Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Lobito ganha novas opes desportivas e scio-culturais

Jlio Gaiano,no Lobito - 13 de Abril, 2010

Lobito e empresrios locais esto empenhados novas infra-estruturas sociais

Fotografia: Jornal dos Desportos

As autoridades do Lobito e empresários locais estão empenhados em criar novas infra-estruturas sociais, com destaque para as ligadas a diferentes actividades desportivas, algumas das quais novas no município, como o alpinismo e a canoagem.

Embora as modalidades de futebol, andebol, hóquei em patins, natação, atletismo, voleibol e ginástica estejam na ordem das prioridades das entidades directamente ligadas ao desenvolvimento do desporto, no município, outras vêm ganhando força, proporcionando aos seus habitantes e aos turistas novas formas de lazer associadas à prática desportiva.

Dentro das prioridades da administração, está a recuperação de algumas infra-estruturas que, num passado recente, serviram para a promoção desportiva de baixo, médio e alto nível competitivo. O objectivo é reactivar o desporto em larga escala no município e ocupar a juventude com actividades que a engrandeçam.

A recuperação das suas infra-estruturas desportivas e sociais conta com o concurso dos clubes e da classe empresarial sedeados no município, tendo-se tornado frequentes os anúncios de entregas de empreendimento desportivos, ao mesmo tempo que cresce também o número de pequenas, médias e até grandes unidades hoteleiras.

Considerada sala de visitas de Angola, muito por força do seu porto de águas profundas, um dos maiores do continente, o Lobito tem a vocação de bem todos quantos ali chegam, procurando, por isso, alargar o número de atractivos para os turistas e proporcionar aos seus habitantes novas formas de vida.

O administrador municipal do Lobito, Amaro Ricardo, disse recentemente ao Jornal dos Desportos, que está em curso a prospecção, na região do Morro da Kileva, para a construção de um kartódromo, já que está na forja o ressurgimento do desporto motorizado na província de Benguela.

Pretende-se implementar aí disciplinas motorizadas desde o karting ao motociclismo com cilindrada até 250 cc.O Clube Tuku-tuku é, actualmente, o único que promove o desporto motorizado na província, mas nos últimos tempos tem-se confrontado com falta de espaço para desenvolver a modalidade. A boa-nova anunciada pelo administrador do Lobito encheu de alegria os responsáveis ligados ao desporto motorizado.

Amaro Ricardo disse que o Lobito foi contemplado com a construção de dois campos de futebol, no quadro do projecto "Despontar", gizado pelo Ministério da Juventude e Desportos para relançar o desporto de recreação nos principais bairros e comunas do país.
As autoridades administrativas locais indicaram a comuna da Catumbela e o bairro do 27 de Março para a construção dos respectivos campos, mas continua por se saber quando arrancam as obras.

Montanhismo é a novidade 

par das actividades desportivas tradicionais praticadas no município do Lobito, as autoridades locais ensaiam outras práticas, para aproveitar as condições naturais que a região oferece, aliando o desporto à cultura e ao turismo.Estudos estão ser feitos nalgumas zonas montanhosas das regiões da Canjala e do Chimbambo, para explorar as suas elevações (aproximadamente, 1700m) para a prática de montanhismo ou alpinismo.

Na verdade, a prática não é estranha na província. O montanhismo já foi praticado com alguma regularidade nos municípios de Bocóio, Balombo, Cubal e Ganda, nas longínquas décadas de 1950, 60 e princípio de 70, prática interrompida com o agravar da estabilidade político-militar, após a independência nacional, em 11 de Novembro de 1975.

Alguns praticantes de outrora continuam vivos na província de Benguela e espalhados pelo país. Os mesmos podem ser localizados e convidados a assessorar o ressurgimento da modalidade, estando as entidades "lobitangas" a jogar na antecipação."Precisamos deles, para nos ajudarem a reactivar a modalidade no município do Lobito, pois temos condições materiais, humanas, técnicas e geográficas, faltando apenas a materialização do projecto", revelou uma fonte afecta à Administração Municipal do Lobito.

Apesar de desconhecida no historial do desporto nacional, no após Independência, o montanhismo é a prática de subir montanhas através de caminhada ou escalada. É considerado pelos seus "experts" um desporto de aventura e está associado ao turismo ecológico.

