Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Nelson foi o primeiro angolano a cobrir um Rally Lisboa Dakar

12 de Março, 2010

Nelson Lemos jornalista desportivo

Fotografia: Jornal dos Desportos

Abraçou o Jornalismo aos 14 anos de idade na Rádio Kuito (Bié) e teve o privilégio de trabalhar ao lado de renomados radialistas como Abel Abraão, Faria Horácio, Aniceto dos Santos e outros. Actualmente ,como jornalista desportivo da Televisão Pública de Angola (TPA), é repórter de pista. Dono de uma voz que desperta a atenção até dos menos atentos, Nelson Lemos, nasceu no Bié e  viveu  uma parte  da sua infância na cidade portuária do Lobito, onde fez parte dos seus estudos primários.

Por volta de 1985/86 regressa ao Kuito e foi convidado a jogar pelos juvenis do Vitória Atlético do Bié onde sagrou-se uma vez campeão provincial tendo repetido a mesma proeza com os juniores. Embora fosse um exímio praticante de futebol com tudo para singrar naquele mundo, o seu maior sonho era ser jornalista desportivo em televisão. Assim, em 1988 surgiu a primeira oportunidade para a realização do seu sonho aos 14 anos de idade.

Ele diz: " Como fui sempre um bom leitor convidaram-me a trabalhar na Rádio kuito no programa Piô-Piô. Neste período eu trabalhava e jogava. Das 05h00 às 07h00 treinava e depois ia à escola. De tarde trabalhava. Naquela época haviam grandes profissionais na Rádio Kuito, entre eles o Cordeiro Chimo (director), António Mwachilela, Abel Abraão, Aniceto dos Santos (já falecido) Luísa Sampaio, Faria Horácio (já falecido) Ana Wande e outros".

Em 1990/92 abriu-se a primeira porta para a realização do seu grande sonho. " Por iniciativa do Kota Aniceto dos Santos que queria explorar ao máximo a minha experiencia no desporto, especialmente no futebol, fui indicado para trabalhar na área desportiva até a altura em que começaram as escaramuças que viriam a durar cerca de dois anos e já não interessa mencionar o que tivemos de fazer para sobreviver e defender a cidade".

Em 1985, Nelson Lemos teve o privilégio de ser o primeiro locutor a fazer a abertura da emissão da já reconstruída Rádio kuito. " Foi um momento muito marcante para mim" diz Nelson. Como a cidade estava praticamente paralisada, não havia desporto, então foi fazendo programas de recreação como o Miragens que ia para o ar aos domingos das 09 às 12h00. Em 1988 e tendo em mente o dito popular de que diz  "quem não arrisca não petisca", Nelson Lemos decidiu avançar para a capital do país às suas próprias custas para concretizar o seu sonho. Posto em Luanda, primeiro ingressou na Rádio-5 e em finais de 1999 fez os testes na TPA, na área desportiva, onde foi admitido.

Assim foi aberta a segunda porta para a materialização dos seus objectivos. Seis meses depois de um bom treinamento como repórter, tendo passado também pelo programa "Ecos e Factos", Nelson Lemos passou a repórter de pista em meados de 2000 e na área desportiva, onde encontrou, Carlos Contreiras, Luís Caetano, Armando Narciso, Filomena Reis, Tito Júnior, Justino Bwete, Zurema Rodrigues e outros. Nelson Lemos referiu que foi muito bem recebido e sente-se bem até hoje entre os seus colegas e superiores hierárquicos. Como repórter de pista, ele diz ter coberto mais de 500 jogos desde 2000 quer a nível do Girabola, Afrotaças e da selecção nacional.

Nelson foi o primeiro jornalista angolano a cobrir um Rally Lisboa-Dakar(que só não terminou por ameaças terroristas) isto  em 2008 e, depois em companhia de Carlos Augusto(comera man), foram os únicos jornalistas africanos que cobriram o Rally Trans-Oriental, que teve a participação de dois pilotos angolanos, que  começou  na Rússia passou pelo Cazaquistão e terminou nas grandes  muralhas da China. " Foram 20 dias de muita neve, chuva e calor, mas inesquecíveis. Considero como tendo sido a minha primeira grande aventura na vida de jornalista desportivo" diz Nelson Lemos um jovem de trato fácil e amigos de seus amigos.

Altos & Baixos
"CAN 2010 superou o mundial da Alemanha"


Um dos momentos mais alto na sua vida como repórter de pista foi a cobertura do mundial na Alemanha em 2006. " Mas, para mim o CAN 2010 que o nosso pais organizou superou o mundial de 2006 porque tive uma participação mais directa pois, fiz parte da grande equipa da TPA que transmitiu os jogos para todo o país e para o mundo inteiro, e senti-me muito honrado com as felicitações que o Presidente da República endereçou a todos os jornalistas angolanos pela cobertura do CAN. A forma como o Povo angolano acarinhou a selecção angolana marcou-me profundamente pois, apesar de Angola não ter chegado mais longe, presenciamos um elevado sentido patriótico jámais visto no país".

O momento mais triste do jornalista, foi quando a nossa selecção permitiu o empate contra o Mali depois de estar a vencer por 4-0. " Foi uma grande desilusão". Nelson Lemos, como qualquer profissional, deseja atingir níveis mais altos na sua profissão tais como ser narrador de jogos e ser mais útil à sociedade. Nelson Lemos agradece a todos os seus admiradores pelo carinho que lhe têm dado e diz que " tudo farei para nunca os decepcionar quando estiver no pleno exercício da minha actividade".