Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

McLaren Mercedes ainda acredita no título

13 de Novembro, 2010

McLaren tem em Lewis Hamilton uma das suas apostas

Fotografia: AFP

O final de semana pouco proveitoso para a McLaren no Brasil não desanimou a equipa. Lewis Hamilton, que antes ocupava a terceira posição no Mundial, é o quarto depois da vitória de Sebastian Vettel em Interlagos e precisa de muita sorte no GP de Abu Dhabi para conquistar o bicampeonato. A uma corrida do final da temporada, Hamilton tem 24 pontos a menos que o líder Fernando Alonso, a precisar de vencer em Yas Marina e almejar para que nenhum dos seus rivais marque ponto para poder levantar o troféu do campeonato deste ano.

Apesar de o próprio Hamilton ter afirmado que precisaria de um milagre para ser campeão da Fórmula 1 em 2010, o chefe da equipa Martin Whitmarsh acredita que ainda é possível ver o seu piloto sagrar-se campeão neste ano. "Nós estamos a forçar para ver o que podemos fazer", disse Whitmarsh. "É difícil, mas vencer qualquer campeonato é difícil, e enquanto ainda for matematicamente possível, vamos continuar a tentar". "No momento, se Lewis vencer e Fernando não completar, e os outros pilotos não conseguirem muitos pontos, então ele ganha", completou o dirigente.

Apenas tropeços de Alonso, Mark Webber e Vettel podem dar o título para o inglês, mesmo que ele seja o campeão do GP de Abu Dhabi. "Você tem que dizer que Fernando parece estar bastante forte neste momento, mas nós mesmos vimos as coisas darem errado no último minuto do Mundial. Algumas vezes isso foi contra nós, outras a nosso favor, você apenas tem que continuar a forçar e qualquer coisa pode acontecer. Esta é a natureza do desporto de motor", concluiu.

As contas para cada piloto
ser campeão em Abu Dhabi

O campeão da temporada 2010 da Fórmula 1 sairá apenas na última corrida do ano, o GP dos Emirados Árabes Unidos, amanhã. Numa disputa equilibrada como poucas vezes a categoria acompanhou, quatro pilotos chegarão a Abu Dhabi com possibilidades de conquistar o título. Fernando Alonso (246 pontos), Mark Webber (238), Sebastian Vettel (231) e Lewis Hamilton (222) seguem com possibilidades de título. A dupla de Red Bull, que está em busca uma conquista inédita, conta com a promessa da equipa de uma disputa sem preferências. Já Alonso e Hamilton procuram repetir o título. Confira o que cada piloto precisará em Abu Dhabi para ser campeão:

Fernando Alonso
 (246 pontos)
Se for 1º: leva o título, independente de resultado.
Se for 2º: leva o título, independente de resultado.
Se for 3º: é campeão se Webber não vencer.
Se for 4º: é campeão se Webber não vencer.
Se for 5º: é campeão se Vettel e Webber não vencerem.
Se for 6º: é campeão se Vettel não vencer e se Webber for no máximo terceiro.
Se for 7º: é campeão se Vettel não vencer e se Webber for no máximo quarto.
Se for 8º: é campeão se Vettel não vencer e se Webber for no máximo quarto.
Se for 9º: leva o título de Vettel for no máximo terceiro e se Webber for no máximo quinto.
Se for 10º: leva o título de Vettel for no máximo terceiro e se Webber for no máximo sexto.
Se não pontuar: é campeão se Hamilton não vencer, Vettel for no máximo terceiro e Webber for no máximo sexto.
 
Mark Webber
(238 pontos)
Se for 1º: é campeão se Alonso for no máximo terceiro.
Se for 2º: é campeão se Vettel não vencer e se Alonso for no máximo sexto.
Se for 3º: leva o título se Vettel não vencer e se Alonso for no máximo sétimo.
Se for 4º: leva o título se Vettel não vencer e se Alonso for no máximo nono.
Se for 5º: leva o título se Vettel for no máximo terceiro e se Alonso for no máximo décimo.
Se for 6º: já não tem chances de título.

Sebastian Vettel
(231 pontos)
Se for 1º: leva o título se Alonso for no máximo quinto, independente de Webber.
Se for 2º: é campeão se Webber for no máximo quinto e se Alonso for no máximo nono.
Se for 3º: já não tem chances de título.

Lewis Hamilton
 (222 pontos)
Se for 1º: é campeão se Alonso não pontuar, Vettel for no máximo terceiro e Webber for no máximo sexto.
Se for 2°: já não tem chances de título.

