Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Investimentos trazem honras ao país

21 de Abril, 2012

Walter Faustino pede mais atenção das autoridades nacionais

Fotografia: Jornal dos Desportos

O campeão mundial de Ju-Jitsu pede às entidades competentes do desporto nacional para que prestem mais atenção à modalidade para que Angola marque a sua imagem com mais representações nas competições internacionais. Walter Faustino defendeu essa posição em declarações ao Jornal dos Desportos antes da audiência que lhe foi concedida pelo ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba.

“Se sem os apoios, a modalidade atingiu este patamar, imaginemos se tivéssemos todos os amparos. Angola é considerada a melhor também em África. É só uma questão de reflexão, porque os nossos mestres não vivem desse desporto. Eles vivem e dão tudo à modalidade. Se lhes fosse prestado maior atenção, no sentido de os incentivar, o crescimento do Ju-Jitsu trazia a Angola muitas honras”, disse Walter.

O campeão revela que a falta de patrocínios e de apoio financeiro do Ministério da Juventude e Desportos faz com que muitos atletas angolanos não participem dos torneios internacionais. No seu caso particular, “a única ajuda” que recebeu do Ministério da Juventude e Desportos, desde o início da sua carreira desportiva, “foi a carta de autorização para representação de Angola no Campeonato do Mundo”.

“Até o apoio moral que recebo vem dos meus familiares, amigos, colegas e mestres que constituem o pilar de sustentação”, disse.
Walter Faustino manifesta o desejo de ver reconhecido o esforço até aqui empreendido em prol do desporto nacional. “Gostava também que as entidades superiores do desporto nacional me acarinhassem pelos feitos até agora alcançados”, disse.

Os impulsionadores para atingir o sucesso, de acordo com Walter Faustino, são os mestres Bongue Pires, “comandante” da equipa de judo do Interclube, mestre Yuri Alexandre, da Academia Tatame da Samba, e o treinador Sérgio Vieira Lopes, do Sporting de Luanda.
“Eles ajudam-me bastante no desenvolvimento das técnicas no ju-jitsu”, afirmou.

Agradecimento
da federação

O secretário-geral da Federação Angolana de Ju-Jitsu, Pedro Emous, agradeceu ao atleta pelo empenho e dedicação demonstrados no Campeonato do Mundo de Abu Dhabi. O dirigente realça que a vitória é dedicada a toda a juventude angolana, que assinalou mais um aniversário em 14 de Abril. “Estamos satisfeitos com o desempenho do Walter, que tem levado sempre a bandeira de Angola além-fronteiras. Reconhecemos que foi um feito muito sofrido, mas merecido, pois não foi fácil enfrentar atletas de alta competição”, concluiu.

Conquistas 
No quadro das conquistas do campeão mundial de ju-jitsu, estilo brasileiro, perfila o título de campeão nacional (2011), vice-campeão da Liga B (2011), campeão africano, no Torneio Internacional da Carlfon-Gracie, em Port Elizabeth, África do Sul (2011), campeão de Carlson Gracie Africa Cup (2011), campeão interno da Academia (Aliança do Tatame, 2010), medalha de bronze no Campeonato do Mundo profissional (2011) e medalha de ouro (campeão mundial) no Campeonato do Mundo profissional de Abu Dhabi (2012).

Campeão liderança
Período de graça no seio familiar


Os familiares do novo campeão mundial de ju-jitsu, o angolano Walter Faustino, continua a viver um período de graça. Pegado Faustino, 47 anos,  técnico de aeronáutica, considera o filho um autêntico “líder da família”. “O Walter é o primeiro dos meus três filhos, depois está a menina Alin Tucaiana, com 18 anos, e finalmente vem oVanick, nove. Walter é o mais velho, portanto, o líder”, confirmou.

