Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Escola descobre novos talentos

Augusto Panzo - 18 de Dezembro, 2014

Jacinto Bernardo (secretário geral da Administração Municipal de Ambuíla) no momento da abertura oficial da escola de futebol

Fotografia: José Soares

A pequena e pacata Vila de Quipedro, sede comunal da circunscrição com o mesmo nome, situa-se  no Sudoeste do município de Ambuíla, na província do Uíge, viveu no último fim-de-semana uma agitação fora do comum.

Os mais de 90 quilómetros que separam aquela recôndita vila da capital provincial, dos quais 50 quilómetros são  asfaltados e o resto feitos por picada ladeada de um luxuriante verde invejável, foram trilhados por dezenas de viaturas, que transportavam populares das aldeias circunvizinhas, delegações governamentais, órgãos de comunicação social e pessoas amigas e naturais, saídas de Luanda.

A razão de tanta movimentação resumia-se na abertura, no passado domingo, da Quipedro Escola FC, uma instituição vocacionada para a formação de jogadores de futebol, uma iniciativa da Associação dos Naturais e Amigos daquela comuna do município de Ambuíla (Anaquipedro).

O acto de abertura  coube ao secretário geral da Administração Municipal de Ambuíla, Jacinto Bernardo, na presença de outras entidades governamentais locais, da sociedade civil e do partido MPLA. A Quipedro Escola FC é uma instituição que conta com 170 petizes inscritos e já a frequentar as aulas,  tem como lema “Livro na mão, Bola no pé”, numa alusão à aliança entre a formação académica e o aprendizado do futebol.

A Quipedro Escola FC está sob orientação dos técnicos Eduardo Bonga e Guilherme da Silva, o primeiro um conhecido treinador de escalões de formação das periferias da cidade de Luanda, cujo realce foi orientar  durante  longos períodos a escola de futebol da Nova Cimangola.

O treinador Eduardo Bonga, por altura da abertura oficial da Quipedro Escola FC, agradeceu a criação da referida instituição de formação futebolística, apesar de estar a dar  os seus primeiros passos, referiu-se também ao facto de os miúdos estarem a enquadrar-se bem no projecto, o que abre uma boa perspectiva para o futuro desportivo naquela comuna da província do Uíge.

Depois de elogiar o projecto, enalteceu o governo a possibilidade que concedeu para a implementação da escolinha pela Anaquipedro , Eduardo Bonga realçou igualmente a vantagem que trás para a  comunidade e reconheceu que num passado recente os petizes não aceitavam frequentar a escola tradicional, mas por via da Quipedro Escola FC, a rapaziada está a entregar-se de corpo e alma, o  que os afasta  das actividades socialmente nocivas.

“Hoje vivemos uma nova era na nossa comuna. Desde que a Anaquipedro decidiu abrir a Escola de Futebol na região, só temos benefícios, pois as crianças já aceitam frequentar as aulas académicas. Ou seja,  é condição primordial estudar para fazer parte do projecto futebolístico. Aliás, o lema da escolinha (Livro na mão, Bola no pé) é muito bem elucidativo”, disse.

PROJECTO
Sobas da região passam mensagem

O treinador do projecto de formação futebolística da Associação dos Naturais e Amigos de Quipedro (Anaquipedro), Eduardo Bonga, disse em entrevista ao Jornal dos Desportos, domingo último, por altura da abertura oficial da Quipedro Escola FC, que a afluência de crianças é cada vez maior, porque a mensagem se tem expandido muito para as aldeias afastadas da sede comunal.

De acordo com  o técnico, a mensagem tem sido levada pelos sobas, o que pode elevar para 200 petizes. Ou seja, 170 crianças frequentam a Quipedro Escola FC. “O número de crianças pode elevar nos próximos dias. Temos nesse momento 170  praticantes, mas a afluência de miúdos é cada vez maior, porque  contamos com os sobas da região que têm passado a mensagem sobre a existência do projecto futebolístico e os seus benefícios para os meninos e para a comunidade”, disse.

De acordo com o técnico Eduardo Bonga, a escola de futebol tem material de apoio, desde bolas, cones, pratos e equipamento e acredita que no que estiver em falta, a direcção do projecto consegue levar para o local de formação, tão logo solicite.

