Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Dirigente dos "sete ofícios" das terras altas da Chela

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 16 de Abril, 2013

Juca Fernandes, o homem, que ganhou grande popularidade na cidade do Lubango

Fotografia: Arimateia Baptista

Severino Xavier Fernandes, mais conhecido por Juca Fernandes, é um nome a reter. No seu quotidiano, este homem, que ganhou grande popularidade na cidade do Lubango, veste um fato olímpico, calça sapatilhas, leva mochila às costas, pendura cronómetro e apito ao pescoço, e desloca-se de motorizada.

As múltiplas actividades de Juca Fernandes tornam-no um indivíduo super ocupado, razão pela qual prefere vestir-se à vontade, o que lhe permite exercer a sua actividade sem sobressaltos.


O nosso homem não tem sábado, domingo nem feriado. É fruto desse sacrifício o segredo do sucesso do seu trabalho. Para ele, qualquer tarefa a executar é planificada.

“Não tenho período de repouso. É isso que me caracteriza. Estou habituado. E tenho tudo planificado para transmitir este ou aquele programa de treino ou de aulas”, garante.

Actualmente presidente da Associação provincial dos Desportos Individuais da Huíla, entrou para o desporto quando jovem, quando começou a praticar futebol no antigo Futebol Clube do Lubango (FCL), em 1979, nos escalões de formação (juvenis e juniores).

O homem dos “setes ofícios”, como também é alcunhado, dinamiza incansavelmente a prática das modalidades de ginástica, karaté shotokan, ténis de mesa e de campo. Além disso, é professor de educação física há mais de 30 anos.

“Nos anos 80 fui para a província do Namíbe onde frequentei o curso de professores de Educação Física. E também dei sequência no desporto, mas já no Inter Clube do Namíbe, na altura uma formação afecta à Polícia Nacional. Finda a formação, regresso à Huíla e ingresso no Dínamos Futebol Clube do Lubango, em 1984, como jogador dos escalões seniores na posição de avançado esquerdo”, explicou.

Juca Fernandes, fez igualmente alguns testes como jogador de futebol no Clube Ferroviário da Huíla, mas, na altura, não teve êxito, porque tinha de se dedicar primeiro ao trabalho e depois aos estudos no Instituto Médio Normal de Educação Comandante Liberdade, no Lubango (INME) na especialidade de linguística Inglês/Português.

Com o passar do tempo, acabou por jogar futebol na equipa do Grupo Desportivo da Ngola, que disputava na época o campeonato provincial.

DESCOBERTAS E POLIVALÊNCIA
"Olheiro" de vários talentos desportivos


Das descobertas feitas na detecção de talentos, destacou o nome da jogadora de ténis de mesa Maria de Fátima Samalinha. Uma atleta que considerou possuir qualidades para trazer grandes vitórias para o país. A ginasta Julmira Chepela Segunda, vice-campeã africana de ginástica na especialidade de Tumbling da Zona V, é outro talento derivado do trabalho de Juca Fernandes.

O “olheiro” por excelência contou que Julmira Chepela Segunda, de dez anos, vice-campeã africana de ginástica na especialidade de Tumbling da Zona V, está apurada para competir no Mundial de Ginástica que se realiza este ano no Canadá. Os maiores praticantes de karaté de renome na Huíla foram igualmente formados por ele.

Devido ao seu grande empenho e à colaboração que tem estado a dar em prol do desenvolvimento do desporto na província, é solicitado por alguns encarregados de educação para dar um parecer sobre como encaminhar os seus educandos e filhos na escolha de uma modalidade desportiva para praticarem.

Entre 1990 e 1992, Juca Fernandes também esteve no Sporting Clube do Lubango como treinador de karaté shotokan para todos os escalões em ambos os sexos (iniciados, juvenis, juniores e seniores).

Além das actividades já referidas, preocupou-se em ter formação específica um pouco em torno das modalidades em que notabiliza.

