Com 41 membros e cinco órgãos a lista de consenso está assim ordenada. Mesa da Assembleia-Geral: presidente Dumilde das Chagas Rangel, Leonel Mateus (vice-presidente) e Mário Rodrigues Moreira (Secretário). Direcção: Diógenes Oliveira (presidente), João da Conceição Simão Francisco (vice-presidente para a Cooperação e Mraketing), Gilchrist Bento Cambinda Adolfo (vice-presidente para a Administração), Justiniano Mendes de Araújo (Vice-Presidente Desportivo), Cremilde das Dos Dores Das Chagas Rangel (vice-presidente para o Ciclismo Feminino), Alex Futi (secretário geral). Vogais: Sebastião Lourenço Félix Cambanza, Gilberto António Domingos Major, Lucrécia Domingos da Piedade,  Bráulio Nunes Santos, João Domingos Samba, Josefa João Sangueve e Inácio Neto.

Conselho Fiscal: Arão Simões de Almeida (presidente), Edmundo Clímaco Simões de Oliveira (vice-presidente), João Sebastião Sakala (vogal). Conselho Jurisdicional: Leona Timóteo Capindissa Graneira (presidente), Ana Isabel Baptista Gonçalves (vice-presidente), Cristina Imbundo (vogal).

Conselho de Disciplina: António Cordeiro Francisco (presidente), Artur Júlio Júnior (vice-presidente). Vogal, Abel Santana (Labas). Conselho Técnico Desportivo: José da Conceição dos Santos Mucanza (presidente), Márcio Guevara dos Santos Mucanza (vice-presidente). Vogais: Jaime Vidal do Espírito Santo Oliveira, Mário António Roças, Filipe Francisco Barros de Carvalho, Sebastião Borges António (Escurinho), Paulo Sérgio Pedro Afonso, José Joaquim Jorge, Manuel Domingos Afonso.

Conselho de Arbitragem: Aníbal Gomes (presidente), Moniz Kelo Capitão (vice-presidente). Vogais: Anselmo Vasco da Cunha, Alfredo Venâncio Mulato, Carlos de Jesus Marques dos Santos, Hiduana Maria Filipe Manuel Cahanda, Manuel Anderson Dias dos Santos de Oliveira e Lucimar da Conceição Piedade Francisco


LISTA DE CONSENSO
Vice-presidência para o ciclismo feminino
 

No novo elenco da FACI para os próximos quatro anos (2013-2016), Diógenes de Oliveira criou quatro vice-presidências, entre as quais uma para o ciclismo feminino, a fim de criar condições para a continuação do ciclismo no escalão, principalmente na vertente de massificação, através de passeios e provas de cicloturismo nas 18 províncias e, posteriormente, partir para um programa específico.

As outras três vices-presidências foram atribuídas uma à Administração, outra à Cooperação e Marketing, e a terceira à área Desportiva. Neste novo mandato, a direcção de Diógenes de Oliveira, tenciona aumentar os pólos de desenvolvimento do ciclismo, das actuais 12 para as 18 províncias, consolidar os níveis já alcançados e desenvolver outras acções que visem despertar o gosto pela modalidade, aumentar o número de provas e os níveis competitivo e organizativo.

Campeonatos regionais

Para dar corpo ao ambicioso projecto, o “plano estratégico para a área técnica e desportiva” aposta na organização do ciclismo por regiões, a partir de 2014, invocando o anterior modelo tradicional que ainda vigora ao longo deste ano, com a disputa de campeonatos provinciais que culminam com a realização de um Campeonato Nacional de Ciclismo de Estrada Unificado (CNCEU) na 26ª semana de cada ano, de acordo com os regulamentos da União Ciclista Internacional (UCI).

À titulo de exemplo podem surgir competições numa região, reunindo praticantes de Luanda, Bengo, Cabinda, Uíge, numa segunda região com Benguela, Kwanza-Sul e Huambo) e uma terceira região com a Huíla, Namibe e Cunene. Neste período experimental dos campeonatos regionais, o ciclismo é massificação nas províncias do Bié, Cunene, Kuando-Kubango, Kwanza-Norte, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Malange, Moxico e Zaire.


POR DENTRO


Nome completo: Diógenes do Espírito Santo Oliveira
Filiação: Manuel Pedro Pacito de Oliveira e Rita Adriano da Costa André Peres de Oliveira.
Estado Civil: Casado
Local e Data de Nascimento: Luanda (Maianga), a 30 de Março de 1954
Altura: 1,80 m
Profissão: Economista
Ocupação actual: Deputado
Função: Vice-Presidente da Comissão de Economia e Finanças