Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Judo na Huíla regista melhorias

Gaudêncio Hamelay,Lubango - 18 de Março, 2010

É notório o engajamento de todos

Fotografia: Jornal dos Desportos

Como caracteriza o judo na Huíla?
É salutar, visto que já regista melhorias. Realizamos o primeiro Campeonato Regional Sul, no qual se viu a entrega e o empenho dos atletas.

Em que aspectos se registam melhorias?
Temos judocas de bom nível. Localmente, existem academias com bons treinadores, o que também contribui para o desenvolvimento da modalidade. Os treinadores têm trabalhado arduamente para dar os atletas de melhor forma competitiva e poderem participar no campeonato nacional individual, uma vez que o mesmo servirá para seleccionar os que vão representar o país no campeonato africano, a decorrer em Yaoundé, Republica dos Camarões.

Quantas academias existem?
Existem quatro academias reconhecidas, além de outras tantas que funcionam ilegalmente.


Quantos praticantes controlam?
Movimentamos cerca de 280 atletas, nos escalões de iniciados, juvenis, juniores e seniores, em ambos os sexos.

Como avalia a adesão da classe feminina?
A classe feminina tem uma prestação aceitável, pois tem-se apresentado da melhor maneira. Em suma, temos tido muita aceitação e adesão da classe feminina, com idades que variam entre os 13 e os 24 anos.

Estão bem servidos em termos de recintos desportivos?
Estamos a tentar remediar-nos com o que possuímos. Há que louvar a Direcção da Juventude e Desportos, a Administração Municipal do Lubango, assim como o governo local, que têm dado muita ajuda nessa vertente.

Internamente, existem as competições?
Temos tido, com regularidade, competições provinciais. Por isso, estamos a dar uma nova lufada de ar fresco à modalidade, tentando cumprir o que está programado.

Que actividades foram programadas para este ano?
Programamos mais actividades provinciais para dotar os atletas de maior rodagem competitiva. Desse modo, para melhor controlo, efectuamos uma calendarização por escalões. Assim, nas datas históricas, como por exemplo, o dia 1 de Junho, prevemos realizar competições para os escalões de iniciados e de juvenis. Para outros escalões, designadamente juniores e seniores, faremos também outros torneios provinciais que podem ser enquadrados noutras datas significativas.

Além da cidade do Lubango, em que outras localidades da província se pratica a modalidade?
Por enquanto, estamos somente no Lubango. Prevemos deslocar-nos ao município da Matala, pois quando criámos o núcleo, apercebemo-nos que naquela localidade existe uma academia, mas gostaríamos primeiro de constatar se realmente essa academia continua no activo. Como ouvimos apenas por alto, queremos constatar "in louco" em que condições estão a trabalhar para, posteriormente, junto da secção municipal dos Desportos da Matala, formalizarmos a legalização da referida academia, caso exista. Caso não, vamos ter de criar outras condições para que exista na Matala uma academia, já que existem pessoas com vontade de praticar a modalidade.

O núcleo está a fazer um trabalho de massificação para garantir o futuro da modalidade?
Estamos a formar atletas nos escalões inferiores. Ao assumirmos a direcção do núcleo, traçamos como prioridade primar pela massificação. É a massificação que vai levar a modalidade mais longe. Se não levarmos avante este processo, não teremos atletas para o futuro. Cada vez mais, estamos a apostar na procura de atletas.

Dificuldades de vária ordem 

Quais são as principais dificuldades que enfrentam?
Qualquer modalidade tem dificuldades e connosco acontece o mesmo. Temos dificuldades internas. Quanto às infra-estruturas, não nos podemos queixar muito, porquanto a Administração Municipal do Lubango e a direcção dos Desportos ajudam nessa vertente. As maiores dificuldades cingem-se na aquisição de tapetes.

E no tocante a outros materiais desportivos?
Estamos na mesma condição. Não temos quimonos, joelheiras, etc.

Com a ausência desse material, como é que os atletas se apresentam nas competições em que participam?
Os próprios judocas desenrascam-se juntos dos amigos, antigos praticantes, comprando o material no mercado informal, nas lojas, para conseguirem treinar. O núcleo não dispõe desse tipo de material devido às dificuldades financeiras para a sua aquisição.