“Participei numa formação de monitores de mini ténis em 1998/1999, daí continuei a dar treino de mini ténis, tendo formado tenista de renome na província da Huíla que despontam no mais alto patamar”, realçou.

Nesta altura e, depois de Luanda ter solicitado professores de Educação Física para frequentar a formação de treinadores de ténis de mesa, Juca Fernandes aderiu ao programa e concluiu com êxito o curso. A partir dessa data, esteve sempre atento a todas as formações que se realizavam na província em termos de desporto, aumentando o seu currículo como professor.

“Frequentei também um curso de futebol de nível I, em 1985/86, cujo diploma foi assinado pelo ex-presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF) Justino Fernandes. A par deste, estão os cursos de nível I de atletismo e basquetebol. Neste momento tenho formação para ensinar o ABC de qualquer uma destas modalidades num clube”, assegurou.

OUTRAS  CONTRIBUIÇÕES
Cinturão negro 1º dan no shotokan


Juca Fernandes também abraçou a carreira desportiva no Karaté Shotokhan pela mão de mestres como José Luís Montez, graduado com o cinturão negro em finais dos anos 90 e princípios de 2000, quando se retirou da prática do futebol para aderir à carreira de treinador na mesma modalidade.

“Esse senhor, se me lembro bem, veio transferido de Luanda para trabalhar na modalidade de Karaté na Huíla juntamente com um outro individuo chamado Nelo Russo”, recordou.

Segundo Juca Fernandes a dupla José Montez/ Nelo Russo foram os principais incentivadores da prática de karaté na Huíla em todos os escalões, principalmente José Luís Montez que, na altura, era o proprietário de uma academia.

“Como na altura não tinha tempo para exercícios, já que eram à noite e conciliava com os estudos, optei por praticar artes marciais, onde me recordo de ter chegado a participar nos primeiros campeonatos em 2000, nos quais os huilanos se classificaram na segunda posição a nível nacional, apenas tendo ficado a perder em relação aos praticantes da capital.

 Nessa competição, conquistou uma medalha que marcou a sua vida desportiva como karateca, uma vez que na altura eram graduados com cinturões amarelos, laranja e verde. Disputou ainda várias competições em Luanda em representação do Clube Desportivo da Huíla.

Juca Fernandes refere que as graduações de cinturões que ostenta foram sempre feitas com os mestres de cinturão negro oriundos de Luanda, concretamente o Sensei Montez, Oquinawa, Germano e Joãozinho.

Para Juca Fernandes, Germano Gomes, actual presidente da federação Angolana de Karaté-Dó, é um dos principais karatecas a nível de Angola e da região da África Austral, os restantes acima referidos vêm logo a seguir e são todos graduados com cinturão negro 5º e 4º dan. “Sou cinturão negro 1º dan. Tenho estado a trabalhar para elevar-me ao 2º dan”, garantiu.

POR DENTRO

Nome completo:
Severino Xavier Fernandes “Juca Fernandes”
Local e data de nascimento:Lubango (Sede), 04/02/1964.
Estado Civil: Casado, com Maria da Conceição Malta Fernandes
Filhos: Seis, quatro meninas e um rapaz
Altura: 1,66 metros
Peso: 55
Calçado: 39
Prato Preferido: Pirão com leite azedo (omavele).
Bebida: Sumo natural de laranja sem açúcar.
Tempos livros: Gosto pela leitura, principalmente ler a Bíblia Sagrada.
Cidade: Namibe (por ser calma).
País: Congo Brazaville, devido à fascinante passagem do rio que separa os dois Congos.
Ídolo: Jesus Cristo
O que mais teme:
Falsidades
Religião: Acreditar em Deus
Clube do Coração: Sporting Clube do Lubango (Angola) e, no exterior, o Sporting Clube de Portugal.
Já alguma vez mentiu: Todo o ser é por natureza mentiroso, mas há mentiras necessárias.
Desejo/Sonho: Fazer uma formação superior na área desportiva para ajudar o país.