Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

MotoGP projecta expansão fora do continente europeu

24 de Dezembro, 2010

A ideia é levar a categoria de duas rodas para outros mercados.

Fotografia: AFP

A MotoGP pensa no marketing a nível mundial e projecta uma expansão da categoria para pontos ainda não visitados pelas suas motorizadas. A ideia é levar a marca a mercados que não têm tradição em receber a categoria de duas rodas, em medida semelhante à tomada pela Fórmula 1 nos últimos anos. A temporada 2010 de motovelocidade contou com 18 etapas, sendo que 12 delas foram disputadas no continente europeu. Destas, cinco na Península Ibérica, com uma prova em Portugal e as outras quatro em Espanha.

“Vamos para novos países, apesar de eu achar que devemos manter as nossas raízes europeias. Com certeza não queremos continuar por muito tempo com cinco GPs só na Península Ibérica, é muito”, explicou Carmelo Ezpeleta, chefe da MotoGP. Entre os prováveis novos pólos da categoria estão os circuitos de Singapura e Abu Dhabi, e também o de Austin, no estado americano do Texas, ainda em fase de planeamento. A Yamaha, a Honda, a Suzuki e a Ducati são as principais equipas que actuam na categoria de MotoGP, abrindo uma grande rivalidade competitiva entre os pilotos destas marcas.

Paris Hilton inova e lança equipa

Paris Hilton apresentou no último sábado a SuperMartxe VIP, moto que será usada pela recém criada equipa de corrida que leva o seu nome. Em Madrid, a modelo montou a nova 125cc, que vai entrar na disputa da MotoGP, e posou para fotógrafos. Hilton tornou-se sócia da equipa espanhola BQR, que foi rebaptizada com o nome oficial de “SuperMartxe VIP by Paris Hilton”. As ambições são grandes: Sergio Gadea e Maverick Vinales (campeão espanhol e europeu de 2010 nas 125cc) serão os pilotos. Além disso, a equipa conta com o director técnico Ricard Jove e os especialistas da categoria Christian Lundberg and Rossano Brazzi, que em combinação com o talento de Gadea e Vinales devem formar uma escuderia bastante competitiva.

Suzuki terá apenas
uma moto

Para o Mundial de MotoGP de 2011, uma inovação na garagem da Suzuki. A equipa japonesa anunciou recentemente que na próxima temporada terá apenas uma moto na pista, comandada pelo espanhol Álvaro Bautista. A medida foi tomada para cortar gastos, uma vez que a equipa nipónica foi muito prejudicada pela crise económica, de acordo com o chefe da escuderia, Shinichi Shara. “A Suzuki deseja agradecer a todos os patrocinadores e fãs que nos apoiaram em 2010.

Com a experiência e os conhecimentos adquiridos em 2010, o Team Suzuki espera avançar com paixão e esforço em busca da glória em 2011”, afirmou Shara.“A Suzuki vai participar na MotoGP em 2011 com apenas um piloto: Álvaro Bautista. Ele entrou na equipa este ano e realizou grandes progressos, melhorando os seus resultados ao longo da temporada”, explicou o dirigente. Em 2010, a equipa contava com o espanhol e também com o italiano Loris Capirossi.

Comissão de Grandes Prémios
define novas regras para 2011

Reunida recentemente em Madrid, a Comissão de Grandes Prémios da MotoGP, Moto 2 e 125cc decidiu fazer algumas alterações aos fins-de-semana da competição. A partir do ano que vem, as três categorias terão quatro sessões de treino nos primeiros dias de actividade. Com estas alterações, a MotoGP terá quatro treinos de 60 minutos cada, a Moto 2 também terá as mesmas quatro sessões, mas com 45 minutos de duração. Já a 125cc terá dois treinos de 45 minutos pela manhã e dois treinos de 30 minutos pela tarde.

Além da mudança no cronograma do fim-de-semana, também foi decidido que três pilotos vão compor cada fila da linha de partida em todas as categorias. Durante a reunião, também foi confirmada a substituição da 125cc por uma nova categoria, a Moto 3. A comissão divulgou ainda que a nova classe, que toma as pistas em 2012, terá um fornecedor único de pneus e combustível/óleo, que será anunciado no início do ano que vem.