O que diz sobre o funcionamento do núcleo?
O núcleo do judo funciona há quatro meses. Durante a sua instalação, realizamos o primeiro campeonato regional Sul, em Dezembro do ano passado. Nessa competição, participaram as províncias de Benguela, Huambo e Huíla. Como organizadores, ocupamos o terceiro lugar, o que foi bom para levantar o moral dos nossos judocas.

Passagem do núcleo
a associação está para breve


Para quando a passagem de núcleo a associação?
Está para breve. Estamos a tratar de toda a documentação necessária. Temos tudo bem encaminhado, faltando apenas a entrega, junto da Direcção Provincial da Juventude e Desportos da Huíla, de alguma papelada para que a passagem do núcleo para associação seja um facto.

A Federação Angola de Judo tem -vos ajudado?
Dão-nos apoio técnico, através de acções formativas, seminários, etc. Depois do Campeonato Nacional de Judo, a realizar-se na cidade do Lubango, em Abril, teremos uma acção formativa dirigida a técnicos da modalidade. Em termos materiais, estamos à espera que nos forneçam.A federação tem-nos exortado muito a prosseguir com a expansão da modalidade na Huíla. Temos tido, constantemente, um intercâmbio de trabalho.

O núcleo possui instalações próprias?
Por enquanto, não temos, mas existem promessas por parte da Direcção Provincial dos Desportos da Huíla para nos ceder uma infra-estrutura própria. Por enquanto, funcionamos nas instalações da direcção dos Desportos.

Quantos treinadores e árbitro formados possuem?
Contamos com nove treinadores e dois árbitros não qualificados, mas estamos à espera que se realize um curso para que os árbitros sejam qualificados. Contudo, os nossos treinadores, com uma ou outra falha, possuem experiência para transmitir aos petizes e a outros atletas, que acorrem aos locais de treino, o ABC do judo. São técnicos que aspiramos venham a contribuir para o desenvolvimento da modalidade na província.

Com os cursos que fazem, promovidos pela federação, eles estão a conseguir corrigir os demais técnicos.
Quantos judocas graduados existem?
Em todas as academias temos um cinturão negro, três castanhos, sete com o cinturão verde, oito amarelos e a maioria são de faixa branca. Acreditamos que, com o evoluir da modalidade, tudo aponta que teremos muitos atletas graduados.

Que perspectivas tem para o desenvolvimento da modalidade?
Queremos a união dos amantes do judo, desportistas, empresários e governantes para agarrarmos a modalidade, que está a tentar ressurgir na província. O apelo que deixo é de união para que a modalidade rejuvenesça na província, em particular, e no país, em geral. Nesse sentido, estaremos à procura de judocas capazes de honrar o nome de Angola em competições internacionais.

"Queremos ter judocas de topo"

Quais as ambições dos judocas huilanos para as competições que se avizinham?
É vencer e termos judocas de topo.

O Lubango acolhe, no próximo mês, o campeonato nacional da modalidade, em seniores masculinos e femininos, que vai apurar atletas para o campeonato africano, a decorrer nos Camarões. Como decorre a preparação para a prova?
Os atletas estão engajados, tal como os técnicos. Todos estão a trabalhar no sentido de a Huíla fazer uma boa figura na competição.

Quantas províncias vão participar no evento?
Participarão 14 províncias.Que condições estão a ser criadas localmente para o êxito da competição?
Já estamos a trabalhar com a Direcção Provincial dos Desportos para as caravanas desportivas serem acomodadas em local a indicar, visto que a direcção dos desportos nos está a ajudar. Tudo indica que o Complexo Escolar 14 de Abril seja o local a escolher para albergar as caravanas desportivas participantes no certame.

O que podemos esperar dos judocas huilanos como anfitriões?
Vencer sempre. Nunca vamos a uma competição para perder. Queremos alcançar o melhor lugar possível. Como sabe, os atletas huilanos, no primeiro campeonato regional sul, que se realizou no ano passado, alcançaram o terceiro lugar. Os treinadores das academias estão a trabalhar para a concretização desse objectivo.