Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

José Mourinho quer Di Maria no Inter

14 de Janeiro, 2010

José Mourinho para reforçar o Inter Milão na próxima época é Di Maria

Fotografia: AFP

Uma das prioridades de José Mourinho para reforçar o Inter Milão na próxima época é Di Maria. A maioria dos meios de comunicação social transalpinos voltou a insistir no interesse do técnico português no internacional argentino de 21 anos, actualmente ao serviço do Benfica.
As boas indicações que o treinador já possuía foram reforçadas pelas observações que o olheiro do clube italiano, Luís Suarez, realizou em Portugal. O emissário milanês viu o jovem em acção nos jogos com o Sporting Braga, FC Porto e Rio Ave, e nos relatórios enviados aconselhou a contratação do extremo, que tem presença garantida no próximo Mundial.

A intenção do Benfica em transferir o futebolista só no fim da temporada encaixa perfeitamente nas intenções do Inter, pois o presidente já avisou a equipa técnica que não tenciona reforçar o plantel durante o mercado de Inverno. José Mourinho há muito que segue a evolução do camisola 20 das Águias e está ciente do assédio dos principais emblemas britânicos.
Recorde-se que a direcção do Benfica já rejeitou uma proposta do Manchester United de 10 milhões de euros mais o passe de Nani. O Chelsea e o City também continuam atentos às negociações, mas Luís Filipe Vieira já prometeu aos adeptos encarnados que só deixa sair o atleta por 40 milhões de euros, valor da sua cláusula de rescisão.

Sporting recebe 18 milhões
da Câmara de Lisboa

A assembleia municipal de Lisboa aprovou, finalmente, o acordo entre a autarquia lisboeta e o Sporting, que deve, assim, receber 18 milhões de euros em edifícios a reabilitar, além de receber luz verde para a construção de um pavilhão gimnodesportivo e a elaboração do respectivo plano de pormenor.
A lista dos edifícios propriedade da câmara a transferir para o Sporting, que ficará encarregue da sua reabilitação, bem como a avaliação destes imóveis vai ser ainda sujeita à concordância do clube de Alvalade.

O protocolo entre as duas partes prevê o pagamento de parte dos 18 milhões de euros em dinheiro, a ser pago pela Câmara de Lisboa de forma faseada num prazo máximo de três anos.
Este acordo culminou um longo processo entre as duas partes, depois de um Tribunal Arbitral ter decidido, em Setembro de 2008, que o Sporting tinha direito a 29 mil metros quadrados edificáveis, como sempre alegou, bem como a não obrigatoriedade de o emblema leonino ceder terreno para espaços verdes.

Assim, está previsto um plano de pormenor para o espaço em causa, o que permite a edificação de um pavilhão na zona norte do antigo estádio, com uma área de implantação de 4.500 metros quadrados e uma área de construção de uso desportivo de 9.000 metros quadrados. Em contrapartida, o Sporting reconheceu que o valor de compensação desses 9.000 metros quadrados é de 3 milhões de euros e cedeu à CML parte da parcela, para utilização como "espaço público verde".

Esses três milhões são descontados no valor dos 29 mil metros quadrados, avaliados em 21 milhões de euros, razão pela qual a autarquia vai ter de pagar os referidos 18 milhões de euros, parte dessa verba paga em imóveis, sob critérios de avaliação ainda por definir, o que esteve na base desta decisão da AM de submeter o acordo ao parecer de uma comissão urbanística.
O protocolo prevê que cabe à CML apresentar a lista de imóveis a ceder, bem como a avaliação dos mesmos, mas o Sporting pode aceitar ou não. E, em caso de desacordo, haverá uma terceira entidade, uma empresa, que terá a responsabilidade de fazer a avaliação final.

Izmailov só sai no fim da época

A Sporting, SAD anunciou, em comunicado oficial, à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, ter rejeitado uma oferta do Lokomotiv de Moscovo para a transferência imediata de Marat Izmailov.
Os leões explicam que entenderam ser “inadequadas as condições propostas pelo clube russo, atendendo à valia desportiva do referido jogador”. O jornal “O JOGO” noticiou que, na base desse argumento está a vontade da empresa responsável pelo futebol verde e branco de conservar até ao fim desta temporada um jogador tido como importantíssimo.

O negócio até se pode efectivar, mas dentro de quatro meses. Clube onde o médio atingiu notoriedade até se transferir para Alvalade no Verão de 2007, o Lokomotiv fez uma oferta inicial de 4,5 milhões de euros à qual os leões responderam com uma contraproposta de oito milhões.
A plataforma de entendimento poderia ser atingida por seis milhões - último valor em discussão -, mas perder Izma no imediato forçou a última e negativa resposta por parte da sociedade anónima leonina.

A proposta dos moscovitas compreendia um sério aumento das condições salariais que o camisola 7 aufere em Alvalade. Caso voltasse à sua cidade natal, o internacional russo iria receber um vencimento anual de dois milhões de euros - cinco vezes superior ao seu ordenado actual.

Perante os números em questão e a possibilidade de voltar a ser orientado pelo técnico Yuri Semin - sua grande referência durante o crescimento como futebolista -, Izmailov demonstrou total receptividade ao convite, tornando pública a vontade de voltar. Mas tal intenção esbarrou nos interesses leoninos. De qualquer modo, fica totalmente em aberto o cenário de a operação se concretizar no termo desta época. Até lá, Izmailov é simplesmente imprescindível.

Família Glazer encaixa
22,3 milhões do Manchester


A família Glazer, dona do Manchester United, encaixou do clube 20 milhões de libras (cerca de 22,3 milhões de euros) em 2009. De acordo com o jornal britânico "The Guardian", esse valor é dividido em partes iguais em empréstimos e em prémios de gestão.
Os resultados financeiros dos "red devils" foram apresentados, terça-feira última, com grande destaque para o lucro de 53,6 milhões de euros, mas, depois de analisados os documentos, ressalta que as contas só são positivas graças à venda de jogadores, com destaque para o encaixe proveniente da venda de Cristiano Ronaldo, a qual superou os 90 milhões de euros.