Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Já se ganha alguma coisa com o futebol

31 de Agosto, 2010

João Paulo Cunha trabalha no escalão de formação do interclube

Fotografia: AFP

João Paulo começou a jogar futebol no bairro Sambizanga, aos 10 anos, com bolas de meia ou de trapo, na companhia de amigos com quem fazia os trumunos aos fins-de-semana. Após o 25 de Abril, a sua família mudou de residência para o bairro Cazenga, onde continuou a fazer o gosto ao pé, com jovens da sua idade. Atendendo às suas qualidades futebolísticas, ingressou no Grupo Desportivo da Epal, na escola de formação da mesma agremiação, jogando como juvenil.

Devido ao seu empenho, passou para a categoria de júnior, jogando como médio ofensivo, no qual permaneceu durante três épocas. A viver um grande momento na arena desportiva, alguns amigos convidaram-no para fazer parte da equipa do Vitória do Sambizanga, clube em que actuavam jogadores brilhantes, como Custódio, Nené e Janguelito, e onde acabou por fazer 11 épocas.

Durante, a sua passagem pelo Vitória do Sambizanga, João Paulo teve, como técnicos, António, Luzolo, João André "Cuca" e Friança, já falecido. Vários olheiros seguiam atentamente a evolução do jogador e não tardou a ser convidado para jogar no Interclube, em 1992.
No seu novo clube, foi recebido pelo senhor Salvador Rodrigues, vice-presidente da agremiação, e assinou um contrato, num valor correspondente a 200 mil kwanzas, e direito a um televisor a cores.

A equipa do Interclube tinha bons executantes a jogar como pontas-de-lança. Claurindo e André eram os jogadores que despontavam na altura. Ainda assim, durante o tempo em que jogou na equipa da polícia foi ponta-de-lança indiscutível. "Fui titular em toda época desportiva, à excepção de dois jogos, em que fiquei no banco por lesão", salientou o antigo jogador. João Paulo abandonou o Interclube quando este desceu de divisão. "A partir daquela data, já não tinha muito interesse em jogar no clube. Fui contactado pelo Sporting de Cabinda para fazer parte do seu plantel. O Interclube, detentor do meu passe, não chegou acordo com os leões de Cabinda e daí ficou fora dos campos".

Contudo, o atleta reapareceu na arena desportiva em 2008, no Interclube, na equipa das Velhas Guardas, actuando como ponta-de-lança. "Fui campeão em 2009, pela Velha Guarda na, Taça 28 de Agosto", afirmou. Este ano, na Taça 28 de Agosto, em Velhas Guardas, a sua equipa foi eliminada pelo 1º de Agosto, quando estavam a ganhar por um a zero. No final da partida, o 1º de Agosto empatou o jogo. Na marcação de grandes penalidades, a equipa militar passou a eliminatória.

"No meu tempo, jogava-se futebol por amor à camisola. Hoje, o futebol é profissional, já se consegue ganhar alguma coisa", afirmou. João Paulo acompanha o fenómeno desportivo através da TPA, Rádio 5 e o Jornal dos Desportos. O seu ídolo é o Love Kabangula, actualmente ao serviço do 1º de Agosto. Ele trabalha na área administrativa de formação do Interclube, precisamente a dois anos.


>> Altos & Baixos …
      Melhor jogo

O jogo que mais marcou João Paulo durante os 11 anos que actuou no Vitória do Sambizanga, como ponta-de-lança, foi contra o Petro de Luanda, a contar para a Taça de Angola. "Foi um jogo bem disputado, onde me saí muito bem como ponta, a jogar com uma equipa da primeira divisão". Entrar de cabeça "Os torneios têm uma função na formação dos jogadores. Acredito que, com mais torneios, o nosso futebol pode formar bons jogadores, que vão estar prontos lá pelos 21, 22 anos e aí, sim, é hora de entrar de cabeça nos torneios competitivos", disse.

Quem é quem …

Nome:
João Cunha Paulo
Natural: Luanda (Sambizanga)
Altura: 1,66 cm      
Data de Nascimento: 13 de Agosto 1963
Nacionalidade: Angolana
Peso: 65kg
Modalidade: Futebol
Clube: Interclube
Tabaco: Não
Bebida: Cerveja

Prato preferido: Funji com carne seca
Número de calçado: 42
Hobbyes: Leituras
Cor: Azul
Perfume: Diversos
Livros: Livros de cultura geral
Filmes: Acção
Música: Semba