Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Fim da linha

01 de Maio, 2010

Leonardo abandona AC Milan depois de 11 meses

Fotografia: Reuters

O futuro de Leonardo está mais nítido depois do final da conferência de imprensa e confirmaram-se os sinais saídos da direcção "rossonera". Deixam-lhe pouca margem de manobra. O presidente do AC Milan, Silvio Berlusconi, anunciou a saída do treinador brasileiro Leonardo no final da edição 2099/2010 da Liga italiana de futebol.

É um dado que já havia sido publicado pelo jornal "Corriere dello Sport", no qual Berlusconi teria desabafado numa reunião à porta fechada que a saída do técnico estava decidida, alegando que a equipa continua a jogar mal. Adriano Galliani, outro peso-pesado do núcleo duro milanês, lembrou à Sky TV, no mês passado, que o brasileiro tem três filhos no Rio de Janeiro e que, "mais cedo ou mais tarde, voltará" ao país.

E se é verdade que Leonardo foi apanhado de surpresa pela saída de Kaká no Verão - chegou a dizer que contava com a experiência do internacional brasileiro para equilibrar o plantel -, também é preciso ter em conta que a equipa tem sido tudo menos regular. Ocupa o terceiro lugar na Série A a nove pontos do líder, foi eliminada nos quartos-de-final da Taça de Itália pela Udinese e esmagada pelo Manchester United nos 16 avos-de-final da Liga dos Campeões (o resultado final foi 7-2).

Soam mais alto aos ouvidos de Berlusconi as vozes que gritaram, no início da época, que Leonardo era apenas a solução mais barata e mais ao alcance de uma direcção apostada em minimizar os danos financeiros. Também Primeiro-Ministro italiano, Silvio Berlusconi revelou a saída de Leonardo numa declaração ao jornal italiano "Corriere dello Sport". "Sim, está de saída". E justificou: "Tem sido muito teimoso e a equipa joga mal". O elogio ao brasileiro não foi esquecido: "é uma boa pessoa e um bom treinador", disse.

Um treinador e ex-jogador do clube, que começou a época no banco milanês. Apesar de um bom início, tanto na Liga dos Campeões como na Liga interna, acabou por não ser capaz de devolver o AC Milan à glória. O AC Milan atingiu os oitavos de final da Liga dos Campeões e foi eliminado pelo Manchester United (7-2, no resultado agregado). 

Anúncio da chegada 

Adriano Galliani, número dois do AC Milan, havia anunciado, na televisão RAI, o nome do treinador da equipa principal que substituiria Carlo Ancelotti. Entre os adeptos a reacção foi imediata. Uns contra outros a favor. Venceu os contra. Até à nomeação de treinador, Leonardo era consultor do AC Milan no que respeita ao mercado de contratações. Esteve na ida de Kaká para o clube de Milão.

Leonardo começou a carreira de profissional como lateral esquerdo, no Flamengo, mas a transferência para o São Paulo abriu-lhe caminho para o lado esquerdo do meio-campo. Foi nessa posição que jogou nos clubes europeus por onde passou: Valência., Paris Saint-Germain e AC Milan, clube no qual jogou a última época, em 2002/03.

Assistente social
criado no Flamengo

Leonardo Nascimento de Araújo nasceu a 5 de Setembro de 1969. É um ex-futebolista e actual treinador do AC Milan. Começou a carreira como lateral esquerdo no Flamengo, em 1987, mas depois passou a actuar como meio-campista. Entre outros clubes, teve passagens destacáveis pelo São Paulo, Valência, Paris Saint-Germain e Milan.

Leonardo foi formado nas divisões de base do Flamengo e, em 1987, quando tinha apenas 17 anos, foi lançado na equipa principal durante a Taça União. A jogar ao lado de velhos ídolos rubro-negros como Zico, Leandro e Andrade, Leonardo juntou-se à nova safra de craques da Gávea, que incluíam nomes como Jorginho, Bebeto e ZInho. Leonardo deixou o rubro-negro, logo após a conquista da Taça do Brasil de 1990, quando se transferiu para o São Paulo. Sob o comando de Telé Santana, fez parte do chamado "Esquadrão tricolor", equipa campeã brasileiro de 1991, que contava ainda com as presenças de Raí, Cafú e Muller.