Canoagem e remo têm apoio
das autoridades municipais


A canoagem e o remo são duas modalidades cuja prática continua a merecer a atenção das autoridades locais, que vão ensaiado formas para a sua materialização na província.O município do Lobito tem potencialidades para levar avante o projecto em causa. Do litoral ao interior, Lobito é rasgado por dois grandes rios, próprios para desenvolver a canoagem. São os casos dos rios Balombo, a Norte, e o rio Catumbela, a Sul da sede-municipal.O primeiro é navegável por cerca de 20 quilómetros e o segundo 35, dentro da jurisdição administrativa do município.

Já no litoral, o município pode orgulhar-se pelo facto de possuir a melhor baía do país, podendo nela desenvolver a canoagem e o remo. Esse facto ficou claro quando, no mês passado, alguns responsáveis ligados à canoagem identificaram a cidade do Lobito como uma das que apresentam melhores condições para organizar eventos nacionais e internacionais.A sua materialização passaria pela solução de alguns factores, dentre as quais, a criação de condições técnicas e materiais no local, para incentivar o gosto pela modalidade no seio da juventude.

O Governo provincial, em parceria com a classe empresarial e o órgão federativo que tutela a modalidade no país, são chamados a intervir no assunto de forma que as intenções não passem disso mesmo.

Clubes e núcleos chamados
a desempenhar o seu papel


O Lobito constituiu, no passado recente, uma das grandes atracções para os turistas, devido principalmente às condições que possui para a prática de desporto e actividades de lazer, facto que lhe valeu o título de "sala de visitas em Angola".No quotidiano lobitanga, o desporto, a cultura e o turismo estiveram interligados por muitos anos. Nem mesmo a guerra, que eclodiu depois da Independência, conseguiu apagar a chama da liberdade que os naturais e amigos dessa parcela do território nacional cultivam.

Esforços foram envidados para manter o município entre os mais atractivos do país e quiçá da região austral de África.Num dos encontros que a administração municipal manteve com pessoas ligadas aos distintos ramos da esfera social, desportiva e cultural e empresários, o administrador apresentou os programas da sua administração para os próximos anos.

Para Amaro Ricardo, é urgente que os lobitangas, não importando o seu nível social e empresarial, se juntem às iniciativas da sua administração para, num curto espaço de tempo, recuperarem a mística perdida no tempo, não só no desporto, como em áreas como a cultura.

Nessa perspectiva, os clubes e núcleos desportivos e de cultura são chamados a desempenhar o seu papel, já que o desporto sempre se enraizou fortemente na cultura e na tradição das populações locais.É preciso buscar as causas desta crise que ensombrou,seriamente, o nosso desporto, para juntos atacarmos os seus efeitos. Da nossa parte, tudo vai ser feito para se relançar o desporto onde existirem nos nossos concidadãos", frisou o administrador do Lobito.

Estratégia da administração funciona a contento

A nível infraestrutural, o executivo de Amaro Ricardo comparticipou na construção de diversos empreendimentos desportivos e sociais que hoje servem a prática desportiva no município. São os casos das quadras de voleibol e de futebol de praia. A recuperação da piscina do Lobito Sports Club e Ferrovia, agora pertença da Administração Municipal, e de alguns campos de salão erguidos de raiz nalgumas escolas do I Ciclo do Ensino Secundário, tiveram o apoio material e institucional do executivo do Lobito, liderado por Amaro Segunda Ricardo.

Essa foi uma das estratégias montadas pelos responsáveis administrativos para relançar o desporto no seio da juventude, o que tem tido efeitos práticos no seu comportamento."Aos poucos, a táctica está a resultar. Ao contrário do que foi no passado recente, hoje já assistimos muitos jovens envolvidos em actividades desportivas e nos estudos. Outros há que, depois de formados, enveredam por pequenas actividades profissionais”, disse o professor Alberto Ngongo, responsável para área social da Administração Municipal do Lobito.

Para aquele dirigente, o facto de muitos jovens abandonarem as práticas que em nada os dignificavam é sinal de que a juventude começou a ganhar consciência de que o futuro do país, particularmente do município do Lobito, depende das suas acções. Passa por agir certo na hora certa, o que significa estar determinado a resolver questões que lhes foram confiadas para o bem da sociedade.