Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Malange aposta nas Infra-estruturas

Sérgio V.Dias e Venancio Victor - 27 de Dezembro, 2010

Estádio do 1º de Maio pode beneficiar de obras previstas no programa de acções do executivo para 2011

Fotografia: Jornal dos Desportos

Advinham-se tempos de bonança para o desporto em Malange com o recente anúncio, pelo governador provincial, Boaventura Cardoso, da construção e recuperação de infra-estruturas para este sector que há muito solta um grito de socorro. Situada na região Norte do país, Malange enfrenta, nos dias que correm, uma acentuada lacuna no campo de infra-estruturas desportivas, o que tem estorvado a movimentação das modalidades, particularmente o futebol, modalidade em que as equipas fazem uma verdadeira travessia do deserto.

O Estádio 1º de Maio, localizado no bairro da Catepa, é uma prova evidente de que há muito por se fazer no campo da recuperação das infra-estruturas desportivas. A catedral do futebol malangino está hoje entregue à sua sorte, carecendo de reabilitação a todos os níveis para ter os padrões recomendados pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) para as provas de grande índole.

Para já, o recinto tem servido para competições em que as equipas estão envolvidas, em provas locais e no Campeonato Nacional da Segunda Divisão. As que mais utilizam são as formações do Ritondo, do Pekandek e da Baixa de Cassange, sendo que esta última representou a região no Zonal de Apuramento ao Girabola. Com efeito, o anúncio recente do governador, de que a construção e recuperação de infra-estruturas desportivas consta do programa de acções do executivo local para o ano de 2011, vem reavivar as expectativas do relançamento do “desporto-rei” na província.

Apoio aos atletas
com deficiência


A situação dos atletas portadores de deficiência física mereceu também a atenção do governador de Malange. Nesse particular, Boaventura Cardoso garantiu total apoio ao desporto para as pessoas portadoras de deficiência e reiterou que, apesar da situação em que os mesmos estão, “são úteis para a sociedade e podem contribuir para o desenvolvimento do país”.

O governante, que fez este pronunciamento durante a cerimónia de apresentação dos três troféus conquistados este ano pelo misto local de futebol com muletas, valorizou o empenho dos atletas durante a prova que decorreu na província. Na ocasião, como recordou Francisco Inock, director provincial do Ministério da Juventude e Desportos, os atletas paralímpicos apresentaram ao governador três troféus, um destes conquistados no campeonato nacional da categoria que decorreu em Junho último na província e os restantes nas Taças Lwini e na prova alusiva aos 35 Anos da Independência, respectivamente.

Governador reconhece as dificuldades que o sector enfrenta

Boaventura Cardoso, governador provincial de Malange, assegurou que a questão da falta de infra-estruturas e do apoio material e financeiro às diferentes modalidades desportivas tem sido bastante aflorada nos encontros com as associações da província. O chefe do Governo de Malange referiu também que o seu pelouro por si só “não é capaz de resolver todas as dificuldades” com que o desporto na província se depara. Por esta razão, diz ser importante haver paralelamente uma colaboração da classe empresarial local.

O governador sublinha ainda que se se unirem esforços, muito coisa poderá ser feita em prol do desporto local. “Muita coisa há para fazer no desporto de Malange, por ser uma região com gente valiosa, com dignidade e, acima de tudo, com criatividade. Infelizmente, neste momento, não existem condições para levar avante as várias metas traçadas para o sector”, lamentou o governador.

Não obstante isso, Boaventura Cardoso augura melhores dias para o desporto na província. “Temos no programa gizado para 2011 acções concretas sobre as infra-estruturas desportivas”, disse, apelando, por outro lado, aos empresários da província no sentido de apoiarem as diferentes modalidades desportivas e, fundamentalmente, o futebol, por ser das que mais gastos acarretam.