“Felizmente, não nos podemos queixar de material desportivo. Graças a Deus, temos o suficiente para desenvolvermos o nosso trabalho sem sobressaltos, pois a direcção  colocou à disposição dos técnicos e das crianças os meios necessários . Se faltar alguma coisa, estamos convencidos que os membros da Associação vão responder em prontidão”, sustentou.                                                         
AP

RECEPÇÃO APOTEÓTICA
Akwá marcou presença
na cerimónia inaugural

O antigo capitão dos Palancas Negras e presidente da Associação Kandengue Habilidoso, Fabrice Maieco “Akwá” testemunhou a abertura oficial do projecto futebolístico da Anaquipedro. Fabrice Maieco que esteve domingo à tarde na sede comunal de Quipedro, com o propósito de participar igualmente de um jogo amigável entre o Misto de Ambuíla e os Amigos do Akwá, inserido na mesma actividade (abertura da escolinha de futebol) e dos 58 anos da fundação do partido MPLA, foi recebido em apoteose pela população presente no local.

O helicóptero que transportou Akwá e seus acompanhantes a Quipedro aterrou na localidade por volta das 15h35, depois de um considerável atraso em relação ao que estava programado, por antes  participado  no jogo da final do Torneio “10 de Dezembro”, entre as selecções de velhas guardas de Luanda e de Malanje, disputado no campo do Complexo Escolar e Desportivo do Progresso Sambizanga a que assistiu o Presidente da República e do partido MPLA, José Eduardo dos Santos.

A grande multidão deslocou-se ao improvisado aeródromo, encontrado por perícia dos pilotos, uma vez que a aterragem se efectivou numa pequena estrada, em função da falta de espaço apropriado na região. Tão logo a máquina voadora se fez ao chão, a população invadiu o local onde aterrou o helicóptero, circundou-o na totalidade, porque todos queriam ver o antigo capitão dos Palancas Negras, ao vivo.

Cerca de dois mil indivíduos acorreu ao local e o astro de futebol ficou totalmente “bloqueado” pela multidão. O efectivo da Polícia Nacional destacado para o local teve de desdobrar-se para fazer a intervenção e protecção a Akwá e seus acompanhantes, uma tarefa que não foi nada fácil, dada a ansiedade da população em ver a antiga estrela dos Palancas Negras.

Após as boas vindas pelo administrador comunal de Quipedro, Sérgio Francisco, o grupo liderado pelo antigo capitão dos Palancas Negras entrou em campo para disputar o desafio com o Misto de Ambuíla, que se saldou numa vitória de 2-1, a favor da equipa dos Amigos de Akwá.                                                     
AP

“País precisa de novos talentos”

O goleador e antigo capitão da Selecção Nacional de futebol de honras, Fabrice Maieco “Akwá,” enalteceu a importância do surgimento da Quipedro Escola FC, inaugurada no passado domingo, naquela circunscrição do município de Ambuíla, província do Uíge, pela Associação dos Naturais e Amigos de Quipedro. De acordo Fabrice Akwá, com a Quipedro Escola FC, o projecto da Associação de Naturais e Amigos locais vai “produzir” novos talentos para o futebol nacional.

“A abertura desta escola (Quipedro FC) tem muita importância, uma vez que o país precisa de novos talentos, porque ultimamente nota-se carência no que toca à formação. Então, a criação dessa escola  enquadra-se  nessa óptica de descobrir e formar novos craques para o país”, disse. 

Akwá espera ver e apoiar, através do projecto Kandengue Habilidoso e parceiros, iniciativas idênticas a da Associação dos Naturais e Amigos de Quipedro (Anaquipedro)  desde que haja um manifesto interesse das pessoas e seja criada a possibilidade de lá chegar, sobretudo a questão das vias de acesso.

“É necessário, que nos expandamos por todo o país. Ultimamente, a cidade de Luanda  regista um crescimento no que diz respeito ao surgimento de Academias de futebol, como a AFA, que tem parceria com o FC do Porto, e a do 1º de Agosto, que fez parceria com o Sporting de Portugal”, reconheceu o homem, cujo golo colocou Angola pela primeira vez (única até agora) numa fase final de um Mundial de futebol.

O antigo jogador forjado no Nacional de Benguela defende o surgimento de instituições em outras regiões, de forma a não concentrar tudo em Luanda, uma vez  que nas demais regiões existem crianças e jovens com muito potencial, basta apenas oportunidades para mostrar o talento que possuem.

“Acho ser muito importante que comecemos a sair de Luanda, ir às províncias. Por isso, considero este projecto de Quipedro uma mais valia, porque aqui também existem crianças que gostam de jogar à bola, mas é preciso conciliar o futebol com a escola de ensino”, insinuou Akwá.

