Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

No Mundial da África do Sul Brasil vale milhões

13 de Maio, 2010

selecção mais valorizada entre as 32 presentes no Campeonato do Mundo

Fotografia: reuters

O Brasil pode ser a selecção mais valorizada entre as 32 presentes no Campeonato do Mundo de Futebol da África do Sul, que começa a 11 de Junho. O grupo de jogadores está avaliado em 355,1 milhões de euros (cerca de 45,8 mil milhões de kwanzas).Avaliado em 50 milhões de euros (cerca de 6,4 mil milhões de kwanzas), Kaká é um dos jogadores mais caros do mundo e a sua contratação do AC Milan custou um negócio "galáctico" ao Real Madrid no início da presente época desportiva.

A selecção "canarinha" ficaria atrás apenas da Inglaterra, Espanha, e talvez, Itália. Não por causa da qualidade dos rivais dos brasileiros, mas sim por altos valores pagos nas transferências que envolvem clubes europeus. Até porque todos os "mundialistas brasileiros" actuam em campeonatos europeus.

O cálculo do valor aproximado da selecção brasileira é do site alemão transfermarkt, especializado em avaliação de jogadores. De acordo com os números levantados pelo site, a selecção "canarinha" tem ainda dois jogadores, os laterais Maicon e Daniel Alves, avaliados em 40,1 milhões de dólares (cerca de 4,01 mil milhões de kwanzas).

O artilheiro Luís Fabiano, do Sevilla, com 37,4 milhões de dólares (cerca de 3,7 mil milhões de kwanzas), e o guarda-redes Júlio César, do Inter de Milão, com 33,4 milhões de dólares (cerca de 3,3 mil milhões de kwanzas), também podem ser incluídos entre os principais negócios do futebol mundial.

Curiosamente, entre os 23 seleccionados do treinador Dunga, existem jogadores com pouco mercado e pouco valorizados. É o caso do lateral-esquerdo Gilberto, do Cruzeiro. Depois de fracassar na Europa, no Tottenham, o veterano jogador voltou ao Brasil em baixa. Avaliado em 2,1 milhões de dólares (cerca de 210 milhões de kwanzas), verá a cotação a subir se tiver um bom desempenho no Campeonato do Mundo de Futebol, Africa do Sul’2010.

O evento desportivo que mais capitaliza as verbas para os craques é o Mundial de Futebol. É um palco destinado para os melhores de momento no mundo. Na edição de 2010, A Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) vai pagar um prémio ao campeão avaliado em 30 milhões de dólares (cerca de três mil milhões de kwanzas).

Estar presente num Campeonato do Mundo não só coloca o jogador na história do futebol, como também pode garantir o futuro da família. Um atleta ganha muito com a imagem além de prestígio.O empresário brasileiro de futebol, Wagner Ribeiro, convidado a tecer considerações sobre o assunto disse que "uma convocação muda muito a valorização do passe de um jogador.

Da própria marca de chuteira, ganham um bónus considerável".O Brasil tem "pólvora" à espera, quando iniciar o maior evento do mundo de futebol. Tendo 23 "europeus" a conquista do torneio pode "explodir" o contrato dos jogadores mais "fracos".Os jogadores que não forem ao Campeonato do Mundo da África do Sul’2010 podem deixar de ganhar cifras milionárias.

Ronaldinho Gaúcho, Adriano, Vagner Love e Fred, que já tiveram passagem pela selecção brasileira, não terão a mesma facilidade para fechar contratos com patrocinadores como Robinho e Luis Fabiano.Wagner Ribeiro revela que no último Campeonato do Mundo, fechou contratos do Robinho com o Banco Santander e a Vivo.

Ao fechar dois ou três contratos de patrocínio, um jogador pode receber cerca de 1,7 milhões de dólares (cerca de 170 milhões de kwanzas) por época.Não bastassem os valores ganhos com a imagem, cada jogador pode receber "um bicho" de 300 mil dólares (cerca de 30 milhões de kwanzas) caso sejam campeões.

Bandeira do jogo bonito está com a Espanha


O jornal espanhol "El País" afirmou que o Brasil perdeu a bandeira do jogo bonito para a actual campeã europeia Espanha, que busca o primeiro título mundial na África do Sul.A selecção de Dunga é consistente e pragmática, muito semelhante àquela que conquistou o tetra em 1994 - justamente quando Dunga era o capitão, segundo o periódico.

Já a Espanha tem um elenco requintado tecnicamente, muito unido e com a melhor geração de futebolistas espanhóis de todos os tempos.O diário ressaltou o desaparecimento do "quadrado mágico" do Mundial de 2006, e foi substituído pela consistência do meio-campo brasileiro. Além disso, o jornal acrescenta que o Brasil conta actualmente com o melhor guarda-redes do mundo.

O "El País" também exaltou o Brasil como a única equipa que saiu vencedor em três continentes diferentes, enquanto os países europeus jamais ganharam um Mundial fora das fronteiras.Os brasileiros estreiam no dia 15 de Junho contra a Coreia do Norte, no grupo G. A Espanha, que está na chave H, encara a Suíça no dia 16. O Brasil e a Espanha podem enfrentar-se nos oitavos-de-final, caso um deles se classifiquem em primeiro e o outro em segundo.

