Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Ngongo satisfeito com obras do CAN-2010

Joaquim Suami, em Cabinda Fotos: Rafael Tati - 08 de Dezembro, 2009

ministro do interior, Roberto Leal Monteiro

Fotografia: Jornal dos Desportos

O ministro do interior, Roberto Leal Monteiro "Ngongo", ficou satisfeito com as condições de alojamento que estão a ser criadas em Cabinda, província que em 2010 vai acolher jogos preliminares da XXVII Edição do Campeonato Africano das Nações de Futebol Sénior Masculino, que Angola vai organizar de 10 a 31 de Janeiro.
Roberto Leal Monteiro, que esteve na quinta e sexta-feira, em Cabinda, para presidir as sessões de abertura e de encerramento da III Reunião Nacional de Segurança e Protecção do Campeonato Africano das Nações de Futebol Orange Angola-2010, referiu que as condições de alojamento são excelentes, o que vai permitir uma melhor acomodação das selecções da Costa do Marfim, Togo, Burkina-Faso, Ghana e de jornalistas.   
"As condições de alojamento impressionaram-me. As delegações das quatro selecções que estão no Grupo B, disseram que já participaram em outros campeonatos africanos mas nunca encontraram condições idênticas às da Vila Olímpica do Cabassango e as do Complexo Residencial do Buco-Ngoio, onde serão alojados os jornalistas. Nos estádios, temos a garantia da relva estar em condições antes da competição. Quanto as questões de segurança para os estádios, nos foi dito que estão garantidas as sensibilidades principalmente para o Estádio do Tafe", disse.
De acordo com o titular da pasta do interior, que falou à imprensa no final da visita de campo, relativamente aos aspectos de segurança, o pelouro que dirige está a discutir as formas de entrada para os estádios e da colocação de uma cerca para o Estádio do Chiazi para que as populações não estejam muito próximas do campo de jogo. Sobre este assunto, o governante sublinhou que é preciso se trabalhar neste aspecto, que constitui uma das principais preocupações de momento. 
Quanto ao Estádio Internacional do Chiazi, “Gongo” realçou que as obras de construção da infra-estrutura estão bastante avançadas. O campo tem a capacidade de 20 mil lugares, possuindo um sistema de controlo de tipo CCPV, com câmaras eficazes. 
Apesar de existir evolução nas obras de construção dos empreendimentos que vão acolher os jogos do CAN-2010, há preocupações no que toca aos bilhetes de entrada, ou seja, saber-se em onde se deverá apresentar o bilhete para entrar no estádio, questão que foi discutida na III Reunião Nacional de Segurança e Protecção. "Estamos preocupados com esta situação, porquanto a solução que nos foi apresentada não é a mesma que temos estado a discutir para outros estádios", explica. 

Kandela garante
segurança na região

O comandante provincial da Polícia Nacional em Cabinda, comissário Pedro António “Kandela”, referiu, na cerimonia de abertura da III Reunião Nacional de Segurança e Protecção do CAN, que as recomendações finais do encontro vão obrigar a um elevado nível de responsabilidade no domínio de segurança em outras competições de futebol em África, pois que se projecta um desempenho exemplar em todos os domínios, principalmente na vertente da segurança. 
Segundo o comandante Kandela, o Comando Provincial da Polícia Nacional tem confiança nos recursos humanos que possui e na colaboração da sociedade civil para que o evento fique gravado, de forma positiva, nos corações de todos os quanto fizerem parte dela.
"Cabinda e o seu povo estão ansiosos quanto às conclusões que dessa reunião, antevendo o pouco tempo que nos resta para a realização do XXVII edição do Campeonato Africano das Nações de Futebol Seniores Masculinos. Cabinda faz fronteira com o Baixo Congo da RDC. Os departamentos de kuilou e yari do Congo Brazaville, onde as fronteiras são vulneráveis, dado aos laços linguísticos e outros que existe entre os povos dos três países", explica.
Neste sentido, o Comandante da Polícia Nacional em Cabinda pediu à Direcção Nacional de Segurança e Protecção do COCAN e ao Ministério do Interior apoio multiformes que inviabilizem os movimentos migratórios desordenado para um maior controlo e fiscalização dos cidadãos estrangeiros que se deslocarem a Cabinda por ocasião da realização do Campeonato Africano das Nações de Futebol.
"São visíveis os resultados da actuação dos nossos efectivos, fruto das medidas nos domínios da formação e capacitação dos mesmos. Temos a convicção de que, na hora certa, estarão ao nível das exigências de melhor servir e dignificar a imagem da nossa corporação", finaliza.


Governador quer postura
exemplar da população 

O governador de Cabinda, Mawete João Baptista, apelou à população da província a cuidar dos investimentos feitos pelo governo local, ligados à rede viária, à iluminação pública, aos largos, às escolas, centros médicos e outras infra-estruturas para que os visitantes do Campeonato Africano das Nações de Futebol, desfrutem dos empreendimentos colocados à disposição dos habitantes desta parcela do território nacional.
Segundo Mawete Baptista, o Campeonato Africano das Nações de Futebol vai congregar pessoas de culturas diferentes no mesmo espaço, e, por isso, uma atenção especial deverá ser dedicada a casos de violência doméstica que resultam do uso de drogas, excessos de álcool, situação que se generalizou nos últimos tempos, com implicações negativas na segurança pública.  
O governador disse que a III Reunião Nacional de Segurança e Protecção, que a província albergou recentemente, permitiu delinear as estratégias de asseguramento do CAN-2010.
“Tendo em conta a sua especificidade e pelo facto da província estar situada entre dois países vizinhos, RDC e o Congo Brazaville, o povo angolano, de Cabinda em particular, está ansiosos nos resultados que a reunião produziu”, referiu.
Mawete disse, no entanto, que as acções formativas realizadas e outras em cursos ligadas à segurança e protecção de grandes eventos e de assistentes de recintos desportivos, vão contribuir para a melhoria dos serviços das autoridades policiais na garantia da ordem, segurança, tranquilidade pública e na educação cívica durante o evento.