Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Fomos mal sucedidos

Betumeleano Ferrão - 22 de Outubro, 2012

Responsável pelo futebol da equipa militar confia competência dos técnicos e dos jogadores

Fotografia: Jornal dos Desportos

O fracasso do 1º de Agosto na corrida para o título fez gorar as expectativas da direcção. O vice-presidente para o futebol, Sá Miranda, assegurou em declarações à imprensa que há insatisfação com o desempenho da equipa no Girabola. “Entrámos com o objectivo de sermos campeões, queríamos ganhar e nunca escondemos isto, mas fomos mal sucedidos”, lamentou. O vice-presidente do 1º de Agosto reconhece que os militares perderam consistência em determinadas fases do campeonato: “temos de assumir que houve mesmo baixa de empenho da equipa, basta ver que fizemos uma boa primeira volta, mas descaímos na segunda, então tenho motivos para não estar satisfeito”.

Sá Miranda disse que “apenas um pode terminar em primeiro, mas a minha convicção é que todas as equipas têm o mesmo nível, mas nem todas se empenham da mesma maneira, esta é a única diferença”. Esclareceu que a sua direcção, em tempo oportuno, fez chamadas de atenção ao técnico Romeu Filemon e aos atletas, mas nunca duvidou do valor deles: “a nossa classificação é fruto dos resultados obtidos ao longo da competição, nada tem a ver com incompetência do treinador ou dos jogadores, por isso estamos a analisar em conjunto o que sucedeu mal”.

O desaire no campeonato mexeu com a direcção: “a nossa preocupação é grande neste momento, por isso espero que a equipa aprenda com os erros do presente para corrigi-los no futuro. A potenciação dos atletas depende da equipa técnica mas também é necessário que os jogadores façam a sua parte”. Embora Sá Miranda considere que o desperdício de pontos do 1º de Agosto em determinadas fases do campeonato facilitou a fuga para o título do Recreativo do Libolo, ele revelou que perdeu a fé no título com o desaire caseiro (0-2) ante o Benfica de Luanda: “havia nessa altura linhas bem estabelecidas, afinal o Libolo já não obtinha os famosos resultados, então foi o Benfica que nos colocou nesta condição, foi uma derrota triste”.
Betumeleano Ferrão

Militares estão dispostos a encantar na Champiões
O 1º de Agosto ainda não é um grande no continente, mas às vezes consegue fazer brilharetes nas Afrotaças, como aconteceu em 1997, na primeira edição da Liga dos Campeões Africanos, e em 1998, quando perdeu a final da extinta Taça das Taças. Estas recordações do passado moveram o vice-presidente militar a prometer o regresso aos bons velhos tempos. “Queremos competir no próximo ano na Champions, não vamos lá para participar, por isso queremos entrar com a ambição de jogar de igual para igual com todos”, afirmou. Sá Miranda disse que “temos de acreditar que podemos chegar mais longe nas nossas presenças nas Afrotaças”.

O vice-presidente para o futebol esclareceu que tem estudado o comportamento de alguns adversários internos, sobretudo o Interclube, para ver se aprende lições valiosas capazes de permitir ao seu clube uma presença condigna nas Afrotaças. “Os bons exemplos são para ser imitados, por isso quero louvar o Interclube, infelizmente ainda não ganhou nada em África, mas tem competido ao longo dos anos em pé de igualdade com todos os adversários”, enalteceu.

Sá Miranda assegurou que os técnicos Mário Calado, em 1997, e Daniel Ndunguidi, em 1998, deixaram por escrito um manancial inesgotável de informações suficientes para matar a sede de quem ambiciona triunfar no continente. “O clube tem uma biblioteca na qual existem documentos escritos por estes treinadores, estamos a estudá-los, temos muito para aprender com base no que os outros nos deixaram, esta é uma maneira segura para haver evolução e dinamismo”, reafirmou. BF

DESPORTIVISMO
Direcção contente
com segundo lugar

O campeonato angolano já tem um vencedor antecipado, Recreativo do Libolo, por isso os militares aceitam o “assalto falhado” ao título e já ficam contentes com o segundo lugar, não obstante o seu elenco directivo ter investido muito para formar um plantel competitivo, assegurou o vice-presidente Sá Miranda. A derrota com o Sagrada Esperança de modo algum manchou o novo alvo rubro-negro. Por isso, Sá Miranda pediu espírito de abnegação ao plantel nas duas derradeiras jornadas do campeonato.

