Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Inundaes inviabilizam GP Baja Longa

Helder Jeremias - 14 de Julho, 2016

Fortes emoes de rali vo animar a localidade da Quiama

Fotografia: Jornal dos Desportos

A quarta jornada do Campeonato Angolano de Rali/Raid-Carr'2015, prevista para o próximo fim-de-semana, nas margens do Rio Longa, no município da Quissama, em Luanda, está adiada para tempo indeterminado, em virtude de grande parte do circuito se encontrar 0alagada em consequência das fortes quedas fluviométricas que aquela região recebeu na última estação chuvosa.

Os técnicos da empresa promotora do evento, Ekuipa, deslocaram-se ao local para avaliar as possibilidades de uma intervenção mecanizada para procederem à drenagem das águas, mas a equipa deparou-se com circunstâncias inesperadas. A área inundada apresenta um declive que não permite a intervenção. A solução passa por esperar até que haja uma infiltração natural, de acordo com uma nota enviada a nossa redacção.

Com a competição a registar momentos de grande emoção nas distintas categorias, fruto do crescente número de pilotos nas três jornadas disputadas, com palcos no Namibe, na Huila (Quilengues) e em Benguela (Baia Azul), as equipas aguardam com grande entusiasmo a próxima empreitada a realizar-se na capital do país.

O director da maior prova radical nacional, Pedro Cristina, é um homem convicto na breve resolução do entrave, apesar de preferir não avançar qualquer data para o Grande Prémio Baja de Quilengues. O dirigente sustenta a sua convicção nos vestígios no local que dão conta de que o nível das águas já baixou de forma gradual nas últimas semanas. Para que o local volte a apresentar uma situação idílica, Pedro Cristina estima mais quinze dias.

Pilotos como Luís Abrantes, Mário Fontes, Bruno Pegado, José Eduardo Panda, Rodrigo Morais, Fábio Brunido, João Lota, Carlos Maio, Edwin Santos, na categoria E; Maló Almeida, Miguel Raposo, Pedro Pinho, da classe TT; Zé Comando, Yvens dos Santos, Ludy Chaves, José Mira, Hélder Coelho "Vuty", Joshua Teixeira, Fábio Cruz, Ricardo Almeida, categoria M, Tiago Monis, Ali Chamseddine, Paulo Trindade, Alexandre Andrade, Miguel Cardoso e Hamilton Gonçalves, da classe Q, são os principais protagonistas nos diferentes circuitos espalhados pelo país adentro.

Pedro Cristina acredita que o tempo adicional à realização da Baja de Quilengues sirva para que as equipas façam uma preparação mais acutilante e o número de concorrentes venha a superar o Grande Prémio Baia Azul. Na última prova, estiveram presentes 23 participantes com destaque para os pilotos de Benguela, que se apresentaram na maior força. A jornada ficou marcada pelo apoio incondicional do Grupo Adérito Areias, propriedade de um empresário que muito tem contribuído para o desenvolvimento do rali em terras de O'mbaka.

"Foi uma prova de grande nível, pois o circuito é caracterizado pelo piso arenoso, o que torna pouco desgastante para as questões mecânicas.Só os pilotos sem uma preparação física à altura se queixaram do cansaço. Observou-se poucas desistências, reduzido número de quedas e nenhum acidente. Um prólogo com pouco mais de 10 quilómetros, numa área com vista fantástica sobre a Baia Azul e a Baia Farta, foi simplesmente esplêndido!", exclamou Pedro Cristina.

CATEGORIA E
Abrantes confirma favoritismo na Baía Azul


O piloto individual Luís Abrantes confirmou o favoritismo na corrida pelo título da categoria E (automóveis) do Campeonato Angolano de Rali Raid/CARR-2015 ao vencer as três primeiras jornadas disputadas nos circuitos do Namíbe, Huila e Benguela. Abrantes perfez um total de 60 pontos, seguido de Mário Fontes com 34 pontos e de Bruno Pegado com o total de 28 pontos.

Aos comandos de um Polares RZR X 900, Luís Abrantes travou duelo com Mário Fontes às margens da Baía Azul. A prova ficou marcada também pelo regresso triunfal de Rodrigo Morais. Depois de ter ficado de fora na prova anterior, o piloto soube dar luta aos directos contendores Bruno Pegado e José Eduardo Panda, para ocupar o terceiro lugar ao pódio.

A forma retumbante como os quatro pilotos se exibiram em Benguela permite antever surpresas na quarta jornada com palco na Baja do Rio Longa. O facto do circuito apresentar um piso mais diversificado, vai exigir de Luís Abrantes mais perspicácia para fazer valer os atributos técnicos, muito embora a vantagem pontual lhe possa permitir manter a liderança da com’petição nacional ainda que não termine a prova.

Perante o cenário, a pressão está do lado dos pilotos Mário Fontes e Bruno Pegado, separados na classificação geral por apenas seis pontos.
Os dois adversários devem ter em conta a possibilidade de José Eduardo Panda regressar às competições, depois de ter ficado ausente na prova da Baja do Namibe e na Baía Azul.

Rodrigo Morais é outro piloto que mostrou raça na primeira prova da época com a conquista de 15 pontos. É um exímio conhecedor dos circuitos nacionais, mas esteve ausente na primeira fase por razões pessoais.Nas quatro últimas etapas docampeonato  nacional, Rodrigues Morais garantiu presença regular.

Esse é motivo pelo qual os adversários lhe encaram como um dos fortes candidatos aos lugares mais prestigiantes.Para evitarem fracasso, os principais adversários reforçam as estratégias para contrariar as pretensões de tomada de assalto à liderança na fase derradeira.A categoria E do Campeonato Angolano de Rali da presente época desportiva é disputada sob forte equilíbrio dos contendores.  O campeão só no final.