Sobre o compartamento do campeão mundial dos 82 kgs do estilo brasileiro de ju-jitsu, o “malanginho de gema” assegurou que a conduta de Walter Faustino é aceitável de acordo com as regras de boa educação que são impostas no seu lar. “Em casa, primamos pela regularidade. Ele e os demais irmãos, tia e primas que vivem connosco não têm como se demarcar das normas regidas por nós, na qualidade de encarregados de educação”, assegurou. 

Pegado Faustino revelou que o diálogo familiar é uma constante, sobretudo, com a mãe, a dona Emília Faustino. “Ele e os irmãos passam a maior parte do tempo no play station nos seus momentos de lazer, muitas vezes até altas horas da noite. Vezes há que, quando acordo para ir ao WC, sou obrigado a persuadi-los a descansar devido aos seus afazeres por aqueles jogos electrónicos”, disse.            Simão Kibondo

 

Perfil

Nome:
Walter Ruben Faustino
Data de Nascimento: 11/10/87
Estado Civil: Solteiro
Naturalidade: Luanda
Função: Engenheiro electrotécnico
Signo: Balança
Altura: 1,86m
Bebida: água, sumos
Casa própria: Não tem
Desejo: Ser feliz
Desporto: Ju-Jitsu brasileiro
Nível académico: Técnico superior
Peso: 78 kg
Prato preferido: Mufete
Música: Hip Hop underground
Fuma: Não
Carro: Não tem
Hobby: Ouvir música e actividades físicas

Pai de Walter 
“Consagração enaltece
o nome de Angola”

Para Pegado Faustino, a consagração do campeão mundial enaltece o nome de Angola, particularmente os pais, que vêem no filho uma pessoa dedicada que, ao mesmo tempo, ,concluiu a sua formação académica e praticou desporto ao mais alto nível. “As autoridades desportivas do país, a sociedade angolana, no geral, deviam prestar maior atenção e reconhecimento. No caso do meu filho, já arrecadou também uma medalha de ouro no Campeonato Africano. No mesmo ano, obteve uma medalha de bronze num Campeonato Mundial, sempre em representação de Angola”, disse. 

O técnico de aeronáutica defende que as autoridades angolanas deviam prestar “mais atenção ao cidadão e, sobretudo, quando se trata de jovens como é o Walter”. Pegado Faustino congratulou-se com a audiência que o Ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, concedeu a Walter Faustino, onde permitiu ao atleta expor tudo o que lhe vinha na alma, particularmente, os pedidos de apoio que vem solicitando sem obter resposta alguma do orgão reitor do desporto angolano.

“Walter Faustino  referiu-se a um pedido de apoio ou proposta que foi deferida pelo titular do Minjud, mas indeferida pelo Director Nacional dos Desportos, Raimundo Ricardo”, concluiu em tom de lamentação o pai de Walter Faustino.

“É o meu ídolo”
Para a mana, Alin Tucaiana, 18 anos, o título de Walter é um motivo de orgulho para toda a família. “Para mim, é um motivo de orgulho, porque sempre o tive como um modelo. Sempre lhe disse: ‘Walter, tu és o meu ídolo’. Tanto nos estudos como noutras actividades que pratico, tenho sempre a ele como referência obrigatória para atingir as minhas metas”, disse.                       SK

Ruth Kanine
“Sou uma tia babada”
Ruth Kanine tem 34 anos de idade, monitora de Educação Física, recém-formada em Portugal, é  tia do ampeão mundial. Apesar de não ter acompanhado a trajectória do sobrinho, testemunhou uma boa parte da afeição de Walter Faustino pelo desporto. “Acompanhei o Walter desde tenra idade. Mostrou sempre interesse pela luta. Embora não praticasse, perguntava-nos sempre. De vez em quando, bricávamos. Nunca pensei que esse interesse perduraria. Passado algum tempo, sem darmos por ele, lá estava o Walter a ver filmes de lutas no You Tube. Nunca pensávamos que continuaria em frente. Hoje está aí”, disse a simpática tia.         SK