Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Metodista cria campus desportivo

Augusto Panzo - 15 de Março, 2012

Edifício central do campus universitário está já concluído

Fotografia: Domingos Cadência

O bairro da Caop Velha, 12 quilómetros a nordeste da vila de Cacuaco, sede do município com o mesmo nome, na estrada que liga a histórica localidade de Kifangondo à vila de Catete, região de Icolo e Bengo, é o local escolhido pela Universidade Metodista de Angola para albergar o Campus dos Desportos e Saúde.

O bairro da Caop Velha está encaixado entre o rio Bengo e as colinas da Funda, que outrora albergava a escola de formação de oficiais das FAPLA “Comandante Arguelles”. Para muitos, o bairro é uma referência obrigatória, pois, lá se situa o mercado informal conhecido por Sabadão, onde é vendida uma grande diversidade de produtos do campo, sendo por isso muito concorrido. Para outros, essa localidade é de todo desconhecida, mas, daqui em diante passa a interessar a muita gente, pois, na Caop Velha está erguido um edifício que vai albergar o Campus dos Desportos e Saúde.

A construção de tal edifício pode não constituir motivo de muita admiração pelos residentes, mas o facto de conter no seu currículo académico o curso superior de Educação Física e dos Desportos, o primeiro em Angola, faz com que Caop Velha passe a ser uma referência obrigatória para muitos angolanos, sobretudo para os estudantes universitários ligados às disciplinas referidas. O Jornal dos Desportos esteve no local, durante uma visita de constatação efectuada por membros da reitoria daquela instituição académica e pôde constatar em que ponto se encontra o andamento das obras.

O edifício central já está erguido, com os respectivos quartos, que vão albergar docentes e discentes, as salas onde vão ser ministrados os cursos, tanto de Educação Física, como dos Desportos, e outras áreas de lazer para os aludidos “inquilinos”. Estão também prontos um pavilhão multiuso, para a prática de basquetebol, andebol, voleibol e ginástica olímpica (com o respectivo equipamento já montado), os balneários e uma piscina de hidromassagem. Na parte adjacente ao edifício, está em fase avançada de construção o futuro estádio do Campus.

Depois de ter sido já colocado o sistema de drenagem das águas pluviais e de rega, nos dias que correm, as obras do referido estádio estão centradas na colocação de solos e brita, e na construção do colector central das referidas águas.“O estádio em construção vai contar com uma bancada unilateral em betão, por debaixo da qual serão construídos os respectivos balneários. Estamos também já a aplicar os solos emprestados, mistos com a brita, de maneira a facilitar a plantação da relva, pois, até ao dia 25 de Maio, devemos fazer a entrega do mesmo à direcção do Campus”, disse

Ricardo Moreno, o engenheiro responsável por todas as obras do projecto Kaop Park. Mais abaixo do local onde está a ser construído o estádio, estão dois recintos para a prática desportiva. São uma quadra para o voleibol e um court para o ténis de campo, além de um parque infantil. Enquanto isso, na zona sudoeste do mesmo empreendimento, está em terraplenagem o local onde vai ser construído o pavilhão multiuso coberto, semelhante ao que existe no Complexo Desportivo da Cidadela, e uma piscina semi-olímpica, com 25 metros.


ARRANQUE
“Campus dos Desportos está aberto para todos”

O surgimento do Campus dos Desportos e Saúde da Universidade Metodista de Angola é um alívio para a maior parte dos estudantes com formação média em Educação Física e Desportos, no Instituto Normal de Educação Física (INEF) ou noutras instituições similares do país. A partir deste ano, os estudantes podem candidatar-se ao ensino superior nessas disciplinas, bastando, para tal, fazerem a inscrição e o devido apuramento nos testes para a frequência universitária.

A instituição tem o arranque do ano académico previsto para 26 deste mês.  Manuel Botelho, o homem que vai coordenar o curso de Educação Física e Desportos neste primeiro ano, no Campus universitário, deu a conhecer que a instituição está aberta a todos. “Em princípio, será uma universidade, mas a perspectiva dessa instituição é abranger o maior número de pessoas possível. Abrir-se à comunidade, porque uma universidade não funciona sem estar aberta à comunidade. A prioridade será dada aos estudantes universitários”, disse.

Na abertura que a Universidade Metodista de Angola pretende fazer, a instituição vai conceder espaços para todos os estudantes provenientes do ensino médio, que podem depois escolher as suas opções em todas as valências que a universidade vai leccionar, como futebol, andebol e outras modalidades.


Electricidade e água estão asseguradas

O Campus universitário dos Desportos e Saúde conta já com um transformador de alta potência conectado à rede e um gerador auxiliar. No total, o complexo conta com um potencial de 10 mil KVA da rede pública. Quanto à água, o complexo tem um sistema de captação directo do rio Bengo e outro de tratamento, implantado no local onde estão em curso as obras. A estação de captação tem um depósito com capacidade de bombear 270 metros cúbicos, ao passo que a de água tratada é de 300 metros cúbicos. Para o consumo humano, o sistema trata 20 metros cúbicos de água por hora.


FORMANDOS
Meia centena de alunos na abertura do curso


Neste primeiro ano de funcionamento, a instituição vai receber 50 estudantes, número que, de acordo com Manuel Botelho, vai subir à medida que o Campus receber mais salas e capacidade técnica. “Os cursos são para os estudantes universitários com nível médio no geral e que queiram seguir as disciplinas que aqui serão leccionadas, mas não se descura a possibilidade de abranger todos, principalmente a comunidade que vive nos arredores do campus”, disse. O número básico com que vai arrancar o primeiro ano académico nessa instituição é muito baixo, mas o coordenador do curso considerou essa quantia suficiente, pois, já funciona como publicidade.

“O número de 50 alunos, nesta primeira fase, não constitui fraca adesão. Não podemos falar em fraca adesão. Temos que falar no suficiente. A publicidade faz-se pela transmissão e isso dá-me garantias de que, no próximo ano académico, vamos ter muito mais gente à procura do curso dos Desportos. Aqui vão licenciar-se professores e técnicos a nível dos desportos nas diversas modalidades. No primeiro ano, será de forma geral, mas no segundo os discentes já entrarão para as especialidades e de entre estas, haverá as colectivas e as individuais”, frisou. O recurso às instituições similares portuguesas é uma das soluções para o pessoal docente do Campus, estando em curso contactos com universidades lusas vocacionadas para o ramo.

 
Curso representa  mais-valia para Angola

 O surgimento desta instituição em Angola, virada para a formação superior em Educação Física e Desportos, constitui motivo de orgulho para um país emergente, como é o nosso. Essa é a opinião do seu coordenador, Manuel Botelho.“Este curso superior em Educação Física e Desportos representa algo novo num país emergente, que está em evolução e penso que a Universidade Metodista de Angola só tem a lucrar com isso. Por isso, é que foi lançado este projecto, porque tem ambição e é um serviço para o povo angolano. Daqui sairão os futuros técnicos para o desporto angolano”, disse Manuel Botelho.

Para ajustar o calendário, a coordenação do curso vai leccionar três modalidades desportivas em cada semestre, devendo, por via disso, os alunos saírem, no final, preparados para, ao mesmo tempo, serem professores e técnicos do desporto. Para dar corpo ao curso, a coordenação vai organizar seminários com pessoal especializado, convidando treinadores nacionais para falar sobre vários temas dos cursos a serem leccionados, de maneira a que os discentes saiam com a formação completa.