Em finais de 1991, Leonardo fez a primeira transferência para o futebol europeu ao assinar um contrato com o Valência. Ficou somente duas épocas no clube espanhol e voltou ao Brasil, onde vestiu, novamente, a camisa do São Paulo. A segunda passagem pelo tricolor do Morumbi foi curta. No entanto, durou o suficiente para que acumulasse títulos importantes como o Mundial Interclubes de 1993.Após o Campeonato do Mundo de 1994, quando foi expulso após uma cotovelada no jogador Tab Ramos, dos Estados Unidos, Leonardo foi jogar no Japão, na recém-formada J-League. A defender a equipa do Kashima Antlers, Leonardo teve nova oportunidade de actuar ao lado do seu grande ídolo e amigo: Zico.

Em 1996, o jogador trocou o Japão pela Europa, desta vez, assinou com o Paris Saint-Germain, da França. Um ano mais tarde, porém, transferiu-se para o todo poderoso AC Milan, no qual permaneceu quatro épocas seguintes. Leonardo deixou o AC Milan, em 2001, e voltou ao Brasil para jogar no São Paulo. Contudo, em decorrência de uma série de lesões, o jogador participou de poucos jogos. Já em fim de carreira, Leonardo transferiu-se para o Flamengo, no qual teve poucas, mas boas actuações. Permaneceu durante apenas seis meses no clube e actuou apenas pelo campeonato Carioca.

Quando surgiram rumores sobre a possível aposentação, o jogador foi convidado a voltar para o AC Milan. Aceitou o convite e, após disputar uma partida pela Série A, na época 2002-2003, anunciou oficialmente o fim da carreira, ao fim da mesma época.

Seleçcão nacional 
No Campeonato do Mundo de 1994, Leonardo teve a oportunidade de iniciar como titular do extremo esquerdo na selecção brasileira, deixando o experiente Branco no banco. O tetracampeonato foi um dos momentos mais inesquecíveis na carreira de "Léo", embora tenha realizado o último jogo nos oitavos-de-final, quando foi expulso após uma cotovelada no jogador Tab Ramos, dos Estados Unidos da América.

Leonardo voltou a conquistar títulos com a selecção nacional, em 1997, quando o Brasil foi campeão da Taça América e da Taça das Confederações. Um ano depois, integrou a equipa brasileira, vice-campeã no Campeonato do Mundo de 1998, realizado na França.
A última partida pela selecção brasileira aconteceu em 2001, durante as eliminatórias sul-americanas para o Campeonato do Mundo de 2002.

Desde 2002, Leonardo passou a trabalhar em diversas funções no AC Milan, dedicando-se aos programas de assistência social na Fundação Gol de Letra e na Fondazione Milan. Entre 2003 e 2009, também ocupou o cargo de dirigente e consultor de mercado do clube italiano, tendo sido o responsável directo pela contratação de Kaká, Pato e Thiago Silva. No Campeonato do Mundo de 2006, trabalhou como comentarista desportivo no programa "Match of the Day", da rede de TV britânica BBC. Em Junho de 2009, Leonardo deixou o cargo de dirigente do AC Milan e foi anunciado oficialmente como treinador do clube milanês.  

Títulos

FLAMENGO

Taça União: 1987
Taça do Brasil: 1990, São Paulo
Campeonato Paulista, São Paulo: 1991
Campeonato Brasileiro: 1991
Supertaça Libertadores: 1993
Supertaça Sul-americana: 1993 e 1994

KASHIMA ANTLERS
Mundial Interclubes: 1993, Kashima Antlers
Campeonato Japonês: 1996

AC MILAN
Série A: 1998/1999
Taça Itália: 2003

Selecção Brasileira 
Campeonato do Mundo: 1994
Taça América: 1997
Taça das Confederações: 1997
Número de Jogos: 60
Golos marcados: 8

Prémios Individuais 
Bola de Prata da Revista Placar: 1991