Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Ibrahimovic o mais bem pago em Itália

25 de Janeiro, 2012

Zlatan Ibrahimovic do AC Milan

Fotografia: AFP

O jornal italiano “Gazzetta dello Sport” publicou esta semana a sua lista anual com os salários dos jogadores da Serie A. Como seria de esperar os AC Milan, Juventus, Inter e AS Roma, são os clubes que maiores salários pagam na Série A Italiana, com a curiosidade de serem os únicos capazes de pagar salários anuais superiores a 2.5 milhões de euros anuais.

O sueco Zlatan Ibrahimovic do AC Milan, conserva a posição do jogador mais bem pago em Itália por larga margem (9 milhões de euros anuais), seguido de longe pelo holandês Wesley Sneijder e  por Gianluigi Buffon, ambos na casa dos 6 milhões de euros anuais.


Sporting encaixa uma boa soma
com empréstimo obrigacionista


A SAD do Sporting anunciou que conseguiu financiar-se em 20 milhões de euros através da colocação total de um empréstimo obrigacionista. Perto de 2.700 investidores, sobretudo portugueses (2.653), garantiram o sucesso da operação e, no final, a procura foi 1,58 vezes superior à oferta.

Apenas 31 investidores do resto da Europa e outros 14 do resto do Mundo subscreveram estes títulos com maturidade a três anos e quatro meses. A seduzir os investidores esteve um juro anual de 9,25 por cento, a contrapartida mais elevada de sempre em operações do género. O Millennium BCP e o BES foram os bancos que realizaram a emissão.
Da estrutura accionista do Sporting fazem parte a Sporting SGPS (67 por cento), o Sporting CP (25 por cento) e Joaquim Oliveira (cinco por cento). O resto do capital está disperso por vários investidores.

Em 13 anos de presença no mercado de capitais, a SAD do Sporting conseguiu angariar 150 milhões de euros e parte deste montante serviu para amortizar dívida anterior. A última operação de financiamento foi concretizada e correspondeu a um novo empréstimo obrigacionista de 20 milhões, com uma taxa de 9,25 por cento (contra os 19 por cento das Obrigações do Tesouro a três anos, imitadas pela República portuguesa), o qual serve para amortizar o que termina este mês, no valor de 19 milhões.

A superação da oferta em 58 por cento, face aos quatro milhões de obrigações que estavam em jogo, foi motivo de regozijo pelo presidente do clube, Godinho Lopes. “Tratou-se de uma boa resposta dos subscritores e devo depreender que são pessoas que acreditam no projecto encabeçado por esta administração”, disse, na Euronext Lisboa, o líder sportinguista, na sessão especial de divulgação do resultado da Oferta Pública de Subscrição de obrigações.


Dívida de clubes portugueses
cresceram na última década

Os clubes portugueses de futebol profissional endividaram-se em 500 milhões de euros nas últimas dez épocas. Esta é a principal conclusão do estudo “Competição fora das 4 linhas” que uma equipa de peritos da Universidade Católica realizou para a Liga Portuguesa de Futebol Profissional. O documento adianta que os clubes profissionais em Portugal tiveram prejuízos de 55 milhões de euros na época 2009/10, tendo as dívidas (sobretudo à banca) aumentado para 500 milhões de euros nas últimas temporadas. O estudo, divulgado por Fernando Gomes, máximo dirigente da Liga, bem como dos coordenadores do estudo, os professores Alberto Castro e Álvaro Nascimento, aponta ainda para mudanças num modelo de negócio que é incapaz de gerar fundos para remunerar os accionistas, embora tenha sido capaz de se regenerar com capitais alheios. Além disso, refere o estudo, os clubes conseguiram aumentar os proveitos em 300 milhões de euros, um quinto do que se regista em Espanha, com recurso a oportunidades de crescimento no mercado de exportação.


Automóvel Club
esclarece gastos


O Automóvel Club de Portugal (ACP) esclareceu que a subvenção pública de 1,4 milhões de euros que recebeu do Estado em 2011 foi aplicada no WRC Vodafone Rali de Portugal e na prova de todo-o-terreno Estoril-Marraquexe, eventos com retorno financeiro. O esclarecimento do Automóvel Club de Portugal (ACP) à Lusa surge no dia em que o jornal “Correio da Manhã” noticiou que o “Estado gastou mais de 560 milhões com subvenções em 2011, dadas ao abrigo de um diploma que tem por objectivo assegurar a realização de missões de interesse geral, com vista à satisfação das necessidades fundamentais dos “cidadãos”. Segundo a publicação, o Turismo de Portugal entregou 1,4 milhões ao ACP ao abrigo de “actividades promocionais”.