Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Egipto acolheu a edição do CAN de 1959

Matias Adriano - 28 de Agosto, 2009

Matias Adriano Por razões não claramente explicadas até hoje, apesar de toda vontade e interesse demonstrados pelos egípcios Abdel Aziz Salim e Mohamed Lotfi, pelos sudanês Bdaoui Mohamed e Abdel Halim Chaddad e ainda pelo sul africano Freud Weil de promover um campeonato que congregasse as nações africanas, a adesão ao torneio levou algum tempo.Tanto assim é que, dois anos depois da primeira edição, disputada em solo sudanês, quando a esmagadora maioria esperava pelo alargamento do número de equipas participantes, isto não veio a acontecer. Em 1959 no Egipto a prova voltou a ser disputada pelas mesmas três selecções que tinham estado em Kartum.Assim, Egipto país anfitrião, Sudão e Etiópia disputaram a segunda edição, numa espécie de um torneio triangular. Os faraós como detentores do ceptro, condição à qual juntavam ainda o factor casa, não tiveram quaisquer dificuldades para revalidar o título e se sagrarem bi-campeões africanos.Nessa edição os egípcios de apresentaram quase com o mesmo plantel que tinha, dois anos antes, arrebatado o troféu no Sudão. Ad-Adb continuava a ser o esteio do conjunto, um verdadeiro terror para as defesas contrárias tendo contribuído grandemente nos golos que foram determinantes à consagração. Mas quem mais se destacou na equipa campeã foi o lendário defesa Mohmoud Gohary.A hegemonia egípcia viria apenas a ser quebrada na edição de 1962 na Etiópia, altura em que o torneio evoluiu para cinco participantes, com a entrada de mais dois Estados, nomeadamente Tunísia e Uganda. Nessa edição embora tenha chegado a final, porém não foi capaz de superar o país anfitrião que acabou por erguer a taça.Mas, narra a história da competição, o Egipto foi um digno vencido. Pois, não vendeu barato a sua destituição do trono. Aliás, mesmo no jogo da final só foi superado naquele que foi, como consta dos registos, o primeiro prolongamento na história dos CAN, por 4-2 após igualdade a duas bolas ao fim dos 90 minutos regulamentares.Depois da edição de 1959 o Egipto voltou a receber a prova em outras três ocasiões, ou seja, em 1974, 1986 e 2006, sendo actualmente a selecção mais titulada com seis campeonatos no palmarés.