“Perdemos na quarta-feira uma grande oportunidade de cimentar a nossa posição, mas estamos convictos de que ainda vamos a tempo de somar os pontos necessários para atingir o objectivo, para isso contamos com a coragem e a bravura da nossa equipa”, disse. O topo da classificação é inalcançável para o 1º de Agosto, mas a vice-liderança vai ter a virtude de ajudar a melhorar o desempenho dos militares no campeonato comparativamente à temporada passada. “O nosso compromisso desde a primeira hora sempre foi o primeiro lugar, mas também é verdade que não podemos baixar três degraus a contar do primeiro”, argumentou.

Embora considere que existe equivalência entre os 16 competidores do Girabola, “para mim a palavra equipa pequena não existe no futebol, o nível dos atletas e as exigências de cada clube é que fazem a diferença”. Sá Miranda espera que o 1º de Agosto resolva já na próxima ronda ante o Académica do Soyo a sua classificação final. “Vamos jogar em casa, precisamos definir o segundo lugar, pois agora é o que nos resta”, afirmouu. BF

CONFIANÇA
Diálogo permanente
com técnicos e atletas

A máxima “é a falar que os homens se entendem” tem permitido a Sá Miranda obter o conhecimento necessário para dirigir o futebol do 1º de Agosto.Antigo central de clubes luandenses, com destaque para o Independente do Rangel, no qual alinhou com Abel Campos e Mingo, o vice-presidente está satisfeito “com todo o apoio” que recebe dentro e fora do clube para desempenhar bem as suas funções num dos clubes mais representativos do futebol angolano. Este ano, têm ocorrido frequentes reuniões entre o vice, equipa técnica e jogadores: “a comunicação aqui é fluente, temos dialogado muito”.

Por causa da franqueza no falar, Sá Miranda tem procurado ser fiel aos seus princípios, elogia e crítica sempre que tem motivos de queixa contra a equipa, ainda assim revelou que a corrente contínua a passar sem problemas.“É verdade que não estou satisfeito com o desempenho da equipa, mas isto não afecta o nosso diálogo permanente”, sublinhou. Além de escutar “conselhos do treinador Romeu Filemon”, o vice-presidente tem feito os possíveis para “beber de outras fontes”. Por exemplo, ele realçou as frequentes conversas com Tony Estraga, director-geral do Progresso Sambizanga, e com Viera Dias, ex-atacante rubro-negro. “Procuro sempre outras experiências porque é pelo convívio permanente com as pessoas certas que as coisas funcionam”, rematou o dirigente. BF

1º DE AGOSTO
“Temos confiança no técnico”

O técnico Romeu Filemon tem o seu lugar seguro no 1º de Agosto. Por isso, a direcção deu total “autonomia” ao treinador para esboçar a temporada de 2013. “Queremos obter bons resultados, é verdade, mas temos confiança no nosso técnico, por isso deixamos que seja ele a constituir o plantel para o próximo ano”, disse o vice-presidente para o futebol rubro-negro. À semelhança da presente época, a direcção do clube quer deixar a equipa técnica trabalhar sem interferências, a fim de colher os frutos do título nacional: “estamos satisfeitos com este plantel e queremos continuar com ele, porque temos uma boa equipa”.

Ao longo da temporada, alguns atletas baixaram de rendimento, mas o mais importante para Sá Miranda é que o técnico Romeu Filemon soube sempre encontrar as melhores soluções: “temos de lamentar o que aconteceu este ano, houve problemas de cansaço e de lesões, mas aqui neste plantel não há insubstituíveis, aqui não existe quem se arma em craque”. Em vários momentos o vice-presidente para o futebol do 1º de Agosto manifestou à imprensa o seu ponto de vista sobre o estado de forma dos militares, mas ele esclareceu que nunca disse nada que Romeu Filemon não soubesse. “Eu sou uma pessoa frontal, o Jacinto Zonzo, supervisor para a alta competição, aqui presente, pode testemunhar isto, antes de aparecer em público já tinha dito as mesmas coisas ao técnico“, justificou.