CATEGORIA M
Zé Comando espreita título nacional



À entrada da quarta jornada do campeonato Angolano de Rali Raid/Carr'2016, a ter lugar na Baja do Rio Longa, em data a ser remarcada nos próximos dias, o despique entre os pilotos Zé Comando e Hélder Coelho "Vuty", na categoria M, está a causar grandes debates entre os adeptos. Os dois pilotos estão em excelente forma desportiva e dotados de nível superior no manuseio de motorizadas de elevada potência.

No histórico de cada um, Zé Comando e Hélder Coelho "Vuty acumulam experiências das diferentes categorias de motociclismo e de motocross, dentro e fora do país. Hélder Coelho faz toda a diferença por competir em três competições em simultâneo: Campeonato Nacional de Velocidades EVO 600cc, Campeonato Nacional de Supermoto 250cc, (também pontuável para o Provincial de Luanda) e Rali Raid Carr-2016.

Vuty esteve ausente nas duas primeiras jornadas, disputadas em Namibe e na Huila. No seu regresso na disputa da Baja da Baia Azul e Baia Farta, classificou-se em segundo lugar, atrás do piloto português José Mira. Hélder Coelho evidencia o potencial para levar de vencida a contenda, desde que as questões subjectivas não coloquem em causa a regularidade na fase conclusiva da presente época.

Por seu turno, Zé Comando, piloto angolano com brilhante passagem pela África do Sul e Namíbia, local onde residiu durante vários anos, tem sabido impor-se no Campeonato Angolano de Rali. Na edição de 2014, ombreou com o Vuty, entre outros nomes da nata do motociclismo nacional, e sagrou-se vencedor. 

Ciente das pretensões de Vuty em fazer história com a conquista de todos os troféus das competições em que se encontra inserido, Zé Comando está a trabalhar "a ferro e fogo" para que a veleidade não manche o prestígio alcançado com muito esmero. A próxima meta passa por manter a liderança da prova com uma vitória na Baja do Rio Longa.Zé Comando ocupa a primeira posição na classificação geral com 30 pontos, seguido de Yvens Santos, Ludy Chaves e José Mira com 20 pontos cada um. Hélder Coelho "Vuty" é o quinto colocado com os 17 pontos amealhados na estreia em Benguela.

DATA
Remarcação preocupa Vuty

Helder Coelho "Vuty" espera que a remarcação do Grande Prémio Baja do Rio Longa, pontuável para a quarta jornada do Campeonato Angolano de rali Raid/Carr-2016 não coincida com as demais provas das categorias em que também está inserido. Depois de fazer uma estreia auspiciosa na Baja da Baia Azul e Baia Farta, na província de Benguela, o irreverente piloto está galvanizado para se manter na senda das grande conquistas e ganhar terreno na tabela geral.

O piloto conta com uma prévia calendarização que doravante lhe vai permitir marcar presença nas quatro competições distintas sob a égide da Federação Angolana dos Desportos Motorizados e a filial Associação Provincial de Luanda. Vuty aposta numa campanha em busca de uma das suas maiores façanhas, depois de ter elevado o prestígio no Campeonato Nacional de Velocidades.

"Estou a trabalhar para os melhores resultados e acredito que a organização vai encontrar uma data oportuna para que a prova do Longa seja disputada sem que crie interferência com os outros projectos", frisou.O piloto reconhece que não tem sido fácil conciliar o trabalho em diferentes categorias, com particular realce no Rali Raid, cujas características exigem maior empenho físico. Vuty está determinado em continuar com o ingente desafio e conta com o suporte de uma equipa de técnicos para ultrapassar as "intempéries".Hélder Coelho incarna um discurso optimista com base no respeito aos adversários. "Todos têm sabido fazer o trabalho de casa. Por isso, tornam a competição mais renhida", disse.

VETERANO
Maló Almeida
imbatível nos TT


O piloto Maló Almeida continua imbatível na categoria dos TT da maior prova radical disputada em solo pátrio. O veterano trava duelo com os experientes Miguel Raposo e Pedro Pinho, segundo e terceiro lugares na classificação geral.Apesar de ser a categoria com o menor número de concorrentes, os três pilotos colocam em evidência a perícia e o excelente sentido de orientação sobre os diferentes declives e tipo de piso que os circuitos nacionais apresentam.

Com vários troféus no acervo pessoal, Maló Almeida é um homem de quem não se pode esquecer, quando questões em volta do desporto motorizado vêm à baila. O seu pergaminho confere-lhe o estatuto de "decano" do automobilismo nacional ao lado de outras referências que fizeram pela vida para que os pilotos nacionais se afirmassem na arena nacional e internacional.

O Campeão em título já acumula 60 pontos obtidos nas três vitórias de igual número de provas que o Campeonato Angolano fez disputar. Maló já esboça o projecto para alargar a conta pessoal na quarta jornada.   Outro nome de quem se espera a subida de rendimento é Artur Afonso. A passagem pela Baia Azul, aos comandos na nova Nissan, permite-lhe vislumbrar mais competitividade na etapa da Baja do Longa, no município da Quissama.

Doravante, Artur Afonso vai trilhar o caminho para uma época profícua, o que passa por terminar o campeonato numa posição confortável na tabela.Na categoria dos Q (quads), o destaque vai para Tiago Monis, primeiro classificado da tabela com 40 pontos, seguido de Ali Chamseddine com 17 e Paulo Trindade, 15. Nas posições imediatas estão perfilados Alexandre André, Miguel Cardoso e Hamilton Gonçalves.