Alemão Vettel faz votos
para um azar de Alonso

Vencedor do Grande Prêmio do Brasil, o alemão Sebastian Vettel adiou a definição do título mundial na Fórmula 1 para a última corrida da temporada, no próximo domingo, em Abu Dhabi. A 15 pontos de distância do líder Fernando Alonso (231 a 246), o piloto da Red Bull declarou após a corrida em Interlagos que acredita na possibilidade de ser campeão, mas reconheceu que não depende só de si. "Se fossem 25 pontos de diferença seria impossível, mas com 15 é possível. Acho que o Fernando (Alonso) não vai ficar chateado se eu disser que queria ver uma fumacinha a sair do carro dele", brincou Vettel, ao lado do espanhol da Ferrari.

O alemão também exaltou o bom trabalho da sua equipa, a Red Bull, que garantiu o título do mundial de construtores. O seu companheiro de equipa, o australiano Mark Webber, chegou em segundo no circuito paulistano; o próprio Alonso completou o pódio. "Foi muito importante a equipa não perder motivação depois do que aconteceu na Coreia", disse Vettel, referindo-se ao GP passado, quando ele e Webber abandonaram e viram Alonso assumir a liderança da classificação. "Estamos orgulhosos, mas ainda falta uma corrida".

Hamilton conquista
melhor tempo do dia


Lewis Hamilton garantiu ontem, sexta-feira, o melhor tempo dos treinos livres para o GP dos Emirados Árabes de Fórmula 1. Azarado na luta pelo título da temporada, o inglês da McLaren liderou a segunda sessão do dia com a marca de 1min40s888, deixando o Circuito de Yas Marina como o único piloto a virar abaixo da marca de 1min41s. Iniciado com sol e encerrado já no anoitecer, 90 minutos depois, o treino contou com desempenho discreto dos brasileiros. Felipe Massa, o sexto mais rápido, rodou e abandonou antes do fim.

Rubens Barrichello foi o 15º na Williams, enquanto Lucas de Grassi foi o 22º com a Virgin e Bruno Senna foi o 24º com a Hispania. O treino livre do fim da tarde em Abu Dhabi também garantiu uma boa luta entre os candidatos ao título da temporada. Sebastian Vettel foi o segundo colocado, à frente de Fernando Alonso, terceiro, e Mark Webber, quarto. Robert Kubica foi o quinto colocado.


A sessão começou com Alonso registando prematuramente o melhor tempo, 1min41s473, com Hamilton em segundo e Massa em terceiro. A marca não só ficou no topo da lista por um bom tempo, como ainda foi melhorada pelo espanhol, que fez 1min41s464 a pouco mais de 50 minutos do fim da sessão e do dia. As duas Red Bull vinham rápidas, mas sem conseguirem o primeiro posto. Hamilton, por sua vez, vinha forte, mas errou, escapou no final da volta e quase atingiu Bruno Senna.

Os comissários da etapa de Abu Dhabi ainda investigaram o caso, mas não puniram nenhum dos dois pilotos. Enquanto isso, Felipe Massa tinha os seus primeiros problemas do dia, a rodar sozinho com pouco menos de uma hora de treino. Hamilton conseguiu o primeiro lugar com 1min41s213, mas lá atrás, Jaime Alguersuari também andou com a Toro Rosso, deixou o carro e abandonou o treino com o discreto tempo de 1min43s128.

Com uma óptima sessão, Hamilton ainda baixou o seu tempo e manteve-se em primeiro com a marca de 1min40s888. Minutos depois, Massa voltou a ter problemas, parando a sua Ferrari à beira da pista e abandonando o carro, empurrado por fiscais. O problema do brasileiro seria falta de combustível. Fernando Alonso era então o segundo colocado, mas perdeu o posto para Sebastian Vettel. O líder do primeiro treino fez uma óptima volta, com 1min41s145, e superou a marca do espanhol, 1min41s464. Porém, nenhum dos rivais conseguiu tomar a liderança de Hamilton, que ficou no topo. Os pilotos voltam agora à pista de Abu Dhabi hoje, sábado, para o terceiro treino livre, e para o treino de classificação.

