Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Fao parte da histria dos caulinhas

Sardinha Teixeira - 23 de Novembro, 2010

Lus Felisberto Jorge, ex-caulinha do Idromil FC

Fotografia: Paulo Mulaza

Hoje, vinte e oito anos depois, o “Caçulinhas da Bola” regressa aos campos. Pois, é um projecto para abraçar. Afinal, estamos a semear hoje para colher amanhã. Para bem de todos os clubes. Por isso, é imperioso, todos apoiarem esse projecto do Movimento Nacional Espontâneo e dar oportunidade aos nossos caçulinhas de mostrarem o quanto valem.

No Caçulinhas da Bola vimos despontar excelentes talentos para o nosso futebol. A par disso, o projecto estava direccionado a crianças residentes nos bairros com a finalidade de ocupar os tempos livres dos mesmos. Não resta dúvida, que a ressurreição do torneio “Caçulinhas da Bola” contribuirá expressivamente para o crescimento da qualidade dos futebolistas angolanos. A intenção de fazer renascer o torneio acontece em boa altura, porque o futebol nacional vive momentos difíceis.

Luís Jorge, antigo caçulinhas do Idromil FC, da Huíla, defende que o projecto deve ser abraçado por todos. ”É preciso criar as condições para a formação de mais talentos no futebol, fomentando a organização de provas infantis que facilitem aos jovens futebolistas mostrar as suas habilidades”, disse.

Luís Jorge, quando foi caçulinha, foi sempre uma das opções mais esperadas pelos dirigentes do Idromil FC. A opção pelos dirigentes rendeu frutos, anos depois foi pretendido pelo clube N’Gola, onde actuou e triunfou. Ele foi um jogador que actuava em todos os sectores, que competiu durante várias épocas no clube, acabando por integrar um lote de futebolistas seniores.

 Natural do Namibe, Luís Jorge, curiosamente fez carreira no clube N’Gola desde a sua entrada, quando a agremiação já havia captado as suas fortes potencialidades. Durante a sua carreira, Luís Jorge manteve-se de “pedra e cal”, mostrando-se um dos craques da formação cervejeira, trabalhando com grande regularidade no plantel principal.

Actualmente, Luís Jorge é funcionário público, e aproveita o tempo para mostrar os seus dotes futebolísticos aos fins-de-semana. Joga na Velha Guarda do Curtume, onde continua a evidenciar todo o seu valor, que tem sido premiado com constantes convocatórias para a equipa nos provinciais de Luanda.

Altos & Baixos

Velhas Guardas

No clube N’Gola brilhou alguns anos. Teve oportunidade para se exibir perante a vitrine da província, ele era tratado como o cordeiro do clube e foi até oficializado nessa condição. Mais tarde, deixava Lubango com destino a Luanda. Contudo, seu envolvimento com o futebol passou a ser mais evidente. Naquele mesmo ano foi um dos fundadores das Velhas Guardas do Morro Bento.

Golos anulados

“Foi o momento mais triste da minha vida, ver a minha equipa ser iliminada nos quartos-de-final da Taça de Angola em 92, diante do Benfica do Huambo. A equipa marcou dois golos que acabaram por ser anulados pelo árbitro Roberto Talaya (falecido).
Portanto, uma trajectória marcada por altos e baixos”, sublinhou.

Quem é quem …

Nome: Luís Felisberto Jorge
Data de Nascimento: 1/3/71
Natural: Namibe
Nacionalidade: Angolana
Peso: 67 Kg
Altura: 1,73 m
Modalidade: Futebol
Clube: Velha Guarda do Curtume do Cazenga
Prato preferido: Funge
com carne seca e lombi
Tabaco: Não
Bebida: Vinho e Cerveja
Número de calçado: 41
Hobbyes: Leituras e filmes
Filmes: Acção
É religioso: Sim
Cor: Branca
Poligamia: Respeito
Perfume: Chanceler
Música: Semba
Esplanada ou discoteca:Esplanada
Droga: Contra
País: Angola
Cidade: Luanda
Conduz: Sim
Campo ou praia: Praia
Um sonho a realizar: Dirigir uma equipa de Caçulinhas 
Deus: O Homem maravilhoso
Imprensa: Imprescindível