Polémica na lista de Dunga

Se o Brasil tem a selecção mais cotada do mundo, não impediu a reacção dos políticos brasileiros, após o anúncio dos representantes locais ao Campeonato do Mundo da África do Sul. A polémica criada mexeu com o senado Federal, onde se ouviu a voz deconcordância: Dunga errou ao não convocar Paulo Henrique Ganso e Neymar. Houve quem disse mais: o anúncio dos eleitos é uma decepção.

O senador Tasso Jereissati disse: "Tenho de expressar a minha mais profunda decepção com a convocação. Não sou santista, mas não posso deixar de expressar o que sinto. A falta de dois jogadores que têm encantado o Brasil e que fizeram renascer aquela alegria legítima do futebol brasileiro, que o fez diferente do resto do mundo. Tenho a certeza que falei em nome de milhões de brasileiros. Tirar os dois da selecção é uma grande tristeza".

O político realçou que pode continuar a torcer pela selecção "canarinha", mas vai a ausência dos dois craques pode tirar parte da alegria de assistir ao Campeonato do Mundo", disse. O outro político é o senador Aloizo Mercadante. De palavras claras ressaltou: "Se fosse uma escolha popular, os dois atletas (Neymar e Paulo Henrique Ganso) iriam ao Mundial. Bem treinados, poderiam desequilibrar qualquer partida".

O senador Arthur Virgílio comparou a falta dos dois "Meninos da Vila", Ronaldinho Gaúcho e Adriano na lista de convocados à derrota brasileira no Mundial de 1982, na Espanha."Foi um equívoco não convocar Neymar, Ganso, Ronaldinho e Adriano. Se a desculpa era falta de concentração, no pré-Mundial, Adriano poderia tornar-se num jogador decisivo. Se essa foi decisão de Dunga, temos de aceitá-la, mas Neymar, Ganso, Gaúcho e Adriano são a expressão do Mundial que não levamos em 1982", disse.

Pilto Felipe Massa junta -se aos politicos "
Adepto do clube São Paulo, o piloto brasileiro da Ferrari, Felipe Massa não gostou da convocação da selecção "canarinha" para o Campeonato do Mundo. Às vésperas do Grande Prémio de Mónaco de Fórmula-1, Massa criticou, em entrevista à Rádio Jovem Pan, segundo o site Terra, a lista divulgada.

"Mundial é Mundial e tem de se levar os melhores. Não é o que Dunga fez. Leva os jogadores em quem confia e deixa quem tem mais talento", disse.Citando nomes, Massa seguiu a linha de outros brasileiros e clamou por Ganso, Ronaldinho e Neymar. “Jogadores que já mostraram serviço e estão a mostrar a cada partida".

Mas o companheiro de Fernando Alonso, na Ferrari, foi além e mostrou não concordar também com as vagas de Michel Bastos e Gilberto no extremo esquerdo. "Punha o Marcelo, que joga bem no Real Madrid, e o Maxwell, que está muito bem no Barcelona", afirmou.

Solidariedade com o treinador

Se os políticos e Felipe Massa estão descontentes, alguns ex-jogadores da selecção brasileira e que estiveram presentes em Mundiais mostraram-se satisfeitos com a lista anunciada por Dunga.Oscar (defesa no Mundias de 1978/1982/1986): "A selecção é de respeito e o Dunga sabe disso mais do que ninguém. O grupo convocado tem uma média de idade muito alta, na qual a maioria dos jogadores está a despedir-se da selecção.

O Dunga fechou-se com o grupo e tem uma disciplina muito grande, por isso não chamou Adriano e Ronaldinho. Mas é preciso saber que treinador não se fecha com o grupo. Treinador tem de levar o que é melhor no momento".Zetti (guarda-redes no Mundial de 1994):"É um grupo que ficou dentro do que todos nós esperávamos. Em relação à convocação, o Dunga já tinha preparado isso há 15 dias.

A minha surpresa é o Victor não estar na lista pelo campeonato que fez no ano passado com o Grémio e ainda repetiu a actuação na competição estadual. Atravessa um grande momento e merecia estar aí".Paulo César Carpegiani (médio central no Mundial de 1974): "O Dunga tem os critérios pessoais, mas a preocupação é que não teremos jogadores de definição, de habilidade, que possam definir um jogo. Vejo um grupo de jogadores com as mesmas características".

Ricardo Rocha (defesa nos Mundiais de 1990 e 1994):"No futebol, você tem de pensar como o Dunga. Num momento de crise, lembrou quem estava consigo e quem não estava. Confia nos atletas que estiveram ao seu lado, quando estava mal e todos o criticavam. O colectivo vai ser o diferencial. O ataque é muito bom, joga forte e rápido. O destaque deve ficar com a defesa que é muito sólida, muito boa e muito entrosada. Isso é essencial para fazer um bom Mundial".

Paulo Sérgio (meio-campista no Mundial de 1994): "Espero que os nomes Robinho, Kaká e Luís Fabiano sejam os mais certos e destaques no Mundial. É uma oportunidade única para mostrar, porque estão lá. Não vejo nenhuma novidade na lista, sempre falei que Dunga não iria trazer surpresas. Espero que o grupo possa estar bem unido. O Dunga já tinha grupo formado e seria muito incoerente deixar esses jogadores de fora".