Massa prevê jogo de equipa
entre Mark Webber e Vettel

Fora da luta pelo título da temporada, Felipe Massa tem em Abu Dhabi a missão de atrapalhar os adversários a fim de quem Fernando Alonso consiga garantir a taça. A meta torna-se ainda mais importante dada a certeza do brasileiro no jogo de equipa da Red Bull, caso no final da prova Sebastian Vettel esteja em primeiro, seguido por Mark Webber e Alonso. "Na minha opinião, os dois pilotos da Red Bull vão lutar até o fim, já que ambos têm possibilidades de ser campeão. Mas, se no final Sebastian for o primeiro e Mark estiver em segundo, tenho certeza que eles vão trocar as posições. Se não for assim, o título vai para outra equipa", lembrou o brasileiro, que fez o mesmo com Fernando Alonso na prova da Alemanha, em atitude que revoltou grande parte dos fãs de Fórmula 1.

Para Vettel ser campeão, é preciso que Alonso cruze a linha de chegada, no máximo, em quinto lugar. No caso de Webber, a situação é um pouco menos complicada, já que ele aspira para Alonso não ir além da terceira posição. Questionado se considera estar em situação complicada na equipa que defende desde 2001, já que Fernando Alonso apresentou uma performance bem melhor que a dele, Massa refutou. "Alonso é um piloto muito forte, mas já tive outros companheiros rápidos, como Kimi Raikkonen e Michael Schumacher", comentou.

Director diz que Williams
está em "grande forma"

A Williams está financeiramente em "grande forma" para a próxima temporada, apesar da perda de alguns patrocinadores importantes, disse ontem o director da escuderia, Adam Parr. Parr afirmou em Abu Dhabi, onde acontece o último GP da temporada no fim de semana, que não compareceu às corridas do Brasil e da Coreia do Sul porque estava a cuidar das negociações financeiras necessárias para a equipa na próxima temporada. A Williams perdeu patrocinadores, o principal deles o Royal Bank of Scotland (RBS), e ainda há dúvidas sobre as permanências do grupo de eletrónicos Philip''s.

Outros patrocinadores também estão em risco, como a AirAsia, cujo dono Tony Fernandes agora possui a sua própria equipa, a Lotus Racing, e a seguradora Allianz, que passou a estampar a sua marca no safety car oficial. "Nós substituímos todos os patrocínios que perdemos e estamos em grande forma", disse Parr. "Na verdade sinto-me mais confiante para o futuro da equipa agora do que no passado, apesar de termos sido uma companhia lucrativa nos últimos três anos."

"Neste ano seremos mais uma vez, e no ano que vem também. Financeiramente, acho que estamos numa situação muito boa", acrescentou. Apesar das especulações de bastidores a respeito de uma troca do novato alemão Nico Hulkenberg pelo venezuelano Pastor Maldonado, que levaria o patrocínio da estatal de petróleo de seu país PDVSA, Parr garantiu que a equipa ainda não tomou nenhuma decisão sobre os seus pilotos para 2011.

Tempo da segunda sessão de treinos livres em Abu Dhabi

1. Lewis Hamilton (ING/McLaren Mercedes): 1min40s888
2. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull Renault): 1min41s145
3. Fernando Alonso (ESP/Ferrari): 1min41s314
4. Mark Webber (AUS/Red Bull Renault): 1min41s315
5. Robert Kubica (POL/Renault): 1min41s576
6. Felipe Massa (BRA/Ferrari): 1min41s583
7. Vitaly Petrov (RUS/Renault): 1min42s096
8. Jenson Button (ING/McLaren Mercedes): 1min42s132
9. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India Mercedes): 1min42s203
10. Nico Rosberg (ALE/Mercedes): 1min42s222
11. Michael Schumacher (ALE/Mercedes): 1min42s246
12. Nico Hulkenberg (ALE/Williams Cosworth): 1min42s449
13. Adrian Sutil (ALE/Force India Mercedes): 1min42s535
14. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber Ferrari): 1min42s768
15. Rubens Barrichello (BRA/Williams Cosworth): 1min42s914
16. Nick Heidfeld (ALE/Sauber Ferrari): 1min42s950
17. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso Ferrari): 1min43s128
18. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso Ferrari): 1min43s584
19. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus Cosworth): 1min45s180
20. Timo Glock (ALE/Virgin Cosworth): 1min45s259
21. Jarno Trulli (ITA/Lotus Cosworth): 1min45s612
22. Lucas di Grassi (BRA/Virgin Cosworth): 1min46s053
23. Christian Klien (AUT/Hispania Cosworth): 1min47s210
24. Bruno Senna (BRA/Hispania Cosworth): 1min47s434