Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

FIFA prolonga acordo de venda de ingressos

10 de Novembro, 2011

Mundial da África do Sul teve perdas consideráveis na venda de bilhetes.

Fotografia: AFP

A FIFA anunciou, esta semana, que a comercialização dos ingressos para os Mundiais de 2018 e 2022 vão estar a cargo da mesma empresa, a Match Hospitality, com a qual a entidade máxima do futebol trabalha há 30 anos. Pelos direitos de venda das entradas do Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil, a empresa pagou 240 milhões de euros. O vínculo contratual entre a FIFA e aquela empresa inclui também as edições de 2017 e 2021 da Taça das Confederações e as edições de 2019 e 2023 do Campeonato do Mundo de Futebol Feminino.

“A FIFA referendou e ampliou o acordo com a empresa que reúne a equipa mais experiente em venda de entradas”, explicou Thierry Weil, director de marketing da FIFA. Pelo acerto, o órgão tem garantia financeira de 300 milhões de euros e participação nos lucros. Com perdas reconhecidas de quase 50 milhões no Mundial da África do Sul, a empresa prevê voltar a ter lucro no Brasil.

Chelsea
e Barcelona lutam por Deulofeu

O impasse na renovação de contrato entre Gerard Deulofeu e o Barcelona está a ser seguido com grande atenção por Arsenal e Chelsea, de acordo com o “Daily Mail”. Gerard Deulofeu, extremo espanhol de apenas 17 anos, pretende ter a certeza de que vai ser opção na primeira equipa do Barcelona, o que está a atrasar as negociações.

Os dois clubes ingleses já estavam interessados na contratação do extremo, cuja cláusula de rescisão ronda os quatro milhões de euros, no passado defeso. Por seu turno, A U. Leiria apresentou uma oposição ao processo de execução relativa a uma alegada dívida de 650 mil euros ao FC Porto, relativa à transferência de Marcos António, em 2007, para os franceses do Auxerre.

O prazo para o pagamento da verba terminava ontem, mas a SAD leiriense contestou a execução que corre no Tribunal Judicial de Leiria, que já arrestou os direitos das transmissões televisivas de forma a assegurar o pagamento aos dragões.

Valência de olho
em Van Wolfswinkel

Seis golos para o campeonato, dois na Liga Europa e os interessados em Van Wolfswinkel vão-se perfilando. Depois do noticiado interesse do Manchester United no jovem avançado holandês, desta feita surgem notícias de que o Valência está a seguir de perto as exibições do número 9 do Sporting de Portugal.

Ainda assim, e tal como A BOLA garantiu atempadamente, caso algum clube formalize o interesse em Van Wolfswinkel na reabertura do mercado, em Janeiro, os responsáveis leoninos não vão ceder a qualquer tentação, pois não querem de maneira alguma afectar o rendimento desportivo da equipa.

Tal há-de suceder mesmo que alguém esteja disposto a pagar os 22 milhões de euros da cláusula de rescisão que, recorde-se, só pode ser accionada em determinado período e apenas no final da época

Ferguson
atrás de Mascherano

O técnico do Manchester United, Alex Ferguson, considera que o argentino Javier Mascherano, do Barcelona, um jogador fundamental para reforçar o meio-campo da sua equipa. De acordo com a imprensa inglesa, o Manchester United estaria disposto em oferecer ao Barcelona cerca de 26 milhões de euros pelo jogador. No entanto, esta transferência é difícil de ser concretizada, porque Mascherano tem tido um papel muito importante no esquema de Josep Guardiola. O argentino tem sido utilizado, com sucesso, também na defesa, e faz com que o treinador do Barcelona não esteja disposto em abrir mão do atleta.

Adidas aposta forte no Flamengo

A Adidas fez uma oferta de 350 milhões de reais (um real vale 0,58 dólares), para um período de 10 anos ao Flamengo para derrubar a Olympikus, actual fornecedora de material desportivo da equipa. O acordo está a ser negociado pela Traffic, parceira do clube, entre a matriz da companhia, na Alemanha, e Patrícia Amorim, presidente flamenguista. A empresa está disposta a pagar a multa anulatória de 10 milhões de reais, existente no contrato entre Flamengo e Vulcabras/Azaleia, detentora das marcas Olympikus e Reebok no Brasil.

Com a realização do Mundial em 2014, a Adidas incluiu na proposta a ideia de montar um “QG da Copa” no Rio de Janeiro e reformar estruturas do clube. O negócio ainda não foi assinado, mas a conversa está em estágio avançado. E tudo está a ser tratado sem conhecimento da Olympikus, actual parceira do Flamengo. O cenário lembra um pouco o que aconteceu quando a Olympikus entrou no Flamengo.

O acordo que marcou a entrada da marca no futebol foi oficializado em 2009, após o fim do vínculo da equipa com a Nike. Meses antes, mas a direcção rubro-negra chegou a accionar a Justiça para antecipar o desenlace. Por conta disso, o clube rubro-negro usou uniformes em que os três aros do símbolo da actual parceira foram substituídos por três pontos de interrogação.

Caso a Adidas obtenha sucesso, o Flamengo voltar a ser o detentor do maior contrato de material desportivo da América Latina.Quando a Olympikus entrou, os 21 milhões de reais anuais desembolsados pela companhia eram o recorde da região - a Nike pagava 7,5 milhões por temporada à equipa do Rio de Janeiro.

Como comparação, o Real Madrid possui um dos maiores contratos de fornecimento de artigos desportivos do mundo. Da mesma Adidas, recebe 42 milhões de euros por ano, ou pouco mais de 99 milhões de reais.