Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Jogava por amor à camisola

Avelino Umba - 21 de Setembro, 2010

Henriques Querós antigo jogador do Ara da Gabela

Fotografia: Avelino Umba

Trata-se, de Henriques Queirós, ou simplesmente Russo, que conta que a sua visibilidade no futebol, começou em campeonatos do bairro em que era seguido por olheiros que faziam parte da direcção técnica do ARA da Gabela. Num determinado jogo, Russo foi abordado por Valente na altura treinador do ARA, que o convidou a fazer testes naquele clube. Este por sua vez aceitou o convite e apareceu no dia seguinte para os treinos ainda no escalão de juvenis. Terminado o trabalho de campo, foi para o balneário com a sensação do dever não cumprido. Pois, dentro de si, pairava o fracasso, uma vez que o técnico nada havia dito sobre si.

Contudo, para seu espanto, no dia seguinte, o técnico incentivou-o a continuar com os treinos. Russo aceitou o desafio e dá continuidade aos mesmos. Em 1972, Russo por mérito próprio participa num campeonato, embora tímido pelo facto de ter pouco peso e altura perante aos outros atletas presentes que faziam parte do leque de jogadores juniores e juvenis do ARA da Gabela. "Nesta altura sou encorajado pelo guarda-redes do ARA da Gabela, o Limas que na altura vivia no mesmo bairro, a não ter complexo perante os outros jogadores" conta.

Desta feita, foi perdendo o complexo de inferioridade e aos poucos foi afirmando-se na equipa de juniores. Neste mesmo ano, acabou por não fazer muitos jogos. No entanto, em 1973, Russo conseguiu conquistar a titularidade como lateral esquerdo da equipa júnior, treinada por Jacinto Mestre. Posteriormente, ele disputou um campeonato distrital em que a sua equipa era ainda muito jovem perante as restantes, pois a nível da província era a mais fraca, ainda assim conseguiu classificar-se. Em 1974, devido a situação político-militar, no país, Russo ainda conseguiu praticar um pouco de futebol até ao mês de Junho. As equipas ficaram completamente desmembradas.

O jogador face ao clima de instabilidade, reinante no país refugiou-se para Luanda, a procura de novos horizontes, onde conseguiu emprego na Casa Americana, como gestor de peças auto. A viver em Luanda, em 1978, Russo foi participando em alguns jogos de bairro, até que um dia foi abordado por Liças, que o convidou para fazer alguns jogos no Independente do Rangel. Sem rodeios ele aceitou o convite e começou outra etapa da sua vida desportiva. Com efeito, as coisas não correram da melhor forma.

Devido a distância entre o campo e o seu local de residência, Russo desiste e parte para o Sporting de Luanda, em 1979, onde ficou até em 1980. No mesmo ano por inerência das suas funções na Casa Americana é transferido para a cidade do Lubango e nesta cidade ingressou no Desportivo da Chela, por influência do seu amigo que na altura trabalhava na Abamat. No Lubango, Russo ficou até fim de 1981, no Desportivo da Chela. Depois, foi transferido para o município do Lobito e ingressou desta feita, no Sporting local.

Aos 18 de Outubro de 1982, Russo regressou à Gabela, onde voltou a jogar no ARA até 1987, colocando ponto final à sua carreira futebolística. Para o jogador, "o futebol foi apenas por amor à camisola", pois o seu ganha-pão estava garantido pela empresa, Casa Americana. Hoje, Russo vive no município da Gabela, é fazendeiro naquele município, e, vice-presidente para o futebol da Associação Recreativo do Amboim (ARA).

>> Por dentro

Nome: Henrique Queirós
Natural: Gabela (Kwanza-Sul)
Data de Nascimento: 1/1/1957
Estado civil: Solteiro
Filhos: 8
Peso: 89 Kg
Altura: 1,76 Cm
Prato preferido: Funge com bagre fumado
Calçado: 41
Clube do coração: Petro de Luanda
Hobby: Música e futebol