Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Mundial de 2014 anunciado h 3 anos

04 de Novembro, 2010

O mais provvel que a sede em So Paulo seja o novo estdio do Corinthians

Fotografia: AFP

O mais provável é que a sede em São Paulo seja o novo estádio do Corinthians, que ainda terá que ser construído e cujo projecto original tem capacidade menor do que a FIFA determina para sedear a abertura do Mundial. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, porém, a abertura será, de facto, no campo construído no bairro de Itaquera, na capital paulista, cidade com mais força económica da federação brasileira.

Mesmo assim, as sedes de Minas Gerais e Bahia já estão pleiteando a oportunidade de abrir a competição, uma vez que as obras em São Paulo estão estagnadas e os estádios do Morumbi e Arena Palestra ainda sonham em receber partidas da prova. No Rio Grande do Sul, o projecto do estádio Beira-Rio, do Internacional, sofre com as exigências da FIFA, que gostaria de ver o relvado cortado. Por custar mais caro, a possibilidade é rechaçada pelos dirigentes do clube, o que criou um imbróglio entre as duas entidades.

Um “plano B”, porém, ainda não existe e a casa da equipa colorada deve mesmo ser a sede gaúcha. O primeiro palco que iniciou as obras foi o Estádio Mineirão, em Belo Horizonte. A primeira fase do projecto começou em Janeiro deste ano e o estádio foi fechado para partidas oficiais, visando a realização da segunda fase apenas no dia 5 de Junho de 2010. A pensar nos jogos da Taça das Confederações em 2013, projecta-se que a conclusão das reformas ocorra em Dezembro de 2012.

Na Bahia, o Estádio da Fonte Nova foi demolido no dia 29 de Agosto de 2010 e as obras seguem dentro da programação. No dia 5 de Setembro de 2010, foi a vez do Maracanã, possível palco da final, ser impedido de receber jogos oficiais para a realização das obras de 2014. O Estádio Vivaldão, no Amazonas, iniciou a sua demolição no dia 4 de Maio de 2010, mas teve os trabalhos adiados por problemas que a construtora encontrou para levar os seus equipamentos para Manaus - além de uma suspeita da Controladoria Geral da União de superfacturamento na compra de materiais.

No Mato Grosso, o Estádio José Fragelli, o Verdão, teve vários adiamentos. As demolições já iniciaram, mas as obras de fundação, que deveriam começar em Setembro, foram novamente postergadas. No Distrito Federal, uma suspeita de superfacturamento também atrasou as obras de fundação.

Situação das 12 sedes

São Paulo (SP)
Estádio: provavelmente, o futuro estádio do Corinthians
Construtora: Odebrecht
Situação: as obras de construção só devem começar em 2011. Os dutos da Petrobras que atravessam o local não devem causar nenhum problema, já que a construtora garante que eles passam apenas pela área que será o estacionamento.

Rio de Janeiro (RJ)
Estádio: Maracanã
Construtoras: Andrade Gutierrez, Odebrecht e Delta
Situação: já foi fechado para a realização de obras e segue o cronograma planeado para ser o palco da final do Mundial.

Belo Horizonte (MG)
Estádio:
Mineirão
Construtoras: Egesa,
HAP e Construcap
Situação: das três fases programadas, a segunda já está em andamento, com a demolição de bancadas e mudanças no campo. Com o cronograma em dia, as obras devem ser concluídas no final de 2012.
 
Curitiba (PR)
Estádio:
Arena da Baixada
Construtora: não definida
Situação: a casa do Atlético-PR deve iniciar as reformas apenas em 2011. A fonte do financiamento das obras foi o responsável pelo atraso. No último dia 26 de Outubro, foi definido que o clube receberá títulos de potencial construtivo da prefeitura de Curitiba.

Natal (RN)
Estádio:
Arena das Dunas
Construtora: não definida
Situação: o edital de licitação da parceria público-privada encerra a 4 de Novembro, às 9 horas, e até o momento já atraiu 27 consórcios e empresas. Com isso, as obras de demolição do Machadão devem ocorrer apenas em 2011.
 
Manaus (AM)
Estádio: Vivaldão
Construtora: Andrade Gutierrez
Situação: as obras de demolição começaram, mas foram interrompidas pela demora que a construtora teve para levar os seus equipamentos para Manaus. Além disso, a Controladoria Geral da União suspeita de superfacturamento na compra de materiais e interrompeu a cessão de verbas do BNDES .

Salvador (BA)
Estádio: Arena Fonte Nova
Construtoras: Odebrecht e OAS
Situação: implosão do estádio já foi realizada. No momento, ocorrem as obras de fundação para que a reconstrução seja executada. Os trabalhos seguem dentro do cronograma planeado.

Brasília (DF)
Estádio: Nacional Mané Garrincha
Construtoras: Via Engenharia e Andrade Gutierrez
Situação: demolição das bancadas já foram iniciadas, mas uma suspeita de superfacturamento suspendeu o edital e atrasou as obras de fundação. Previsto para abrigar 72 mil pessoas, o estádio sofre pressão do Ministério Público para que a capacidade seja reduzida para 30 mil.

Cuiabá (MT)
Estádio: Arena Cuiabá
Construtoras: Santa Bárbara e Mendes Júnior
Situação: já foi iniciado o processo de demolição. Contudo, as obras foram adiadas por falta de um alvará da prefeitura, o que já foi resolvido. Se o estádio vai bem, a falta de modernização do aeroporto Marechal Rondon preocupa a FIFA.

