Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

"Gorila" Querem sair da crise de resultados

Joaquim Suami, em Cabinda - 21 de Abril, 2010

Direcção confia no trabalho de André Binda

Fotografia: Jornal dos Desportos

Bernardo Ngumbo, de 24 anos, é adepto do Futebol Clube de Cabinda, desde tenra idade. A sua paixão aconteceu quando um primo o convidou a assistir um jogo da equipa. Desde então, passou a integrar um grupo de jovens do seu bairro, que apoiava a equipa em todos os jogos, tanto na província como fora dela.

Hoje, é um adepto ferrenho e, como tal, sente-se mal quando o Futebol Clube de Cabinda perde um jogo, algo que tem sido constante no Girabola’2010.Os maus resultados que o Cabinda vem somando no Campeonato Nacional preocupam-no e à maior parte dos adeptos do clube.

Por isso mesmo, Bernardo clama por maior dedicação da direcção do clube, da equipa técnica e dos jogadores, para os "gorilas" concretizarem os objectivos traçados para a presente época desportiva.A vitória diante do Kabuscorp do Palanca, para a sétima jornada, animou os sócios, adeptos e membros da direcção, que passaram a acreditar um pouco mais no emblema do seu coração.

Ngumbo diz que os adeptos querem que o treinador André Binda mude a filosofia de jogo e convença os jogadores a darem o máximo de si para dignificarem a camisola que usam. "Gosto do Luciano, que é o melhor marcador do Girabola, com seis golos, e do Mawete Júnior" elogia.

Com o objectivo de dar a conhecer à população local, aos adeptos e aos sócios o que realmente se passa no Futebol Clube de Cabinda, ouvimos o seu director para o futebol, Casimiro Nekune, que aproveitou para falar, também, das estratégias para se sair da crise e colocar a equipa nos lugares cimeiros do presente Campeonato Nacional de Futebol.

Para Casimiro Nekune, o desempenho da equipa, atendendo aos objectivos traçados para a presente edição do Girabola, está abaixo da média, ou seja, em termos de prestação, está a menos de 10 por cento do que deveria mostrar. De 18 pontos possíveis, frisou, o Cabinda conseguiu apenas sete, o que não vai ao encontro dos objectivos definidos pela direcção.

O responsável pelo futebol dos "gorilas do Norte" disse, ainda, que apesar dos poucos pontos que têm neste início da competição, a direcção do clube e a equipa técnica estão a trabalhar arduamente para reverterem o actual quadro."O Futebol Clube de Cabinda está a correr o risco de não concretizar o seu sonho, mas é muito cedo para se tirar alguma conclusão", referiu.

Devido aos maus resultados da equipa, a direcção do clube reuniu, na semana passada, com a equipa técnica, comandada pelo professor André Binda, para se inteirar dos problemas e ouvir dos técnicos as razões que levam a equipa a marcar poucos golos.
"Reconhecemos que o clube tem problemas que podem estar por detrás do mau desempenho, mas acreditamos que a equipa venha a melhorar.

Como viram, ganhamos ao Kabuscorp do Palanca. Muitos dirigentes foram jogadores do clube. Esses e outros contribuem para a equipa sair desta crise de maus resultados. A direcção do clube prometeu à equipa técnica fazer de tudo para ultrapassar os pequenos problemas de ordem financeira", explica.

Técnico André Binda
continua no comando


A direcção do Futebol Clube de Cabinda está a trabalhar na criação de condições financeiras para a contratação de novos jogadores para o segundo volta do Girabola."Reforçamos o plantel antes do início do Girabola e perdemos outros tantos bons jogadores, pois, na altura, não tínhamos recursos financeiros suficientes para contratar os atletas que queríamos ter no nosso seio. Fui a Luanda e contactei alguns atletas, mas, por falta de dinheiro, perdemo-los, o que pode estar na origem do mau desempenho da equipa até agora", justificou. 
  
Para a presente época futebolística, o Cabinda conta com os préstimos dos brasileiros Marlon e Luciano, este último o melhor marcador do Girabola. A par dos brasileiros, a equipa reforçou-se com os atletas Mawete Júnior e Luís, que estão a saber transmitir toda a sua experiência aos mais novos.

O director para o futebol dos "dragões do Norte" é da opinião que, com a contratação de Marlon, Luciano, Mawete e Luís, a equipa ganhou prestígio e nova postura em campo. Casimiro Nekune revelou que, a par dessas contratações, o clube possui um projecto de formação, comportando 100 jovens nas categorias dos iniciados, juvenis e juniores, que às vezes são chamados a fazer testes a fim de integrarem na equipa principal.

"O Futebol Clube de Cabinda possui um projecto de formação que visa descobrir novos talentos. Sessenta por cento dos jogadores que fazem parte do plantel principal foram formados no clube. Estamos a trabalhar com 100 jovens nas categorias de iniciados, juvenis e juniores", revelou.

Direcção procura reforços
para a segunda volta

A direcção do Futebol Clube de Cabinda está a trabalhar na criação de condições financeiras para a contratação de novos jogadores para o segundo volta do Girabola. "Reforçamos o plantel antes do início do Girabola e perdemos outros tantos bons jogadores, pois, na altura, não tínhamos recursos financeiros suficientes para contratar os atletas que queríamos ter no nosso seio.

Fui a Luanda e contactei alguns atletas, mas, por falta de dinheiro, perdemo-los, o que pode estar na origem do mau desempenho da equipa até agora", justificou.   

Para a presente época futebolística, o Cabinda conta com os préstimos dos brasileiros Marlon e Luciano, este último o melhor marcador do Girabola. A par dos brasileiros, a equipa reforçou-se com os atletas Mawete Júnior e Luís, que estão a saber transmitir toda a sua experiência aos mais novos.

O director para o futebol dos "dragões do Norte" é da opinião que, com a contratação de Marlon, Luciano, Mawete e Luís, a equipa ganhou prestígio e nova postura em campo. Casimiro Nekune revelou que, a par dessas contratações, o clube possui um projecto de formação, comportando 100 jovens nas categorias dos iniciados, juvenis e juniores, que às vezes são chamados a fazer testes a fim de integrarem na equipa principal.

"O Futebol Clube de Cabinda possui um projecto de formação que visa descobrir novos talentos. Sessenta por cento dos jogadores que fazem parte do plantel principal foram formados no clube. Estamos a trabalhar com 100 jovens nas categorias de iniciados, juvenis e juniores", revelou.

Situação financeira
está estabilizada


O Futebol Clube de Cabinda tem a situação financeira regularizada, disse o director para o futebol, Casimiro Nekune, que revelou que os "gorilas do Norte" contam com o total apoio do Governo da Província de Cabinda, na pessoa do governador Mawete João Baptista, que tudo faz para ultrapassar as dificuldades do mesmo.

"A direcção do clube pagou os salários dos jogadores, os prémios de jogo e algumas diferenças ligadas ao Zonal de Apuramento ao Girabola’2010. A direcção entregou ao Governo da província um caderno de encargos, no qual constam os gastos a fazer durante a presente época.

Depois de apreciar, o governador fez as correcções que se impunham e ordenou a execução imediata" explica. Casimiro Nekune referiu que, quando se ouve que o clube vive uma crise financeira, é porque o montante solicitado não está disponível na sua conta. Esses casos são, de imediato, comunicados ao governador provincial para solucionar a situação."O clube já tem dinheiro. Não temos dívidas para com os atletas nem a equipa técnica.

Além do Governo da província, o Futebol Clube de Cabinda conta com o apoio de alguns sócios, pessoas de boa fé e dirigentes, que ajudam a título de empréstimo", rematou.