O entrevistado do Jornal dos Desportos mostrou-se muito feliz com o material desportivo colocado à disposição dos técnicos e crianças que frequentam o projecto da Anaquipedro, espera ver brevemente no mercado desportivo os “frutos” da escolinha uígense. A Quipedro Escola FC é instituição que visa a captação e formação de talentos de futebol para o desenvolvimento da modalidade naquela região do município de Ambuíla, na província do Uíge.
Augusto Panzo

Administrador comunal manifesta satisfação
As autoridades administrativas e a  população do município de Ambuila, no geral, particularmente das aldeias que circundam a comuna do Quipedro, manifestaram a sua satisfação pelo surgimento da escola de futebol na região, devido aos benefícios que a mesma trás no seio das famílias.

O administrador comunal, Sérgio Francisco, enalteceu a iniciativa da Associação dos Naturais e Amigos do Quipedro (Anaquipedro), pelo facto de tornar realidade o sonho que até há bem pouco tempo era impensável. “A população de Ambuíla, em particular, a da comuna do Quipedro, em especial, está muito satisfeita com a implantação da escola de futebol aqui, porque vai permitir que a juventude local, não mostre resistência à escola académica. Mas já com este projecto, temos vindo a notar que muitos deles, sobretudo os meninos de pouca idade, estão a ingressar cada vez mais no projecto”, disse.

Sérgio Francisco revelou, que para uma melhor mobilização, as autoridades estatais contam com as similares tradicionais. “A Administração Comunal incumbiu os sobas das diversas aldeias da comuna (Quipedro), no sentido de  passar a mensagem aos encarregados de educação, para que estes incentivem os filhos a aderir ao projecto”, avançou. Da mesma forma que o administrador comunal, o soba grande do Quipedro, Paca Paixão Tombe, mostrou-se lisonjeado com o surgimento da instituição, principalmente por este ter o lema “Livro na mão, Bola no pé”.

“É uma grande satisfação para nós, na medida em que esta actividade que agora tem início, traz muita vantagem para a nossa juventude. Antes, não havia nada que pudesse cativar os jovens, mas com este princípio, os miúdos vão estar mais atentos, com vista a entrarem na escola de futebol e também na instituição académica, em função do lema livro na mão, bola no pé”, afirmou o soba grande do Quipedro.         
AP

ALÍVIO
Mães dos petizes
sentem a diferença

As mães cujos filhos estão integrados na Quipedro Escola FC ,sentem-se aliviadas de certa pressão, depois que as suas crianças começaram a frequentar o aprendizado da modalidade rainha do desporto, em virtude desta cativar a atenção dos miúdos, que antes só se dedicavam à vadiagem. Fineza Manuel Bambi, uma das mães que tem o filho no projecto, começou por enaltecer o facto da comuna do Quipedro ter merecido a atenção, para que fosse construída a escolinha.

“Em primeiro lugar quero agradecer às pessoas que tiveram a iniciativa de trazer para a comuna do Quipedro, uma escola de futebol. Nunca me passou pela cabeça que um dia nós fossemos bafejados pela sorte, de ter uma instituição destas”, confessou.  Fineza Manuel Bambi manifestou a satisfação em nome das suas companheiras, pelo facto dos filhos estarem a viver uma nova era. “A criação desta escola de futebol trouxe algo de especial para a comunidade, particularmente nós as mães, pelo facto de vermos os nossos filhos mudar de comportamento. Está a  dar-nos  um bom exemplo e estamos bem alegres com isso”, ressaltou.                              AP


TALENTO À VISTA
Pedro é referência

O trabalho de descoberta e formação de jogadores da Quipedro Escola FC teve início há pouco mais de uma semana, mas os frutos já começaram a surgir. Pedro Manuel Feliciano “Pedrito”, de 13 anos de idade, já é tido como a grande referência do grupo de petizes às ordens dos técnicos Eduardo Bonga e Guilherme da Silva.
De corpo franzino, Pedrito tem vindo a sobressair dos outros, em função das suas habilidades e técnica no jogar futebol, facto que tem admirado à equipa técnica, assim como a própria população local.
Os dotes de “menino prodígio” de Quipedro ficaram evidenciados durante a partida de confraternização entre as duas equipas infantis, disputada no âmbito da abertura da referida escola.
No jogo, o petiz assumiu o papel de capitão de um dos conjuntos, destacou-se no sector defensivo em que actuou como central e conseguiu mostrar ser um “diamante” que bem lapidado, vai ter muito a dizer no futebol da região e nacional.                                                             AP