Fortaleza (CE)
Estádio: Castelão
Construtoras: Galvão Engenharia, Serveng Civilsan e BWA.
Situação: o processo de licitação se arrastou entre Fevereiro e Outubro de 2010. O consórcio vencedor só foi homologado no último dia 29. A previsão é que as obras demorem entre 24 e 26 meses e comecem apenas em 2011, depois que o estádio receber um ou dois jogos do Campeonato do Ceará.

Recife (PE)
Estádio: Arena Pernambuco
Construtoras: Odebrecht,
ISG e AEG Facilities
Situação: o contrato para a construção da obra foi assinado apenas no dia 15 de Julho de 2010. O terreno onde será construído o quarto estádio da cidade (que já conta com a Ilha do Retiro, o Aflitos e o Arruda) teve diversos problemas para desapropriar imóveis - as 117 famílias já deixaram o local e ainda restam 20 a serem indemnizadas - e conseguir a autorização da Agência Estadual de Meio Ambiente.

Porto Alegre (RS)
Estádio:
Beira-Rio
Construtora: Nenhuma
Situaçao: as obras foram iniciadas no dia 29 de Agosto de 2010, com a colocação de pilares para a nova cobertura. Contudo, a FIFA passou a exigir a mudança do relvado, o que elevaria o custo da reforma. O Internacional, dono do estádio, afirmou que não tem condições de pagar o novo relvado sozinho e pode ter que recorrer a uma construtora para concretizar o projeto. Enquanto isto, o arquirrival Grêmio, que irá reformar seu estádio, começa a pleitear a possibilidade de receber o Mundial.

FIFA cria grupo para tornar
Copa do Brasil mais atraente

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) criou um grupo de trabalho para pensar nos próximos anos em como tornar os jogos mais atraentes com vista o Campeonato do Mundo de 2014, informou o presidente da organização, Joseph Blatter. O comité executivo da FIFA  aceitou, durante a reunião celebrada em Zurique, a criação deste grupo de trabalho, formado por autoridades, treinadores, jogadores, árbitros e médicos especialistas, que trabalharão de “forma a melhorar o futebol por áreas”, segundo os termos de Blatter.

“Analisarão a presente situação do futebol, como as regras do jogo, as leis e as regulamentações, para ver se é possível torná-lo mais atraente”, disse Blatter à imprensa, ressaltando que qualquer mudança que surja do grupo de trabalho será aplicada no Mundial do Brasil.

2014 pode ter penalties
logo na primeira fase

A FIFA já admite mudar o sistema de disputa do Mundial de 2014, no Brasil, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. Entre os temas a serem discutidos estão a inclusão de disputas de penalties na fase de grupos e a volta da morte súbita. O objectivo da entidade é, diante da pressão de patrocinadores, tornar o torneio mais dinámico.  “Queremos um Campeonato do Mundo mais atractivo”, justificou Joseph Blatter, presidente da FIFA.

A baixa média de golos do Mundial da África do Sul (2,26 por jogo) desanimou parceiros da entidade. Blatter ouviu que, para continuar a receber investimentos cada vez maiores, teria de encontrar maneiras para dar mais emoção à competição. Em Setembro, o dirigente já havia acenado com a possibilidade de mudanças. Após o encontro realizado pelo Comité Executivo da FIFA, em Zurique, na Suíça, foi anunciado que um grupo de trabalho formado por técnicos, jogadores, médicos e árbitros debaterá o assunto atrás de soluções.

Entre as possibilidades estão o fim dos empates nos jogos da primeira fase, que passariam a ser decididos aos penalties. No “mata-mata”, o “golo de ouro” e, até mesmo, a extinção do prolongamento estão em estudo. “Queremos discutir o prolongamento. Com frequência, as equipas procuravam não sofrer golos durante o prolongamento.

 Passar directamente à disputa nos penalties e adoptar de novo o golo de ouro são as opções. Vamos ver o que será decidido”, disse Blatter. O presidente da FIFA levantou ainda a possibilidade de profissionalizar a arbitragem mundial. Blatter já deu diversas declarações em que criticou os erros de juízes e assistentes durante o Mundial da África do Sul.

América do Sul vai conservar
“4 vagas e meia” a para prova

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) vai manter as suas “quatro vagas e meia” para o Campeonato do Mundo de 2014, anunciaram os porta-vozes da entidade em Assunção. Os quatro primeiros colocados das eliminatórias classificam-se directamente, e o quinto disputa a vaga na repescagem. “É a última informação que vem de Zurique, depois da reunião do comité executivo da FIFA, que respeitou o pedido de manter as vagas para a América Latina”, afirmou Néstor Benítez.

Se confirmada a notícia, a América do Sul poderá ser representada por até seis selecções no Mundial do Brasil, levando em conta que o país anfitrião participa directamente sem jogar as eliminatórias. Na Copa de 2010, na África do Sul, a América do Sul contou com cinco selecções: Brasil, Argentina, Paraguai, Chile e Uruguai. Este último, que chegou às semi-finais e foi o melhor representante do continente, classificou-se para o Mundial depois de vencer na repescagem a Costa Rica.

Desta forma, no Mundial do Brasil estarão garantidas 13 selecções da Europa, cinco de África, quatro da América do Sul, três da Concacaf (Américas do Norte, Central e Caribe), quatro da Ásia e o país-sede. Para completar o total de 32 países, as duas vagas restantes serão disputadas pelo quinto colocado da América do Sul, o quarto da Concacaf, o quinto da Ásia e o campeão da Oceania.