Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Jovem Médio gostava de ajudar Angola a ganhar o primeiro Campeonato Africano

*Augusto Fernandes - 19 de Maio, 2013

Jogador faz parte de jovens talentosos das escolas de futebol do Catetão

Fotografia: Jornal dos Desportos


À semelhança dos demais petizes que conseguem entrar nas escolinhas de um dos “grandes” clubes da nossa praça, Carlinhos interessou-se desde muito cedo  pelo futebol,  seguindo as pisadas do  pai, Carlos do Carmo, que embora não tenha aparecesse nas grandes montras do futebol Angolano, foi um excelente jogador de futebol nos anos oitenta na rua B1 do bairro Nelito Soares.

Quando tinha cerca de 10 anos de idade, Carlinhos na companhia de Josimar, Lizandro, Cláudio, Peres e outros, começaram a jogar à serio no clube do bairro ali na C5 e no campo do São Paulo. Com o passar do tempo a rapaz foi evoluindo jogo após jogo e aconselhado pelos amigos procurou um clube grande.
Em 2008, Carlinhos, conta que não se fez rogado e porque é (ra) adepto Petro de Luanda, deslocou-se ao Catetão para pôr à prova as suas credenciais de  jogador. Posto  no local foi recebido pelo mister Sorte que depois de o avaliar entregou-o ao professor Bodunha que o inscreveu como jogador dos juvenis dos tricolores.
Quando chegou ao Catetão, Carlinhos encontrou o Mavambo, Filhão, Sílvio, Paizinho, Vadinho, Teixeira e outros. “ No Petro fui muito bem recebido e não foi muito fácil impor-me no clube, porque na minha posição havia e há jogadores de grande valia técnica. Aliás, no Petro em todas as posições existem mais de dois jogadores excelentes”, conta.

No primeiro ano que chegou ao “eixo-viário”, Carlinhos não foi utilizado no campeonato Provincial o que viria a fazer só na segunda época começando na maior parte das vezes o jogo no banco. Entretanto foi evoluindo e dando nas vistas o que levou  o treinador a apostar no rapaz que com muito trabalho agarrou a titularidade. * COM JOÃO FRANCISCO



PING PONG

“Além de futebolista quero ser piloto”


Jornal dos Desportos: O que pensa fazer quando terminar os estudos?
Carlinhos:
Quero ser piloto.

JD: Em termos de futebol qual é a sua maior ambição?
CLH:
Gostaria de representar o Petro, a selecção Nacional de Angola e chegar ao futebol Europeu.

JD:  Gustavo Ferrin é o homem certo para comandar os Palancas Negras?
CLH:
Bem, creio que ele precisa de mais tempo para mostrar o que vale.

JD: Acredita que o Petro de Luanda ainda pode ganhar o Girabola 2013?
CLH:
Porque não? Ainda é cedo para se falar de campeão, mas o Petro tem potencial para chegar lá.


CONTRARIEDADE
Dificuldade para a titularidade


Em 2011, Carlinhos, ascendeu à categoria de juniores e subiu praticamente com todos os seus companheiros dos juvenis. O facto de encontrar na equipa de juniores muitos com a idade próxima da dos seniores foi-lhes dada prioridade para jogarem mais tempo a fim de serem vistos por alguns olheiros.
“Por termos muita concorrência na passagem de escalão de juvenis para a outra categoria não foi fácil conseguir a titularidade no meu primeiro ano nos juniores”.
Um ano depois (2012), as coisas já foram um pouco diferentes, Carlinhos jogou com muito mais regularidade, o que contribuiu para a conquista do campeonato Provincial de Luanda.
A vitória do provincial de Luanda, fez o Petro disputar o Campeonato Nacional do mesmo ano, em Benguela que a sua equipa venceu. Naquela altura, Carlinhos não fez nenhum jogo por opção técnica.
O médio central, Carlinhos que esteve a maior parte do tempo no “banco”, escreveu igualmente o seu nome na história do clube na lista dos campeões nacionais de futebol júnior de 2012.


INSPIRAÇÃO
“Lampard do Chelsea
é a minha fonte”


Para Carlinhos o seu ídolo é Lampard do Chelsea de Inglaterra. Mas, apesar de o ter como sua fonte de inspiração recorre igualmente à “prata da casa” para complementar a bagagem.
  “Em Angola também temos muito bons jogadores que jogam na minha posição com os quais também aprendo muito, como por exemplo o Mano e o  Osório, ambos do Petro de Luanda e, outros que jogam nos clubes de referência do Girabola, Campeonato angolano da I divisão”.
Actualmente, com 18 anos de idade, Carlinhos sonha atingir grandes patamares a nível do futebol e diz que gostava de um dia jogar fora do pais num campeonato bem disputado da Europa. Naturalmente a selecção nacional é o seu maior sonho.
“Gostava de ajudar Angola a ganhar o seu primeiro CAN”, concluiu.


POR DENTRO

Nome completo: Carlos Stenio Fernandes Guimarães do Carmo
Filiação: Carlos Alberto Guimarães do Carmo e de Odete M. Guimarães do Carmo
Naturalidade e data de nascimento: Luanda, ao 19 de Março de 1993
Quantos irmãos têm: 04
Altura: 1,72m
Peso: 78 kg
Calçado: 41
Cor: vermelha
Musica: desde que seja boa aprecio
Filmes: desde que sejam bons.
Prato: Não tenho preferência
Bebida: Gasosa
O que mais teme na vida: A morte
Tem namorada: Sim
Quantos filhos pensa ter: ainda não penso nisso
Acredita em Deus: Sim
Religião: Não tenho
País de sonho: Austrália
Clube do coração: Benfica de Lisboa
Sonho: Ser um grande jogador.