O 1º de Agosto contratou um novo treinador e mais de uma dezena de atletas, mas o vice-presidente Sá Miranda revelou que esta não foi a causa do fracasso rubro-negro no campeonato e na taça, sendo este o único motivo porque ele se negou sempre a usar o argumento da renovação como desculpa. “Muito honestamente, não podemos justificar-nos dizendo que estamos a construir uma nova equipa, este clube foi fundado há 35 anos, então não pode formar no campeonato há períodos próprios para isto”, realçou. Sá Miranda reforçou: “se há maus resultados não é por causa da reestruturação, senão estaríamos a prejudicar-nos”, enfatizou. BF

COMODISMO
Alguns atletas

querem pouco

O 1º de Agosto quer sempre os melhores jogadores do mercado nacional, mas às vezes alguns atletas frustram a ambição do clube porque se contentam com pouco, alertou o vice-presidente Sá Miranda. Embora tenha omitido nomes, o vice-presidente para o futebol do grémio militar negou-se a aceitar que a camisola do 1º de Agosto esteja a revelar-se demasiado pesada a ponto de certos jogadores baixarem de rendimento. “Eu não acredito nisso, todas as camisolas têm o seu peso, mas há quem chegue aqui e pense que é um grande atleta, por isso não se empenha mas fica assustado com a nossa forte exigência”, disse Sá Miranda. Os clubes ganhadores e perdedores são diferenciados pela maneira como os seus dirigentes, treinadores, atletas e adeptos se apresentam no decorrer da época, este é o motivo pelo qual Sá Miranda tem visto algum conformismo no plantel.“Alguns atletas não são exigentes, por isso eu digo sempre que é o hábito de ganhar que pesa, a própria estrutura dos clubes também faz a diferença”, rematou. BF

PLANTEL PARA 2013
“Filemon sabe o que quer”


A preparação da temporada 2013 está em andamento não obstante haver uma certa indefinição quanto aos atletas a contratar ou a dispensar. O vice-presidente Sá Miranda revelou ontem que continua à espera de uma decisão final do técnico Romeu Filemon. “Ainda não tenho comigo as propostas para saídas ou entradas, mas estamos dispostos a dar ao técnico tudo aquilo que nos pedir”, esclareceu. Apesar de ter admitido alguma lentidão em resolver esta questão, ainda mais porque o mercado interno tem muito pouco para oferecer, argumentou que prefere calar a ter de falar na vez do treinador.

“A única coisa de que tenho certeza é que estamos atrasados, mas também é verdade que o Romeu Filemon sabe o que quer e vai assumir as suas responsabilidades”, afirmouu. Sá Miranda prometeu que todos os atletas a contratar vão assinar no mínimo por duas temporadas, mas a prioridade vai ser dada aos nacionais, pois o 1º de Agosto também quer estar mais bem representado na Selecção Nacional: “estabelecemos este compromisso de fornecer cada vez mais jogadores à equipa nacional, por isso só podemos deixar entrar um ou outro estrangeiro”.

A grande ambição da direcção de Carlos Hendrick é evitar cometer o mesmo erro do Benfica de Lisboa, equipa da qual o general é adepto: “é um clube ambicioso mas é destruidor de atletas, é necessário não cair na mesma situação”. Em anos recentes muitos “gatos disfarçados de lebre” chegaram ao 1º de Agosto apenas para causar prejuízos aos cobres do clube. Em face desta realidade, Sá Miranda prometeu mais rigor na hora de contratar: “não queremos que esta situação se repita mais, se estamos a ir buscar um atleta é porque o conhecemos bem, então ele não pode vir para ser observado”. BF

FEDERAÇÃO
Continuidade
de Pedro Neto

Os resultados desportivos alcançados pela actual direcção da Federação Angolana de Futebol (FAF) foram determinantes para Sá Miranda chegar à conclusão de que não há necessidade de mudança: “Pedro Neto deve manter-se na liderança da Federação, enquanto os resultados alcançados forem estes, eu tenho de acreditar nesta liderança”. Os erros de quem está no comando estão sempre mais expostos, por isso o vice-presidente do 1º de Agosto aconselhou à ponderação na hora de julgar o desempenho da direcção da FAF, ainda mais por estar a ser dirigida por pessoas que foram empossadas num momento de crise.

 “Tudo o que eles ganharam até agora, em termos desportivos, tem de ser valorizado”, esclareceu. Embora vote na continuação de Pedro Neto, o dirigente rubro-negro aconselhou quem está na FAF a escutar as vozes dos seus associados e de todos os que podem contribuir: “desejo que eles saibam ouvir tudo aquilo que se diz, porque a federação é de todos nós, seria bom se nós, os responsáveis dos clubes, de quando em vez fôssemos chamados para exprimir as nossas ideias”, afirmou. BF