Boaventura Cardoso reconheceu também que Malange enfrenta grandes dificuldades, que têm a ver com a falta de condições para o desenvolvimento do desporto, sobretudo do futebol, que congrega a maior fatia de adeptos. O executivo malangino, frisou o governante, “tem vindo a apoiar pontualmente as deslocações das equipas locais envolvidas em competições nacionais”.

“Programa Despontar” contempla
municípios do interior da província


O director do Ministério da Juventude e Desportos de Malange, Francisco Inock, afirmou, noutro ângulo da nossa reportagem, que a reabilitação das infra-estruturas desportivas dos municípios do interior da província consta do “Programa Despontar”, levado a cabo pelo órgão de tutela. No seguimento das declarações do governador Boaventura Cardoso, o homem forte do MINJUD em Malange precisou que a política desportiva do país passa, necessariamente, pela criação de infra-estruturas, daí a preocupação do Governo local.

De acordo com Inock, Malange precisa de um parque desportivo enorme para estar em pé de igualdade com as restantes províncias do país. Nesta perspectiva, frisou, o Governo Provincial vai potenciar o desporto malangino em termos de infra-estruturas, o que, no seu entender, permitirá um aumento do número de praticantes em diversas modalidades, com os reabilitados Estádio Valódia, 1º de Maio e outras estruturas privadas, no caso os campos da Maxinde e da Missão. “Julgamos que com esse anúncio do governador, vão ser melhoradas as condições para a prática do desporto” deduz Francisco Inock.

Obras em curso

O director provincial de Malange do Ministério da Juventude e Desportos, Francisco Inock, adiantou que, no âmbito do “Programa Despontar,” estão em curso obras de reabilitação de infra-estruturas nos municípios de Cacuso e de Calandula, com término previsto para 2011.
Inock acrescentou que “as verbas para a referida empreitada foram já disponibilizadas pelo órgão que representa”.
As referidas obras, frisou, estão a cargo das empresas Celcatang, A e B Galantino e a Socorte.
Lembrou, por outro lado, que a direcção de Malange do MINJUD tutela um único campo de futebol, no caso do 1º de Maio, que aguarda por obras de reabilitação. Aquele responsável disse também que o “Programa Despontar” abrange ainda os municípios do Quela e do Kiwaba-Nzoge.

Recintos do Quela
e de Kambundi-Katembo

O estado de degradação a que estão sujeitas as infra-estruturas desportivas da capital de Malange é equiparado a outros municípios da província. Quela, localizado a cerca 115 quilómetros a leste da capital da província, é uma das regiões que se depara com esta situação.
A situação das infra-estruturas do município está a repercutir-se negativamente no desenvolvimento do desporto local. A nossa reportagem apurou que os jovens desportistas da região se deparam com o problema da falta de meios para praticar as diferentes modalidades, sobretudo o basquetebol e o futebol.
Apurámos, junto de vários adeptos, que a actividade desportiva quase não se faz sentir no município do Quela, devido à gritante falta de infra-estruturas, aliada ao facto das poucas existentes estarem votadas ao abandono.
João Luamba, adepto de futebol, refere que por este ser o “desporto-rei”, “deveria conhecer melhor movimento em termos de expansão”, já que esporadicamente, como diz ainda, “vão se realizando algumas partidas nos poucos campos pelados espalhados pela urbe”.
Mateus Joaquim, outro adepto de futebol, diz que “faltam apoios de material desportivo e, acima de tudo, incentivo das estruturas de direito”.
Os dois entrevistados sustentam também que a inexistência na região de professores de Educação Física trava o desenvolvimento do desporto na localidade.
Quadro semelhante enfrenta o município de Kambundi-Katembo, pertencente à região Songo, de Malange, de que fazem ainda parte Quirima e Luquembo. Nesse aspecto, João Luamba e Mateus Joaquim opinam que devem ser criadas, pelas estruturas de direito, políticas que visam solucionar a situação com que os dois municípios de Malange se deparam.