Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

FC Porto pode reduzir despesas na próxima época

24 de Março, 2010

A oito jornadas por disputar na Liga portuguesa, o FC Porto ocupa a terceira posição

Fotografia: Reuters

O FC Porto pode ser obrigado a reduzir as suas despesas na próxima época, depois da eliminação da Liga dos Campeões de futebol e do provável terceiro lugar na Liga portuguesa, que deixa o clube afastado dos milhões europeus. Antes da "humilhação" sofrida em Londres, frente ao Arsenal (5-0), na segunda-mão dos oitavos de final da "Champions", o FC Porto arrecadou 18,7 milhões de euros (1 euro equivale a 124 kwanzas) na prova europeia.

A esse valor acrescenta-se cerca de três milhões de euros provenientes das receitas de bilheteiras dos quatro encontros em casa, com Chelsea, APOEL Nicósia, Atlético de Madrid e Arsenal. Os cerca de 21,7 milhões de euros ganhos pelo FC Porto na liga "milionária" representam um quarto do orçamento dos "azuis e brancos" para a presente temporada, que ultrapassa 80 milhões de euros.

Nos últimos três exercícios, o FC Porto teve sempre resultados positivos, tendo tido um somatório de 15,4 milhões de euros. No exercício que terminou a 30 de Junho de 2009, os "dragões" tiveram um resultado positivo de 5,1 milhões de euros, tendo no anterior tido o melhor resultado dos últimos três anos (8,0), depois de ter tido um resultado positivo por 2,3.

No primeiro semestre do actual exercício, a SAD do FC Porto apresentou um resultado positivo de 19,6 milhões de euros, valor que deve descer no segundo semestre. Os lucros dos últimos anos dão uma almofada de segurança à SAD, o que não deve impedir, no entanto, uma redução substancial no orçamento da próxima época. Com oito jornadas por disputar na Liga portuguesa, o FC Porto ocupa a terceira posição, a 11 pontos do líder Benfica e a oito do Sporting de Braga, que ocupa a segunda posição, último de acesso à Liga dos Campeões.

Caso não consiga recuperar deste atraso, o FC Porto ficará fora da Liga dos Campeões pela primeira vez desde 2002/03, ano em que venceu a Taça UEFA. Terminando a Liga em terceiro lugar, o FC Porto apurar-se-á para a Liga Europa, que tem prémios monetários muito inferiores aos da Liga dos Campeões, o que deve obrigar os "dragões" a reduzir a despesas.

Real Madrid deve perder 20 milhões

Além de levar a pior contra o Lyon e cair pela sexta vez seguida nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, o Real Madrid também vai amargar um prejuízo nos seus cofres. Segundo o jornal espanhol "Marca", o clube vai deixar de ganhar por volta de 20 milhões de euros, por causa de mais uma queda precoce no nobre torneio europeu. Nas contas da publicação, o Real embolsaria 3,3 milhões de euros caso fosse às quartas, quatro milhões de euros se chegasse às meias-finais e entre 5,2 e 9 milhões de euros se fosse vice ou campeão da Liga. Além disso, ganharia mais 2,5 milhões de euros com um eventual título da Supercopa da Europa.

O jornal lembra, ainda, que o clube "merengue" teria mais lucro com ações de marketing e até seria convidado a disputar mais amistosos caso fizesse uma melhor campanha no torneio. Com a eliminação, o Real ganhou "apenas" 6,6 milhões de euros com sua participação na competição (3,6 milhões após conquistar quatro vitórias e um empate na primeira fase e outros três milhões por ter ido aos oitavos-de-final).

No site do "Marca", um leitor disse que os 20 milhões de euros "desperdiçados" não são problema: "é só vender o mercenário do Kaká", disse ele, colocando o argentino Higuaín e o espanhol Arbeloa ao lado do brasileiro na lista dos responsáveis pelo vexame.
O Real Madrid despediu-se da Liga dos Campeões ao apenas empatar com o Lyon por 1 a 1 no Santiago Bernabéu. No jogo de ida, os franceses abriram vantagem com um triunfo pelo placard mínimo em casa.

Portsmouth despede
trabalhadores

O Portsmouth anunciou o despedimento de 85 trabalhadores, mais de um quarto do seu efectivo, tentando minorar a grave crise financeira que já teve efeitos desportivos com a descida à segunda liga inglesa. O clube, onde actua o português Ricardo Rocha, está em administração financeira judicial, para evitar a falência, e, segundo o administrador Andrew Andronikou, dava emprego a 166 funcionários a tempo inteiro e 154 em trabalho parcial.

O director-geral dos "Pompey", Peter Storrie, aceitou uma redução de 40 por cento do seu salário, mas o gestor reconheceu que é impossível aplicar medidas semelhantes aos futebolistas. "Num cenário destes, há sempre dias em que nos interrogamos se gostamos do nosso trabalho, mas é um trabalho necessário", comentou Andronikou. O Portsmouth é a primeira vítima das grandes dívidas de clubes ingleses: é último classificado no campeonato e vai ficar sem nove pontos, sanção automática prevista pela Liga inglesa caso um clube entre em administração judicial.

Com dívidas a rondar os 70 milhões de euros e sem compradores interessados, o Portsmouth escapou à liquidação judicial, decretada pelo Supremo Tribunal de Inglaterra. O futebol inglês atravessa uma crise financeira sem precedentes e equipas como o Wigan, Hull City ou West Ham arriscam a seguir o mesmo caminho. Históricos como o Manchester United ou o Liverpool também vão acumulando dívidas gigantescas, levando mesmo os seus adeptos a exigir a demissão dos proprietários norte-americanos.

Benfica bate
máximo do ano

Os títulos da SAD do Benfica transaccionam em forte alta e já atingiram o valor mais alto do ano, nos 3,25 euros, a beneficiar da vitória frente ao Marselha. As acções da SAD encarnada já estiveram, assim, a subir quase nove por cento. Cerca das 11:30, os títulos abrandam os ganhos para 2,34 por cento, estando a valer 3,06 euros. O Benfica venceu o Marselha por 2-1, garantindo assim a passagem aos quartos-de-final da Liga Europa.

O Benfica é agora a única equipa portuguesa nas competições europeias. Em termos de volume de transacções, já foram negociadas mais de 16 mil acções da SAD benfiquista, num valor de 50,49 milhões de euros. A média diária de negociações em 2010 é de cerca de 3 mil títulos.